segunda-feira, 31 de março de 2008

Serra lidera corrida para 2010

Da revista Veja:
O governador de São Paulo, José Serra, é o nome preferido do eleitorado brasileiro para a sucessão presidencial, daqui a dois anos e meio. Serra lidera a corrida para 2010 com pelo menos 16 pontos porcentuais de vantagem. De acordo com pesquisa feita pelo instituto Datafolha e divulgada nesta segunda-feira pelo jornal Folha de S. Paulo, o governador fica com entre 36% e 38% das intenções de voto, dependendo do cenário da simulação.

Dr. Euro Andrade (PP) diz que a pesquisa errou ao não incluir o DEM

Em entrevista a Rádio Cultura, nesta segunda-feira, o vereador Euro Andrade, diz que a pesquisa errou ao não incluir os postulantes do Partido Democratas na consulta. Dr. Euro também fez questão negar o boato de que pretende concorrer como vice-prefeito, sua intenção é disputar a reeleição para a Câmara Municipal.

domingo, 30 de março de 2008

POR QUE EXCLUIRAM O DEMOCRATAS 1?

Abaixo vai um texto meu, publicado no Jornal Tribuna, desta semana. Nele levanto algumas questões sobre como, uma pesquisa que se quer séria, deixa de incluir o Partido Democratas, uma das princípais forças políticas da cidade, do estado, do país no levantamento feito para conhecer o quadro político, na disputa para prefeito de Sete Lagoas:

A PESQUISA

O Jornal Sete Dias publicou ontem, 28/3, o resultado de uma pesquisa de opinião pública eleitoral, realizado pelo Instituto Datafato. Nela, não se vê nenhum candidato do DEM – Leonardo Barros ou João Batista – no levantamento estimulado. Mas lá estão Balu, Celsinho... Por que não fez a sondagem com os nomes do DEM? É uma consulta onde se desejava conhecer o quadro político da cidade, ou formá-lo? (Segundo o dicionário Aurélio, “pesquisar significa informar-se a respeito de...)”.

Se o que se deseja era realizar uma pesquisa de verdade, por que, então, abriu-se mão de uma variável que podia alterar completamente o resultado? Um engano. Quem com um mínimo de honestidade intelectual ignoraria dois nomes que estão na mídia, pertencem a uma das maiores forças partidárias da cidade e do país? Para se ter uma idéia, o Jornal O Tempo, de BH, já fala dos dois nomes, como fez esta semana.

Nesse caso, como fica o leitor/eleitor? Não merece conhecer todos os cenários imagináveis? Não merece, não? Bem, você está falando isso porque é o Leonardo Barros, é um interessado direto? – poderiam dizer. E por acaso eu não tenho o direito de saber? E que tem simpatia ou antipatia por mim, não tem o direito de ter essa informação?

Defendo, como sabem todos que me conhecem um pouco, um impressa onde o principal compromisso seja com o cidadão. Uma coisa sem amarras, com liberdade para criticar, elogiar... Uma impressa que pratique jornalismo: que erre, que acerte, imparcial. Porque, seja como pessoa física ou jurídica, a gente é julgado pelo que faz e pelo que deixa de fazer. É assim a vida.

De volta aos números, com ficaria o quadro com uma consulta levando em consideração um cenário comigo e com meu colega Dr. João Batista? Bem, como o instituto desconsiderou essa variável, faz a consulta perder muito de seu interesse. Afinal, o Partido Democratas deverá, sim, ter um candidato à eleição de Sete Lagoas. Aliás, alguém hoje pode garantir que será candidato? Então, por que só o DEM não tem o direito da dúvida? Por que só o DEM, uma das mais tradicionais siglas do município, foi excluído do levantamento estimulado da tal pesquisa? Ora, o DEM possui muitos e significativos nomes em condições de disputar quaisquer cargos eletivos.

Um erro estatístico ou de amostra, vá lá, pode-se aceitar. Agora, engano na concepção do cenário político para se fazer uma pesquisa, que se quer séria, é inadmissível.

sábado, 29 de março de 2008

Um governo que chantagea, aterroriza e ameaça os adversários políticos

Por Christiane Samarco e Vera Rosa, no O Estado de S. Paulo

Dossiê da Casa Civil contra FHC foi decisão de governo
Operação dossiê saiu de pelo menos duas reuniões realizadas no Planalto, sob comando da ministra Dilma

BRASÍLIA - Na primeira semana de fevereiro, muito antes de a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Cartões ter sido instalada, no dia 11 de março, o Palácio do Planalto mobilizou toda a Esplanada dos Ministérios para coletar informações e montar um dossiê com dados sobre gastos do governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) com cartões corporativos e contas tipo B. Nesta sexta-feira, 28, o governo deflagrou uma estratégia de despiste, dizendo que havia coletado as informações a pedido da CPI.

A operação dossiê saiu de pelo menos duas reuniões realizadas no Planalto, sob comando da ministra Dilma Rousseff e com participação dos ministros Paulo Bernardo (Planejamento), José Múcio Monteiro (Relações Institucionais) e Franklin Martins (Comunicação). Algumas vezes, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), foi ao Planalto consultar os ministros. No Guarujá, de férias, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva era consultado e informado sobre as estratégias para resistir à pressão da oposição em favor de uma CPI, depois de consumada a demissão da ministra Matilde Ribeiro (Igualdade Racial), no dia 1º de fevereiro.
Matéria completa clique no Link: http://www.estadao.com.br/nacional/not_nac147685,0.htm

sexta-feira, 28 de março de 2008

O TEMPO E AS NUVENS DA POLÍTICA

Um belo texto de um amigo no "Hoje - Jornal da Cidade" - (Márcio descobri quem é o Sérgio - demorou mais caiu a ficha), da os parabéns para ele por mais essa bela obra de arte. O texto:

Previsão do Tempo
Todos já se deram conta (e o calendário mostra) de que estamos no outono, tido e havido como estação da colheita. Estamos, também, na antevéspera das eleições. Pela "Folhinha de Mariana" - famosa por seus acertos - o tempo vai esfriar; segundo os analistas, no polo político, a coisa tende a esquentar. Como se vê, meteorologia e política não são acordes, embora Aureliano Chaves (ex muita coisa, com sabem) tenha cunhado frase que atende aos interesses gerais, concilia as duas ciências, explica o inexplicável e já entrou para o folclore: "Política é como nuvem: está sempre mudando".

Em Sete Lagoas - 19º27'33"S e 44º15'08"N, 22 partidos com Diretório ou Comissão Provisória - a coisa não poderia ser diferente. Por cautela, a coluna não se aventura a dizer como será o amanhã, mas o hoje - como em qualquer previsão do tempo ou da política - o que se vê não surpreende. De um lado, está o prefeito Leone Maciel, tudo fazendo para continuar no comando da Prefeitura. Ele tem a seu favor 13 partidos e conta com pelo menos 700 cabos eleitorais nas fileiras de candidatos a vereador e exercendo cargos de confiança no Governo Municipal. E comanda a "máquina", o que pesa na balança.

Do outro lado há pelos menos QUATRO POSTULANTES OSTENSIVOS - MAROCA (PSDB), EMÍLIO (PSB), DR. RONALDO JOÃO (PDT) E DR. JOÃO BATISTA/LEONARDO (DEM) - e quatro camuflados sob a bandeira do PT: Dr. Celsinho, Mário Balu, Professor Tió e Flávio de Castro. Alguns garantem que todos ensaiam uma peça inédita no teatro de Sete Lagoas: eles aparecem agora como atores principais e tentam empolgar a platéia. Mas, na hora do espetáculo - quando o terceiro sinal anunciar as convenções partidárias, em junho - ajustarão seus papéis, mudarão o script e apenas um aparecerá em cena aberta.

