sexta-feira, 3 de julho de 2009

Falemos das potencialidades e desafios do pré-candidato a deputado estadual Duílio de Castro

(mais novos posts abaixo)
Caio Dutra (PMDB) está com o seguinte enunciado: Duílio de Castro (PMN) ao se tornar presidente da Câmara ficou numa situação delicada porque na nova posição teve que alterar a linha de atuação... Todo esse condicionamento e coisa e tal, ele defende, faz o vereador Duílio de Castro entrar em conflito com seu próprio trabalho e posicionamento até ele se tornar presidente da Câmara. Assim, o cargo lhe faria mal e não bem politicamente. Bem, vamos analisar a questão. Adiante.

Começo espondo a minha opinião: discordo de Caio Dutra. Vamos lá, sob o ponto de vista puramente eleitoral olhando apenas o perímetro geográfico interno acho que há inclusive ganhos significativos nessa conta favoráveis ao vereador Duílio. Vejam no posicionamento anterior, Duílio tinha um teto havendo pouco espaço para crescer até chegar no seu limite, no "povão". Mas aí vem a tese de Caio: no novo posicionamento Duílio tem perdas dentro do seu nicho eleitoral e não conseguiria angariar um novo perfil de eleitor, o eleitor de opinião e não do pão [expressão minha].

Bem, é aí que está um dos pontos nefrálgicos da análise. Duílio vem fazendo um progresso a olhos vistos: na Câmara realiza um trabalho absolutamente profissional, pessoalmente ele está em busca de mais conhecimento, cultura, sei disso. Então essa soma de mais cultura com um trabalho competente como presidente do legislativo, se bem explorado com um marketing eficiente pode lhe colocar em um novo patamar. Mas Caio poderia dizer que esse é o risco, porque ele poderia distanciar-se do seu eleitor habitual sem conseguir conquistar uma nova camada de pessoas.

É aí que está a oportunidade do Duílio de evoluir e ajudar também o seu eleitor a progredir. Como assim? Explico. Reconheço que é um desafio mas eu apostaria pelo que vejo hoje em Duílio, que ele conseguirá. Por quê? Vou trazer dois dados comparativos com o ex-presidente da Casa Gilmar Antão a despeito dos avanços na gestão e da profissionalização, Gilmar empregou uma série de parentes. Agora vejam, Duílio por seu lado manteve a boa equipe de profissionais que Gilmar recrutou sem repetir o erro: empregar parentes. Outro ponto comparativo com Gilmar é que Duílio mantém um exaustivo trabalho de atendimento das pessoas humildes, quer dizer ele acendeu a presidência mas mantém a vínculo com as pessoas que o elegeram.

E vejam agora o pulo do gato que eu acho que ele pode dar. Duílio tem sobre essa gente uma grande ascensão e liderança. Ele pode se acordar para a oportunidade ajudar essas pessoas a sair do assistencialismo. Reparem, de um lado ele tem a demanda assistencial de outro ele apóia um governo, que nesse ponto, atua de forma despolitizada, como deve ser, sem praticar o velho clientelismo e favoritismo. Então é nesse exato cruzamento que Duílio pode ajudar a essas pessoas a progredir. Ou seja, ele tem o desafio para manter o voto do povo e ajudá-los a evoluir com ele. Parece complexo? Parece e é. Mas a vida não é tão simples. Mas dá para fazer acontecer. Tá posto um desafio ao Duílo, mas ele precisa vencer o outro, volto a ele.

Então Duílio precisa manter a clientela e agregar uma outra, como digo?, mais exigente, não é mesmo? Mas essa clienté-la que é mais exigente está carente de um representante na Assembléia e ela sabe ser pragmática eleitoralmente falando. E sob este ponto de vista de viabilidade eleitoral Duílio sai na frente dos outros postulantes: partido, densidade eleitoral e posição política atual. Ele é o presidente da Câmara e faz parte da base de sustentação do governo Maroca, que se continuar a fazer mudanças que começou pode chegar forte em 2010 e retribuir o apoio, privilegiando Duílio aos outros competidores da base. Ah, e não falo tanto do uso da maquina, mas do apoio político. Essa contribuição será tão eficaz quanto for o parlamentar em seu reposicionamento como homem público. Vejamos a seguir os avanços de Duílio nesta área.

Pois então, o que o vereador Caio Dutra vê como dificuldade para Duílio eu vejo como potencialidade e avanço. O ponto comum de nossa visão é que a etiqueta do cargo de presidente impõe ao vereador Duílio uma atitude diferente da de quando ele era só vereador. Então, vejamos: em primeiro lugar Duílio está bem a vontade na posição e conseguido avanços em cima de um trabalho da mesa diretora passada que administrativamente já era bom. Dessa forma, ele ganha a estatura de bom gestor, qualidade reconhecida até por funcionários que entraram na Instituição pelas mãos de Gilmar Antão.

Já concluo, mas não posso terminar sem falar da desenvoltura de Duílio de Castro além dos limites Sete-lagoanos. Observem que há cerca de um mês, sei que muita gente ainda não sabe, o vereador concluiu a fundação da Associação das Câmaras Municipais e Vereadores da Região Central de Minas Gerais (ACAMIG). Essa Associação envolve mais de 150 municípios da região central de Minas, é um feito e tanto para o Presidente da Câmara, Duílio de Castro, porque como disse SETE LAGOAS ASSUME PAPEL ESTRATÉGICO DE LIDERANÇA. Assim, não preciso pensar muito para concluir que suas ações externas agregam enorme capital político ao nosso Chefe do Legislativo localmente. Ah, e pelo caminhar das coisas logo ele será o vice-prefeito com a ida de Ronaldo João para Assembléia, mais valor ainda.

Agora encerrando, Duílio de Castro, caminha para ser um grande nome para disputar um assento na Assembléia mineira e eu não me furtaria ao atrevimento de sugerir uma conversa entre ele e outra grande liderança, Caio Dutra, para o bem de Sete Lagoas. Falo depois de João Evangelista.
Postar um comentário