quinta-feira, 23 de julho de 2009

Para a população "um simples procedimento de cloração"; para os privilegiados: passa por várias etapas, com filtros, inclusive barreira ultravioleta

Leiam esse trecho de texto da prefeitura já puclicado em outro post comento no post seguinte:
Grande parte da população de Sete Lagoas tem uma opinião formada sobre a qualidade da água oferecida no município. O assunto, inclusive, é alvo de muita polêmica. Os boatos em torno do tema já criaram mitos cada vez mais arraigados ao imaginário popular. Quem nunca ouviu o comentário de alguém que dizia que beber água da cidade pode contribuir para o aparecimento de cálculos renais? Ou que a água de Sete Lagoas faz mal para os cabelos? Diversas teorias permeiam o imaginário popular. Entretanto, é fundamental saber separar o que realmente faz sentido daquilo que não passa de puro senso comum. Para tanto é importante analisar profundamente alguns aspectos existentes.Em Sete Lagoas, a captação da água é subterrânea. Na maioria dos casos, o bem é retirado de poços profundos, que chegam a até 100m de profundidade. Assim, o recurso já chega à superfície sem maiores contaminações, uma vez que passa por um processo de filtração natural do subsolo. Para atender as exigências da portaria do Ministério da Saúde e fornecer uma água de qualidade à população da cidade, o SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) realiza apenas um simples procedimento de cloração.
Postar um comentário