Aí, veremos que, como na meteorologia, a política também é capaz de produzir surpresas: a mistura de cúlulos e cirros produz tempestades; já a mistura de extratos e nimbus produz apenas raios e trovões. Se vai chover (e onde a água poderá cair) é outra história. Entre a incerteza dos analistas políticos e a imprecisão dos meteorologistas, é melhor que vejamos o céu sete-lagoano com o experiente e maravilhoso olhar de Aureliano Chaves...

A NOTA DO DEMOCRATAS

O DEM divulgou um nota de repúdio às ações da Casa Civil. Segue íntegra

CHEGA DE TOLERAR O INTOLERÁVEL
A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, usou sua força e influência na República para elaborar “dossiê” com informações escolhidas a dedo com a finalidade de constranger, perseguir e difamar um dos principais líderes da Oposição no Brasil, além de obstruir o trabalho do Congresso Nacional no cumprimento de sua missão constitucional. Não se pode ignorar a gravidade do ato, tampouco aceitar que Dilma Roussef se esconda atrás de uma assessora que deve ser punida sim, mas que jamais agiria sem ordens explícitas e comando determinado de sua superiora.A responsabilidade da ministra Dilma Roussef é pessoal e intransferível. E o beneficiário de sua ação é o presidente da República, Lula da Silva. A quem interessa chantagear e intimidar deputados e senadores da Oposição para impedir que o Congresso Nacional, por meio da Comissão Parlamentar Mista dos Cartões Corporativos, investigue atos suspeitos do Poder Executivo? A quem interessa desmoralizar as CPIs para aumentar o grau de hostilidade de considerável parcela da população com o Poder Legislativo? A quem interessa tentar impor no Brasil um Estado Policial e pseudodemocrático?Não é possível conviver com a rotina de ilegalidades do governo Lula. Num dia é o petista “Mexerica”, alojado no Banco do Brasil, que bisbilhota as contas da Oposição, no outro é o presidente da Caixa Econômica que avança sobre as leis para atender a conveniência política do ministro da Fazenda. A exemplo de Antonio Palocci, que usou o poder do Estado para quebrar o sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa, a ministra-chefe da Casa Civil da Presidência da República violou a consciência institucional que se exige das autoridades da República.Chega de tolerar o intolerável. A Democracia, além de indispensável, é insubstituível. Não podemos seguir como se a democracia pudesse ser descartada a qualquer momento. Nenhum País pode viver de um só partido ou de uma só corrente política. Além de respeito às regras institucionais, é necessário reconstruir o vínculo de confiança entre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Para isso, é preciso que autoridades do Estado suspeitas da prática de atos ilegais, como é o caso da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, sofram as conseqüências dos seus atos.Brasília, 28 de março de 2008Deputado Rodrigo MaiaPresidente da Comissão Executiva Nacional

Audiência Pública de Segurança, ontem


Caros, vai algumas fotos da Audiência Pública de Segurança, depois conto pra vocês um pouco do que aconteceu lá.


Em serviço: Camila Leste e o amigo Brenno Dias



Camila Leste, da ETV, e eu

quinta-feira, 27 de março de 2008

"Aécio não sobe em palanque"

Do Jornal O Tempo:
Candidato a prefeito que espera contar com a presença em palanque do governador Aécio Neves vai acabar frustado. O governador não deverá participar diretamente das campanhas. A única situação em que ele admitiria marcar presença efetiva seria na polarização excessiva entre candidato da base e oposicionista, que proporcione respingos no governo estadual. O recado está dado, as campanhas devem manter bom nível.
Link para conferir no jornal: http://www.otempo.com.br/otempo/noticias/?IdEdicao=874&IdCanal=1&IdSubCanal=4

quarta-feira, 26 de março de 2008

O valor de uma pesquisa hoje

Transcrevo a seguir um texto que ganhei de um amigo, falando sobre o valor das pesquisas a tanto tempo da eleição:

A bússola que todo candidato deve ter
Através de pesquisas, ele aumenta as suas chances: fica conhecendo o seu próprio perfil e, também, o perfil do eleitor.
A pesquisa é, hoje em dia, um dos instrumentos indispensáveis de uma campanha eleitora. É impossível fazer uma boa campanha sem utilizar, e bem, esse instrumento de aferição da opinião pública. E ela não serve apenas para medir o "ibope" dos candidatos e prever quem vai ganhar.
ALIÁS, ESSE TEM SE TORNADO UM EQUÍVOCO COMUM NAS CAMPANHAS ELEITORAIS. QUANDO SE CONSULTA O ELEITORADO MUITO TEMPO ANTES DAS ELEIÇÕES, A INTENÇÃO DE VOTO COLETADA NAS PESQUISAS ESTIMULADAS NEM SEMPRE REFLETE UMA REAL SITUAÇÃO. EM GERAL, AFERE-SE APENAS UM RECALL SOBRE O NOME DO PRETENSO CANDIDATO, UMA LEMBRANÇA DO ELEITOR SOBRE SEU NOME. ISSO NÃO SIGNIFICA, NECESSARIAMENTE, INTENÇÃO FUTURA DE VOTO.
Muitas vezes, mais importante que descobrir a intenção de voto, será saber qual a rejeição do candidato, ou seja, o lado negativo. Sabendo-se das restrições, o candidato poderá trabalhar suas qualidades para superar os problemas, e melhorar sua comunicação com o eleitorado.
Há dois tipos de pesquisas: a qualitativa e a quantitativa. A qualitativa é feita em ambientes fechados, com pequenos grupos de pessoas e afere questões como o perfil do candidato, o diagnóstico do cenário político, as bandeiras de campanha, o processo de formação da opinião pública, o programa do horário eleitoral. A quantitativa é a que mede quantos eleitores pretendem votar no candidato, quantos gostaram do seu programa do horário eleitoral etc. Portanto, a qualitativa afere conceitos e a quantitativa, números. Ambas são importantes. Uma completa a outra.
Embora se deva levar em conta que as pesquisas têm margens de erro, não são 100% exatas, elas podem ser comparadas a uma espécie de bússola, que vai indicar o caminho por onde o candidato deve seguir até a vitória final.

É fundamental o candidato saber, antes de começar a eleição, o que os eleitores pensam dele. Ou seja: qual é a imagem que eles têm dele? Porque, se for uma imagem negativa, dá tempo de ele corrigir aqueles detalhes que ele próprio às vezes nem percebe, mas que o eleitor reprova.
A questão da imagem ganhou importância principalmente depois de 1992, com o impeachment de Fernando Collor. Diz a profissional em pesquisas Maria Tereza Monteiro:
"Em todos os trabalhos que fizemos" conta ela "todos falaram isso: se a gente tivesse olhado nos olhos dele, não tinha votado nele, tinha olhos de doido, nós é que não vimos. Então, hoje, o eleitor prestam atenção se o candidato coçou a cabeça, se olhou para baixo, se gaguejou, se entortou a cabeça - ah, está de boca torta, está mentindo."

É só escolher

Procuro fazer o debate de idéias; outros preferem a desqualificação. Desqualificar é sempre mais fácil que argumentar, inclusive pra mim. Vou insistir no debate, qualificado. Agora, se quiserem de outra forma é só começar. Compra de voto, por exemplo, já fez cair, muita máscara de “Bom Moço” por aí.

Isso é uma pergunta?

Outro dia na rádio: "Pense duas vezes antes de candidatar. Porque não quero que você atrapalhe o ..." Está gravado.

"Seria horrível para a democracia"

Gilmar Antão, Democratas, disse ontem no programa Sem Censura, da Rádio Cultura, que seria horrível para democracia local a tal da união das oposições, isso porque limita o direito de escolha do cidadão. Ele também defendeu a candidatura própria do partido na cidade.

terça-feira, 25 de março de 2008

População de Contagem Reprova Gestão do PT

Por MARINA SCHETTINI no Jornal O Tempo:
População reprova Marília CamposMenos da metade dos contagenses avaliam a prefeita positivamente, segundo o Data Tempo

A pouco menos de sete meses das eleições e ainda na condição de pré-candidata na sucessão da Prefeitura de Contagem, a titular do Executivo local, Marília Campos (PT), é reprovada por mais da metade - 55,7% - da população do município da região metropolitana de Belo Horizonte. Pesquisa feita pelo Instituto DataTempo/CP2 mostra que aqueles que avaliam seu trabalho como "regular negativo" somam 15,35% dos ouvidos pela amostragem. Nos quesitos ruim e muito ruim, os percentuais foram de 14,11% e 26,24%, respectivamente. Os que aprovam a prefeita representam 43,32% dos moradores. Apenas 5,2% dos contagenses avaliam sua administração como sendo muito boa. Dos entrevistados, 25% acham que ela tem feitoumbomtrabalho e 13,12% a avaliam como sendo uma administradora "regular positiva". Aqueles que não souberam ou não responderam somaram 0,99%. MARGEM DE ERRO. A pesquisa foi realizada nos dias 9 e 10 de março, quando foram ouvidos 404 moradores de Contagem.Amargem de erro do levantamento é de 4,98% para mais e para menos. Quando a avaliação é da gestão municipal - e não da pessoa da prefeita, como no caso anterior - o resultado não é diferente e se encaixa na margem de erro da pesquisa. Dos ouvidos, 41,58% aprovam o trabalho feito pelo governo local e 55,94% o desaprovam. O percentual daqueles moradores que não souberam ou não responderam à pergunta foi de 2,48%. Quando questionados sobre a situação do município e de sua população, 2,23% dos moradores ouvidos pela amostragem responderam que era muito boa. Outros 35,15% caracterizaram a situação como sendo boa. Em seguida, 39,36% dos entrevistados avaliaram como regular, 9,9% como ruim e 12,87% como muito ruim.O percentual de moradores que não soube ou não respondeu ficou em 0,5%.

SAÚDE. O principal motivo para a desaprovação da administração local é a atuação na área da saúde na cidade - 45,13% dos entrevistados apontaram este como o principal problema. Outros cinco fatores foram lembrados com freqüência no levantamento. Para 11,95% dos moradores, a prefeita Marília Campos e sua equipe não cumpriram as promessas feitas durante a campanha, em 2004. O saneamento básico e a canalização dos córregos foram destacados por 8,41% dos entrevistados como motivos para a rejeição do atual governo. A falta de cuidado com a limpeza urbana e problemas no fomento de ações para melhorias em educação receberam, respectivamente, 7,52% e 6,64% dos votos. Outros 5,31% dos moradores reclamaram de descaso por parte da administração local com ações para segurança pública e o policiamento na cidade. A saúde é o principal ponto fraco do atual governo de Contagem, por outro, os investimentos feitos em asfalto e recuperação de ruas da cidade foram apontados como a principal ação a favor da administração. Quando foram questionados sobre os motivos pelos quais os moradores aprovam a prefeitura contagense, 39,88% responderam que a aprovação se justificava por conta da pavimentação das ruas. A educação, que aparece como uma das principais vilãs da administração, tem também a lembrança de 19% dos ouvidos como um bom motivo para avaliar bem o Executivo. O mesmo acontece com o saneamento básico e a canalização dos córregos, com 10,7%, e com a saúde, que tem 8,93% da lembrança dos moradores. Além desses primeiros, 4,76% dos entrevistados acham que as melhorias em segurança pública e policiamento são boas ações do governo. PROMESSAS. Comuma avaliação abaixo do esperado para o período eleitoral, 25% dos ouvidos acreditam que a prefeita não cumpriu nenhuma das promessas de campanha. Aqueles que acham que ela cumpriu uma pequena parte somam 41,83%. A soma dos que acham que ela tem cumprido boa parte ou tudo do prometido na campanha totaliza 25,25%.Publicado em: 25/03/2008

segunda-feira, 24 de março de 2008

De Casa Nova

A Superintendência Regional de Ensino de Sete Lagoas agora tem prédio próprio, localizado na rua José Duarte de Paiva, onde funcionou a E. E. Nadir Meireles, próximo ao Fórum. Depois de tantas mudanças de endereço, é bom, saber que toda a equipe ficará mais bem acomodada num espaço planejado para realização de seu papel estratégico. Lembrando que a SRE é um elo de ligação da Secretaria Estadual de Educação com as escolas da regional.

Foto da Nova Sede Superintendência Regional de Ensino



Foto - Membros da equipe SRE, as pedagogas Marilza do Rosario e Sandra Lanza, ao lado da Secretária de Estado da Educação, Vanessa Guimarães (centro), em recente encontro pedagógico promovido pela SEE - Secretaria Estadual de Educação, em BH. Ah, um detalhe que eu não posso deixar de revelar para vocês: Marilza é a minha esposa.





domingo, 23 de março de 2008

Outra pesquisinha das "Organizações Fundo de Quintal", agora é "Via Telemarketing"

O negócio funciona assim: liga-se para a casa de uma pessoa e pergunta para ela "se a eleição fosse hoje, o (a) Sr(a) votaria em Fulano ou Beltrano?" Aí, responde o entrevistado que não sabe da trama por trás da tal pesquisinha: "Ah, eu voto é em Ciclano." Questiona o entrevistador: Mas o que é isso, o Sr(a) não tá entendendo não? Eu perguntei foi se o(a) Sr(a) vota em Fulano ou Beltrano, Ciclano eu não quero saber não, o (a) Sr(a) tá de gozação com a minha cara?
Fala o entrevistado: Não seu moleque, eu não tô brincando com a sua cara não, eu só achava que eu tinha liberdade de escolha, se eu não tenho, até logo e passar bem... e desliga telefone chateado. E o que se quer com essa "pesquisa"? Informação estatística? Fazer uma levantamento de profundidade?

Nada disso meu amigo, o que se quer é confundir, enganar, forçar a barra, criando, há 8 meses da eleição, uma falsa polarização. Eles querem que as pessoas saiam por aí dizendo: "olha ligaram lá prá casa da minha tia e perguntaram "você vota em Fulano ou Beltrano?". É exatamente isso que se deseja com esse forçoso e enganador "Telemarketing", que as pessoas saíam por aí dizendo que telefonaram para elas, para saber quem elas escolheriam entre um e outro, criando uma falsa polarização, a essa distância tão grande das eleições. Pra citar um exemplo, é como se em março de 2004 (eleição passada) ligassem para sua casa perguntando, se você votaria em Cecé ou Ronaldo Canabrava (há 8 meses das eleições como agora).
Bem, a história da campanha que teve uma reviravolta surpreendente, você já sabe como terminou. Entretanto, gente beneficiada na época, quer agora, que a história não se repita, porém, com outros personagens, por isso, tentam lhe tirar o direito de escolha.

Matando a Charada. O que essa gente já percebeu é que está nascendo uma terceira via com força para roubar a cena. Alguém que conhece os truques das ORGANIZAÇÕES FUNDO DE QUINTAL. Aí bate o desespero, e eles começam a fabricar esse tipo de produto de quinta categoria para tentar enganar você. Mas hoje, quem cairia nisso? Eles vão ter que recolher do mercado esses produtos de manipulação.

sábado, 22 de março de 2008

Jornal O Tempo diz que vereador de SL custa caro

Da coluna APARTE, no Jornal o Tempo de hoje.
Custo:
Tanto interesse por uma vaga no Legislativo de Sete Lagoas tem duas explicações básicas: pouco trabalho e contracheque polpudo. Cada um dos 13 vereadores da cidade possui vencimentos de R$ 4.606,20, verbas indenizatórias de R$ 4.770 mais R$ 6.520 para contratar até cinco assessores por gabinete. Além de diárias de viagens diferenciadas até para o exterior. Cada parlamentar da cidade tem o custo político de R$ R$ 15.896,20 mil por mês, para participar de apenas uma reunião por semana. Link aberto: http://www.otempo.com.br/otempo/noticias/?IdEdicao=864&IdCanal=1&IdSubCanal=4

sexta-feira, 21 de março de 2008

Arrecadação de impostos aumenta 10,23%, qual a falta que a CPMF faz? NENHUMA!!!!!!

De GABRIELA GUERREIRO Folha Online
A arrecadação de impostos e contribuições federais bateu mais um recorde do mês passado. O total recolhido aos cofres da Receita Federal totalizou R$ 48,144 bilhões, crescimento real de 10,23% em relação ao mesmo mês de 2007 e também o maior valor para meses de fevereiro.
O recorde ocorreu mesmo com o fim da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), que deixou de ser cobrada em janeiro. Sua prorrogação era dada como essencial para garantir o equilíbrio das contas públicas --a previsão era uma arrecadação de cerca de R$ 40 bilhões neste ano.Em janeiro, quando a arrecadação também foi recorde, o secretário da Receita, Jorge Rachid, deu a justificativa de que isso só havia ocorrido por fatores 'atípicos'.
No ano, a arrecadação acumulada é de R$ 111,04 bilhões, um crescimento nominal de 15,57%. Segundo relatório divulgado pela Receita Federal, o crescimento da arrecadação é conseqüência do combate à sonegação fiscal e do desempenho positivo da economia nos últimos meses

Blog no final de semana

Amigos leitores, o blog funcionará no final de semana, num rítimo um pouco mais lento, mas estarei a postos. Vocês devem ter observado que houve uma brusca alteração nos horários das postagens. Ocorreu que eu estava usando um fuso horário não brasileiro e ontem reconfigurei o blog para o nosso fuso horário, por isso, a mudança. É como deve ser tudo na nossa vida: a gente vai aperfeiçoando para ser melhor a cada dia.

"Para Marta, a lei é só para quem não é autoridade"

No Radar, por Lauro Jardim - na Veja:Não foi exatamente tranqüilo o início do vôo 455 da Air France que na terça-feira passada decolou de São Paulo para Paris. A responsável pela trepidação foi Marta Suplicy, que ia para a China, com escala em Paris. Ao embarcar, o casal Marta e Luis Favre relaxou e decidiu não passar pela revista de bagagem de mão feita por raios X. Os Favre furaram a fila da Polícia Federal. Vários passageiros se revoltaram. Marta respondeu que, no Brasil, para as autoridades não valem as exigências que recaem sobre os brasileiros comuns. Os passageiros não relaxaram com a explicação. Continuaram a reclamar, mesmo com todos já embarcados. Deu-se, então, o inusitado: o comandante do Boeing 777 saiu do avião, chamou a segurança e disse que não decolaria até que todos os passageiros passassem suas bagagens de mão pelo raio X. Marta Suplicy deixou seu assento na primeira classe (Favre estava na executiva) e dignou-se fazer o que o comandante pediu. Nesse instante, os passageiros "relaxaram e gozaram".

quinta-feira, 20 de março de 2008

Escola é obrigada a recorrer a água mineral

Matéria de Anderson Fernandes para o SETE DIAS, evindencia o grave problema da escassez de água em nossa cidade. Volto depois:

Devido à freqüente falta de água na Escola Estadual Emilio Vasconcelos, à rua Quintino Bocaiúva, centro, alunos de todos os turnos escolares e principalmente o noturno tem seus estudos prejudicados. A diretora da escola, Ana Carla Dumont, explica que nos turnos da manhã e da tarde, não há água para preparar os alimentos e muitas vezes a escola tem que comprar galões de água mineral. Outro problema resultante da falta d’água é o mau cheiro dos banheiros, por não ter como lavá-los. No turno da noite os alunos chegam a ser dispensados por não ter água nem pra beber.
“Como eu dispenso um turno inteiro de crianças?”, questiona a diretora, “as conseqüências são drásticas, alguns ficam sem aula e quem tem aula fica em má condição de estudo”. Segundo ela, o banheiro da diretoria possui caixa-d’água especifica, o que deixa a sala fora do problema. Os alunos muitas vezes fazem suas necessidades no banheiro da diretoria, mas não dá pra atender à escola inteira. Integra da matéria no jornal, clique http://www.setedias.com.br/index.php?Conteudo=noticias&subMod=mais_noticias&Codigo=508
Voltei
Somos a cidade das 7 lagoas e, entretanto, convivemos diariamente com a escassez e a péssima qualidade da água, em nossas residências, empresas... como nos mostra semanalmente a nossa imprensa. Até quando aceitaremos essa situação? Vamos esperar um colapso completo para fazer alguma coisa? Hoje, quem, nos evidencia o problema são os veículos de comunicação de nossa cidade, amanhã poderá ser a imprensa nacional, revelando que na cidade das 7 lagoas, sofreu um apagão hídrico. Aí!, que vergonha seria, não? Quando questionamos as nossas autoridades publicamente sobre a opção feita na questão do saneamento, elas se limitam a dizer que foi uma decisão de governo, como fez o prefeito na UNIFEMM. Bem, se é assim, precisamos tomar uma outra decisão: de sociedade, julgando a qualidade do nosso governo.

10 anos de uma inovadora iniciativa que ajudou a integrar mais Sete Lagoas ao comércio do estado

A seguir, transcrevo fragmento de uma matéria do Jornal Sete Dias, de janeiro de 2007, que conta um pouco do desafio de lançar o "Home Shop", 1° supermercado virtual de Minas. Tive o privilegio de participar desse projeto que contribuiu para integrar mais Sete Lagoas ao comercio estado e levar uma marca da nossa cidade a conquistar outros mercados. A iniciativa de criar, na época, algo tão inovador foi do Ozório Bastos (foto Ozório e eu). E, esse ano, o 1° Supermercado Virtual de Minas, que nasceu em Sete Lagoas, completa 10 anos. Parabéns e muito mais sucesso!


"Um dos projetos que Leonardo Barros colaborou na sua implantação foi o "Santa Helena Home Shop", idealizado por Osório Martins Bastos, do Santa Helena Center - 1ºSupermercado Virtual de Minas Gerais. Sua contribuição foi especialmente importante na implantação da pioneira modalidade de compras, em Belo Horizonte. Na época havia três grandes desafios: implantar a nova modalidade de compras, superar o desconhecimento do consumidor belorizontino em relação à marca Santa Helena Center e atingir um público muito específico - consumidores, usuários de computador com aparelhos de Fax Modem, um público pequeno em 1998 quando o sistema funcionava através de CD, hoje, funciona pela Internet ( https://www.santahelenacenter.com.br/principal/). Para vencer os desafios a estratégia proposta por Leonardo foi a de fazer parceria com empresas de Tecnologia da Informação, como provedores de internet, revendas de software... e encaminhar o "CD HOME SHOP" aos clientes destas, uma vez que eles eram o público desejado. Assim, procurou as empresas de TI e as convenceu em participar do projeto, mostrando a seriedade do "Santa Helena Center" e comprometendo-se a encaminhar o "CD HOME SHOP" como um presente das empresas parceiras aos seus clientes, esse detalhe do acordo, além de ajudar no fechamento da parceria era positivo para o Supermercado, porque evitaria-se a rejeição dos consumidores a marca setelagoana, a qual eles ainda não conheciam. Hoje, o "HOME SHOP" está consolidado. "A maior satisfação é saber que contribuí para inverter o fluxo de comércio e "exportar" uma marca local, gerando mais empregos em Sete Lagoas", diz Leonardo Barros."

Professor Anastasia vai virar o governador, no inicio de 2010

Em lapso, Aécio Neves diz que deixa cargo no início de 2010

Por PAULO PEIXOTO Folha Online.
Potencial candidato à Presidência da República, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), disse nesta quarta-feira em entrevista que deixará o governo de Minas "no início de 2010". A frase gerou especulações, o que levou sua assessoria a negar que o sentido dela tenha sido o de que Aécio desincompatibilizará antes do término do seu atual mandato, em 31 de dezembro de 2010.
Aécio falava sobre o projeto Circuito Cultural da Praça da Liberdade quando afirmou: "Quero, antes de deixar o governo de Minas Gerais, no início de 2010, deixar todas as intervenções na praça da Liberdade prontas, inauguradas e abertas ao público".
A assessoria de Aécio disse que a questão é de "interpretação" que pode ser dada dependendo da posição da "vírgula" --segundo a assessoria, "no início de 2010" pode se referir a quando Aécio deixará o governo ou a quando ele deixará as obras prontas.
Na transcrição da fala do governador divulgada pelo Palácio da Liberdade, sua assessoria escreveu: "deixar o governo de Minas no início de 2010, deixar...". Mais tarde corrigiu para: "deixar o governo de Minas, no início de 2010, deixar...". Segundo a assessoria, é na posição da vírgula depois de "governo de Minas" que estaria a origem da confusão.
À noite, quando se encontrava com o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), Aécio foi questionado sobre quando deixará o governo de Minas. Ele disse então que poderá deixar o governo no final de março de 2010 se for concorrer a algum cargo eletivo --mas não deu certeza.
"Quando disse no início de 2010... Se eu não me aposentar [...] e vier a disputar qualquer cargo, seja de deputado, senador, qualquer um que seja, eu devo me desincompatibilizar em março. Mas [...], se eu resolver me aposentar, aí não saio no começo do ano", disse ele.
Indagado se poderia ser também candidato à Presidência da República, respondeu: "É você que está dizendo".
Desde que foi reeleito no ano passado para mais um mandato no governo mineiro, os rumores no meio político mineiro é que Aécio deixará o governo de Minas em março de 2010 para ser candidato a presidente da República ou, se não se viabilizar como candidato, para concorrer a uma vaga ao Senado.
Ele disse que "eventualmente pode disputar uma outra eleição", mas que 2010 "está muito distante".

quarta-feira, 19 de março de 2008

Vem aí, mais uma daquelas pesquisinhas de fundo de quintal

O contratante chega a 27%, sem mover uma palha. Pô! Por que que não pediu logo 37%? A rejeição do seu, suposto principal, adversário, ele manda dizer que é de 17%. E a dele? Ah, a dele é de um virgula alguma coisa. Bem, chega de brincadeira, na primeira quinzena de abril tem pesquisa profissional, de instituto de primeira linha. É só ter um pouco de paciência. Abril tá aí!

Hélio Costa quer ajuda de Alencar contra Aécio

Por Christiane Samarco, no Estadão:

Para combater a aliança inusitada entre PT e PSDB em Minas Gerais, o vice-presidente José Alencar (PRB) e o ministro das Comunicações, Hélio Costa (PMDB), querem montar uma ofensiva eleitoral igualmente eclética. Irritados por não serem consultados sobre a parceria que vem sendo discutida entre o governador Aécio Neves (PSDB) e o prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), eles ameaçam se unir ao DEM, chamar descontentes do PT e criar uma frente de até sete partidos para disputar o maior número possível do total de 853 prefeituras de Minas.
“Vou pessoalmente fazer um convite ao DEM, para que se una ao PMDB de Minas nas eleições municipais”, disse Costa, que aproveitou um encontro casual com o líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA), para antecipar sua disposição. “Republicanos e democratas são adversários nos Estados Unidos, mas aqui pode ser que sejamos aliados”, completou Alencar. Os dois aproveitaram um encontro casual com o líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA) - que almoçava no mesmo restaurante, em Brasília -, para antecipar sua disposição.
Além de trabalhar para unir outros partidos, como PV e PC do B, Costa deu sinais de que gostaria de rachar o PT de Pimentel. “Eu e o vice-presidente combinamos fazer um encontro aqui, na semana que vem, com o Patrus”, contou, referindo-se ao petista Patrus Ananias, ministro do Desenvolvimento Social, que foi prefeito de Belo Horizonte.

"Sete Lagoas reforça posição de liderança"

Do Jornal O Tempo:

Para políticos e empresários, bom momento da economia setelagoana deve-se à integração de esforços.

Reunidos ontem em um seminário em Sete Lagoas, políticos, empresários e acadêmicos defenderam a idéia de que o esforço conjunto entre as esferas municipal, estadual e federal é a melhor explicação para o crescimento com qualidade e sustentabilidade que a cidade vem experimentando. É dessa forma que Sete Lagoas, na visão das autoridades presentes ao encontro, tem se consolidado como um dos mais promissores pólos econômicos de Minas Gerais, posição reforçada pela proximidade da capital, Belo Horizonte, do aeroporto internacional Tancredo Neves e de importantes rodovias federais. Além disso, a cidade oferece uma das melhores infra-estruturas para empresários e investidores, sejam as empresas pequenas, médias ou grandes.

"Sete Lagoas está muito bem no contexto de Minas Gerais hoje. A vocação educacional, por exemplo, é muito bem-vista pelos empresários", disse o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Márcio Lacerda. Ele lembrou as ações do governo mineiro, como o planejamento de metas para 2011 e 2023, duas datas trabalhadas pelo Estado como marcos para atingir objetivos de desenvolvimento. "Na definição das estratégias de planejamento, decidimos que a missão é tornar Minas o melhor lugar para viver. Aí vem a Secretaria de Desenvolvimento e fala que tem que ser o melhor para viver e investir. Aí vem a de Secretaria de Turismo e diz que tem que ser a melhor para viver, investir e visitar. Cada área coloca sua visão", definiu.

O seminário "Sete Lagoas: Perspectivas e Desafios para Crescer com Qualidade", que aconteceu no auditório Marcelo Vianna, dentro do Centro Universitário Fundação Educacional Monsenhor Messias (Unifemm), foi uma parceria do jornal O TEMPO com a prefeitura da cidade, a Associação Comercial e Industrial de Sete Lagoas (Acisel) e a própria Unifemm. O prefeito Leone Maciel foi o primeiro a falar para a platéia, preenchida por estudantes universitários, secretários municipais de diversas pastas, representantes dos poderes oficiais e moradores do município. "É preciso que o governo do município aja em parceria, de portas abertas, com o governo do Estado e com o governo federal para aumentar a renda per capita do município. Estamos fazendo um choque de gestão, cortando gastos e pessoal, como fez o governador Aécio Neves. É um ano de eleição, mas estamos cortando na própria carne", disse o prefeito. Além disso, Leone Maciel destacou os investimentos em saúde, educação e saneamento básico e fez um paralelo entre o atendimento à população e a atração de empresas para a cidade.

O vice-presidente da Sempre Editora, Luiz Tito, resumiu a proposta do seminário que aconteceu em Sete Lagoas. "A proposta é criar uma porta de reflexão para a cidade neste momento ímpar de crescimento que ela está vivendo", apontou o representante do veículo de imprensa mineiro. A mesa de discussão foi composta pelo prefeito Leone Maciel, o deputado federal Márcio Reinaldo, o presidente da Acisel, Franco L’Abbate; o vice-presidente de O TEMPO, Luiz Tito; o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Márcio Lacerda; o reitor da Unifemm Antônio Fernandino de Castro Bahia Filho; o superintendente regional do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (Dnit), Fernando Guimarães Rodrigues; e a executiva Heloísa Menezes, superintendente do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), órgão da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) para a educação.

Até amanhã!

Nesta madrugada não publicarei mais nada. Durmirei mais cedo. Amanhã volto com os posts mais recheados de textos, nada contra as imagens. Aliás, amanhã volto aquele debate que começou lá Femm, quem esteve lá e ficou até o final, sabe do que estou falando. Quem não sabe, amanhã saberá. Já está passando da hora de dizer algumas verdades, sobre algumas escolhas e questionar alguns intocáveis, não é mesmo? Mas, por hoje, boa noite, amigos!

terça-feira, 18 de março de 2008

Hoje na Unifemm 4: Seminário "Sete Lagoas Perspectivas e Desafios Para Crescer Com Qualidade".

Eu, Antônio Pontes e Alberto Medioli

Cháves começa afundar!

Da REUTERS-Estadão
Apoio a Chávez chega a nível mais baixo desde 2003, diz pesquisa.
CARACAS - Pesquisa divulgada nesta terça-feira mostrou que o apoio ao governo do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, caiu a seu nível mais baixo desde 2003, refletindo os danos de um polêmico referendo no qual Chávez foi derrotado, no fim de 2007. Matéria completa clique Aqui

Hoje na Unifemm 3: Seminário "Sete Lagoas: Perspectivas E Desafios Para Crescer Com Qualidade".

O COFFEE-BREAK, ao fundo, de azul, o grande Busu.

Hoje na Unifemm 1: Seminário - 1 "Sete Lagoas: Perspectivas e Desafios Para Crescer Com Qualidade".



Eu, a elegantésima Aline Néri, Helinho, da Faz, e o "amigo"Cezar Marciel

Cooperativa das Mães, um exemplo empreendedor.

Na Cooperativa de Produtos Verde Vale (foto), produz-se muitas delicias: Pão de cebola recheado, Pão de queijo, Pão doce... O preço é bom e a iniciativa das "Cooperativas da Mães", como é carinhosamente conhecida, é exemplo das valentes empreendedoras: Sonia, Lucia, Cleidionir, Sandra, Elizangela, Suele de Matos, D. Sonia, Jaqueline, Eliana.

Para se tornar um cliente e incentivar esse êxitoso trabalho, e só telefonar: 3774-7597 - Funciona na cede do Serpaf, unidade Verde Vale.

segunda-feira, 17 de março de 2008

PMDB é visto como adversário: Aécio-Pimentel.

Por Mariana Lara, Jornal OTEMPO:
Dificuldades para PMDB na aliança. A possibilidade de agregar o PMDB à dobradinha entre PT e PSDB nas eleições deste ano para a Prefeitura de Belo Horizonte está praticamente descartada. A disputa para o governo de Minas Gerais em 2010 é o principal empecilho para que os peemedebistas conquistem um espaço na aliança entre petistas e tucanos na capital mineira para 2008.

A articulação de uma dobradinha para a Prefeitura de Belo Horizonte entre o governador Aécio Neves (PSDB) e o prefeito Fernando Pimentel (PT), com um candidato de partido neutro, tem como objetivo lançar o petista para o governo do Estado e o tucano para a Presidência da República, em 2010. O que confronta com o projeto peemedebista de ter o ministro das Comunicações Hélio Costa como governador.

Apesar de manter o PMDB nas conversas que vão definir a aliança, até em resposta à cobrança feita pelo ministro Hélio Costa, que se sentiu alijado da articulação, nos bastidores a informação é que PT e PSDB devem manter-se distanciados dos peemedebistas nesta eleição. O PMDB já é visto como potencial adversário em 2010.

O PMDB, consciente das dificuldades de composição, tem defendido candidatura própria, mas não descarta a participação na dobradinha, desde que tenha a cabeça-dechapa. Exigência que não é bem vista pelo PT e PSDB, que não pretendem ter em 2010 um opositor no comando da prefeitura da capital. A melhor saída para os tucanos e petista é conduzir um candidato que seja da base de Aécio e do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, simultaneamente, mas que não exerça nenhum tipo de ameaça em 2010. É o caso do PSB, que oferece o nome do secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Márcio Lacerda – nome considerado o mais viável até o momento. (ML)

Na pesquisa espontânea, o Democratas lidera 21,1%.

Do Estadão, deste domingo:
Pesquisa mostra disputa embolada em São Paulo
SÃO PAULO - A eleição para a Prefeitura de São Paulo está virtualmente empatada segundo resultado de pesquisa da Toledo & Associados: o prefeito Gilberto Kassab (DEM) melhorou a intenção de voto recolhida pelas últimas pesquisas e aparece com 20,4%, em empate técnico com a candidata Marta Suplicy (PT), na disputa pelo segundo lugar. Geraldo Alckmin (PSDB) tem 27,6% das intenções de voto, também empatado tecnicamente com Marta, que registra 22,3%. A margem de erro é de 3,1 pontos porcentuais.

Depois deles, apareceram os nomes dos deputados Paulo Maluf (PP), com 10,3%, Luíza Erundina (PSB), com 7,7%, e Paulo Pereira da Silva (PDT), com 2,3%. Os potenciais candidatos Aldo Rebelo (PC do B) e Zulaiê Cobra (PHS) pontuaram abaixo de 1% e Soninha Francine (PPS) não teve seu nome incluído no levantamento. A maior taxa de rejeição é de Maluf - 35,2% dos eleitores disseram que não votariam nele de jeito nenhum. Após ele, vêm Marta, com 21,6%, Kassab, com 9,9%, Erundina, com 5,8%, e Alckmin, com 5,3%.

Num eventual segundo turno, Alckmin venceria Marta por 55,2% a 35,1% e Kassab por 54,9% a 31%. Alckmin herdaria 70,7% dos votos de Kassab no primeiro turno, 61% dos de Maluf e 39,2% dos de Erundina. A grande surpresa é que, num hipotético segundo turno entre Kassab e Marta, o atual prefeito ficaria com 45,1% a 41,9%, em situação de empate técnico. Nessa hipótese, Kassab teria 58,9% dos votos de Alckmin no primeiro turno e 41,9% dos de Maluf; Marta seria depositária de 26,6% dos votos de Alckmin e de 37,1% dos de Maluf.

Na pesquisa espontânea - em que os eleitores citam um candidato sem nenhuma lista de estímulo - Kassab apareceu à frente dos outros candidatos, com 21,1% das citações, seguido por Marta, com 12,6%, e Alckmin, com 9,9%. Quando a pesquisa foi a campo, no entanto, entre os dias 7 e 10 de março, ainda não havia sido anunciada a intenção de Marta de deixar o Ministério do Turismo e se candidatar em São Paulo.

A Toledo & Associados ouviu 1.020 paulistanos de 16 anos ou mais, representando o universo eleitoral de 8.138.018 eleitores da capital paulista, entre 7 e 10 de março. Foi registrada no TRE-SP sob nº 00300108-SPPE, no dia 11 de março. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo


domingo, 16 de março de 2008

A população reage a falta de alternativa: usa o silêncio!

Da Veja on-line. Eleição no Irã. Volto depois:
Sem escolhas, população ignora pedido do governo.

No início da semana, o governo do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, pediu à população que votasse em massa nas eleições desta sexta-feira. Para as autoridades locais, seria uma forma de mostrar aos Estados Unidos e outros adversários no exterior que o sistema político do país tem aprovação popular. Na manhã desta sexta, essa intenção foi frustrada. A eleição foi ignorada por boa parte da população -- afinal, o pleito não oferece reais possibilidades de mudança.

Os poucos eleitores que decidiram comparecer às urnas tinham poucas opções na hora de votar. As autoridades religiosas iranianas barraram a participação de quase toda a oposição -- poucos reformistas foram autorizados a concorrer. A escolha, portanto, era entre diferentes grupos de conservadores, sem grandes diferenças entre eles. No total, cerca de 1.700 candidatos foram impedidos de concorrer pelo Conselho dos Guardiães, formado por clérigos muçulmanos e juristas.

Voltei.
O acontecimento parece bem distante, não? E vá lá, é mesmo. Uma cultura bem diferente da nossa, mais fechada, autoritária e... o eleitor, ainda assim, reagiu com a única arma que lhe restava: virar as costas para o teatro que lhe pediam para legitimar. E você eleitor sete-lagoano o que faria, caso as opções também fossem, como diz o texto: "(...) entre diferentes grupos de conservadores, sem grandes diferenças entre eles."

"Bem Leonardo, mas, isso pode acontecer em Sete Lagoas?" Sim! No essencial sim. Analisemos a "alternativa" que quase venceu a eleição passada. Ela representa uma renovação de mentalidade? Não, ao contrário. Representa sim, um passado tradicional, saudosista. A força desta opção, que poderíamos chamar, como direi, de vanguarda do atraso, está justamente em, ela, representar o resgate da velha estabilidade política. Condição perdida pelas últimas administrações, onde reinou o populismo e outras práticas do género. Quer dizer, a população frustrada com as últimas apostas feitas justamente para tentar romper com a velho elitismo, se vê obrigada a dar um passo a traz.

Ou seja, a renovação não ocorre no essencial. O problema de gente saudosista é, que querem recuperar um passado. Não dá para resolver os desafios contemporâneos com uma visão tenta resgatar “o velho e bom passado”. Um dos grandes problemas de gente com essa visão é que elas olham a cidade que já tiveram e querem que seja como antes, ignorando que isso é impossível. Dessa forma se cria um verdadeiro aparthait, com a volta do privilegio para quem pertence a velha casta social. Aí se terá um verdadeiro conflito social e a revitalização dos neos-populistas.

Neste caso seria ter que escolher entre, o que está aí e o que já esteve aí. E qual é a diferença? Como já disse, no que importa não muda quase nada. Quer uma evidência? A questão do saneamento. Quem está aí quer o SAAE como instrumento político; quem já esteve, quer o SAAE como um património histórico. (Ah, então você discrimina o SAAE? Não, eu gostaria é que o SAAE fosse como o "DEMAE - Departamento de Água e Esgoto, de Possos de Caldas, profissionalizado. Lá a Estação de Tratamento de Água - ETA - foi construída em 1943, aqui não temos nenhuma até hoje. Quem sabe se os antigos governantes fossem mais responsáveis e competentes, hoje nossa autarquia não daria conta, pelo menos, de fazer o básico. Infelizmente, meus caros, não é a realidade, cedo ou tarde todos terão que aceitar tal fato). E o cidadão-consumidor, a quem de fato deveria ser o foco da ação - do resultado das políticas -, não é lembrado nem por um grupo nem por outro.

Bem, mas dá para construir uma alternativa diferente destas daí? Eu creio que sim. É possível construir uma alternativa onde o foco seja o cidadão. Uma alternativa que não apele nem ao humanismo barato - populismo-clientelista, nem a velhas tradições ultrapassadas - não valores, estes sim, devem ser restaurados e preservados.

"E como se faz?" Com diálogo franco. Visão de futuro clara e compartilhada com toda sociedade, onde na conversa transparente todos fazem escolhas, as vezes difíceis, mas decidem e assim pagam o preço de construir um novo futuro. É por isso que nós que temos clareza de que as opções acima não são as únicas, temos a obrigação de "brigar" para construir uma nova e real alternativa. Eu creio que Sete Lagaos pode ser uma cidade moderna, como é cada vez mais Divinópolis, Montes Claros, Nova Lima... Acredito também que a eleição é uma oportunidade de se fazer o debate autêntico, transformador e pedagógico. É por isso, que luto para que meu partido, o Democratas, ofereça uma nova alternativa para a Cidade. Todos estamos fartos de saber que Sete Lagoas tem grade potencial, o que falta é realizá-lo. Para isso temos que romper com o esse ciclo vicioso - a "Velha Cultura"(veja post abaixo com esse título).

sábado, 15 de março de 2008

Iveco investe R$ 80 mi em linha de Caminhões

Da Folha Online:
A Iveco vai construir uma nova linha de montagem de caminhões pesados e semi-pesados em Sete Lagoas (MG), com capacidade para produzir até 12 mil unidades por ano, dobrando, assim, a atual capacidade existente na fábrica para este tipo de veículo. Quando pronta, em janeiro de 2009, essa nova linha cuidará da montagem dos modelos Iveco Stralis, EuroCargo e Cavallino.
Matéria completa, clique no Link:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u382141.shtml

sexta-feira, 14 de março de 2008

Márcio Lacerda, "o indicado" para a prefeitura de Belo Horizonte, vem a Sete Lagoas

Márcio Lacerda (PSB), Secretário de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, vem a Sete Lagoas para ministrar a Palestra: Os Desafios do Desenvolvimento de MG.
Lacerda é o nome indicado para encabeçar a chapa que pretende agregar diferentes correntes políticas de Minas, a prefeitura de Belo Horizonte. A tal chapa uniria do PT ao PSDB, agregando muitos outros partidos inclusive o PMDB, união que no Post anterior é classificada de "democracia do Partido Único" - crítica de Reinaldo Azevedo.

Essa idéia de "união" também fora ventilada por aqui - "Se todos unirem-se em favor de Sete Lagoas", e a qual eu fiz severa crítica em artigo publicado com o título:

"Uma perturbadora proposta", disse:
"Imagine se você, leitor, não tivesse escolha na hora de fazer suas compras: apenas uma marca de eletrodomésticos, de veículos, de cosméticos, de supermercado... Seria tudo ou nada: pegar ou largar. Agora, imagine qual o interesse que essa empresa monopolista teria em melhorar seus processos, técnicas e produtos a fim de satisfazê-lo: nenhum, não é mesmo? Afinal, você não teria o direito de escolha.
E é mais ou menos um cenário assim, com que sonham alguns políticos locais. Eles vislumbram uma eleição sem competidores – “chapa única”. Uma coisa assim, como direi, combinada, sabe? Igual aos antigos casamentos arranjados pelos coronéis, onde se casavam os interesses. Foi esta intenção que constatamos na recente entrevista de um importante vereador governista. Diz ele: “Quem sabe até não tenha oposição na época da eleição e possa ser lançada chapa única em prol de SL?”. Para dissimular o caráter pouco democrático da proposta, teve a coragem de apelar ao saudosismo e ao desprendimento alheio: “Quem sabe não podem se perder as vaidades, para a cidade ter um ganho em termos de crescimento uniforme, unânime, voltar àquelas eras maravilhosas do passado de SL, quando tinha deputados estadual, federal (...)”. Deus do céu! Como pode um Parlamentar, propor uma coisa dessas? Onde é que nós estamos? Qual legitimidade teria esse prefeito "eleito"? A sociedade setelagoana aceitaria perder o seu sagrado direito de escolha?
Tá na hora é de aceitar outro fato: ao contrário do que gostariam alguns, Sete Lagoas não admite mais o antigo dirigismo político e saberá penalizar quem tentar ferir a democracia. Goste-se ou não, a cidade caminha a passos largos para tornar-se uma metrópole urbana, onde o eleitor, cada vez mais consciente e esclarecido toma, com liberdade, a sua decisão.
Mas, se por um lado somos desapontados por idéias antidemocráticas; por outro temos fatos democráticos a comemorar. Neste sentido, o surgimento de novas e positivas lideranças para a política é um grande alento e esperança. E foram, precisamente, estes sentimentos que se percebeu em diferentes camadas da sociedade civil com a notícia (Sete Dias) da possível participação, no pleito de 2008, do Senhor Leonardo Chaves, como candidato ao executivo local.

Creio que tais sentimentos, que o seu nome desperta, se justificam pela confiança e o respeito que Leonardo Chaves conquistou através de uma gestão moderna, transparente e de resultados à frente da instituição (Credisete) a qual preside e, talvez, também, pelo próprio fato de Sete Lagoas estar com certa fadiga dos gastos dirigentes locais e em busca de novos quadros. O certo mesmo é que, o aparecimento de nomes com estatura moral, espírito servidor e competência para liderar é uma notícia boa para a sociedade setelagoana; tanto quanto para a democracia.
Infelizmente, muita gente que poderia estar contribuindo, se ausenta do processo político. Isso ocorre, em muitos casos, porque, como diz o governador José Serra, existe um “(...) mote fatalista e acomodador, que considera a desonestidade inerente à vida pública, ao garantir que o poder necessariamente corrompe os homens (...).” E completa: “Não é assim: são alguns homens que corrompem o poder; outros, pelo contrário, combatem a corrupção no poder. Estes são os que exercem o poder como servidores do povo, ao invés de se servirem do governo para seus fins pessoais ou partidários.”
Devemos reconhecer que dispomos, ainda, de outras lideranças como: ...
Quanto ao prefeito Leone Maciel, reconhecemos o seu legítimo e meritório esforço em mostrar serviço. Agora, vendo Sete Lagoas como cidade competidora de investimentos, por exemplo, é forçoso deixarmos o ufanismo de lado e não nos comparar, apenas conosco mesmo. Ou seja: numa visão reducionista, se compararmos a gestão atual com certas gestões anteriores, podemos até considerar que está bom. Entretanto, num olhar mais abrangente, verificando os progressos conquistados por outras cidades, veremos que existem outros paradigmas de projeto e de gestão.
Enfim, vivemos num país livre e, portanto, temos o direito de conhecer e de escolher entre diferentes projetos, valores e visões para o futuro de Sete Lagoas, qual será o cominho que queremos. Viva a democracia!"

Mais sobre o Seminário: "Sete Lagoas: Perspectivas e Desafios Para Crescer Com Qualidade". Data: 18 de março de 2008 - Centro Universitário de Sete Lagoas - Unifemm.
O evento é uma parceria do Jornal O TEMPO, Prefeitura de Municipal, UNIFEMM e Acisel.

quinta-feira, 13 de março de 2008

"Estão tentando construir a democracia do Partido Único"

Do Blog de Reinaldo Azevedo:

Folha Online. Volto depois (Reinaldo Azevedo):O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), defendeu nesta quarta-feira a inclusão do PMDB na aliança entre o PSDB-PT que está sendo construída em Belo Horizonte para as eleições deste ano. Para o tucano, os políticos tem que "quebrar" resistências, pois não podem viver se "digladiando" na busca permanente pelo poder.

Segundo Aécio, é preciso buscar a convergência, e o PMDB "é muito bem-vindo nesse entendimento."

Nós não temos que estar — no caso eventual do PSDB e PT, respeitadas as diferenças de cada município e as realidades locais — lutando a vida inteira, se nós pudermos convergir em questões que sejam de interesse da população. E o PMDB é muito bem vindo nesse entendimento. Já tem sido parceiro nosso na Assembléia Legislativa [de Minas Gerais], quanto maior a convergência, melhor para a população", afirmou o governador.

Aécio ressaltou que ainda não pensa nas eleições presidenciais de 2010, porque agora tem de cuidar de 2008, particularmente da "convergência natural" entre o PSDB e o PT porque a população de Belo Horizonte quer a continuidade da parceria entre a prefeitura e o Estado.

Cementário do Reinaldo Azevedo

E por que não os demais partidos de Minas? Por que a discriminação? Vamos aprendendo, assim, que a verdadeira democracia é a eliminação das divergências por meio da inclusão. Nesse modelo, a democracia perfeita é a do partido único. Em vez de ser por meio do porrete fascista ou comunista, chega-se à unidade por meio da conciliação.

Se vale para Minas, por que não vale para o Brasil? Somos obrigados a testar, hipoteticamente ao menos, essa tese em sua plena potência: toda divergência, assim, é negativa para a população. A suposição implícita é a de que também o tal povo não tem, entre si, diferenças.

E quem vai governar? Ora, os interesses comuns. Mas, se são comuns, por que os mineiros — ou os brasileiros — estão divididos em partidos, que, supõe-se, distinguem correntes de opinião? Como será feita, depois, a distribuição de cargos? Ou não haverá distribuição de cargos?

O que me encanta nesse modelo é a sua originalidade. A Espanha acaba de ter eleições. Por margem estreita, o PSOE de Zapateiro venceu o direitista PP. O mesmo ocorreu nas eleições municipais da França. A derrota de Sarkozy, embora menos dura do que se noticiou, foi uma advertência. Nos Estados Unidos, não só uma união entre democratas e republicanos soaria ridícula, como o pau está comendo na disputa entre Barack Obama e Hillary Clinton. No mesmo partido.

Esse arranjo proposto por Aécio Neves lembra mais a divisão de poderes entre os Senhores da Guerra do Afeganistão do que a realidade vivida pelas democracias ocidentais. Afinal, na prática, trata-se de juntar os que têm armas para transformar as eleições num processo homologatório. Depois, é só distribuir entre os “líderes” o produto do arranjo.

Como diz piada conhecida, cumpre afirmar: se a coisa só dá no Brasil, ou é jabuticaba ou é besteira. Havendo sempre a possibilidade, dada a realidade, de ser coisa ainda pior.

Volkswagen em Sete Lagoas?

Segundo fonte ligada ao alto comando da Cemig, a montadora Alemã poderá instalar uma planta no município.

quarta-feira, 12 de março de 2008

Valeu!

Ontem na reunião histórica da Câmara Municipal, o Blog recebeu elogios do vereador Dr. Euro Andrade, em sua fala ao vivo da Tribuna, transmitida para toda Sete Lagoas. Valeu Dr. Eurinho!

segunda-feira, 10 de março de 2008

Falando sobre o fim da CPMF








O fim da CPMF, foi uma vitória de toda a sociedade! E o Partido Democratas liderou essa luta.

Eleições 2: O ano da decisão

Leia primeiro o Post anterior
Sete Lagoas enfrenta como qualquer outra cidade, que cresce rapidamente – 2,84% ao ano, enormes problemas. São passivos de anos, agravados pelo rápido crescimento populacional. Faltou, no passado, uma visão de futuro e sobrou irresponsabilidade. Conseqüência: os problemas foram se acumulando. O Saneamento Básico é, ao lado da saúde, as maiores evidencias do atraso histórico. Pode até se dizer que determinado prefeito, na questão da saúde, gerenciou de forma mais eficiente que outros. Entretanto, está é a questão. A chave do eu quero tratar aqui, dando continuidade ao poste anterior: não se trata de apenas de gerenciamento, de fazer certo as coisas. Ou seja, não se trata só de ser eficiente é preciso ser eficiente e eficaz, ou de outra forma: é fazer certo as coisas as certas.
A decisão de permanecer com o SAAE é a evidencia mais viva da maneira como a cidade vem tomando decisões. Quando o problema surge, então vem a idéia “ah, é só administrar direito”. Sob essa premissa decidimos continuar com a autarquia.
Não estou defendendo que é o caso apenas de conceder o serviço a estatal mineira, a Copasa não. Defendo que é o problema deva ser encarado com a dimensão que ele tem. E mais: que ele seja encarado. Veja que o debate do saneamento surgiu porque houve uma oferta da estatal, não porque houve iniciativa local de busca de solução para a questão da água e do esgoto. É mesmo, é? É.
Ta na hora de começarmos a tomar a iniciativa. O momento é esse. A eleição está aí. Vamos levantar os nossos reais problemas e saber em primeiro lugar o que pensa cada um pré-candidatos sobre o problema – não se contente com respostas superficiais; e, em segundo lugar procure saber quais são as propostas de solução – de novo não se contente com pouco, ou com chavões, exemplo: “Nós vamos começar a planejar para fazer” – questione: por acaso ele tinha pensado em fazer sem planejar. Coloque-se no lugar de quem vai decidir a contratação de executivo-chefe e, vá além, pergunte: o que, como, com quem, por que...
Não dê um cheque em branco para ninguém, senão você corre o risco de ele seja preenchido com valores que você não concorda.

domingo, 9 de março de 2008

Eleições: O ano da decisão

A ONU instituiu o ano de 2008 como o ano internacional do Saneamento Básico, você sabia? Neste texto vou tratar do assunto saneamento, menos por ser “o ano do saneamento” e mais pela importância do tema para nossa cidade. E quero explorar o próprio tema par ir além de dele e falar no assunto que eu considero realmente o mais importante neste ano de 2008: a decisão que a cidade tem que tomar em 5 de outubro.
Antes, porém, de entrar no anunciado assunto quero expor minha opinião sobre uma reiterada especulação que vem se fazendo sobre o Celcinho ser o futuro candidato no lugar de Maroca. Acho toda essa conversa uma grande bobagem. Uma perda de tempo mesmo. Parece briga quem queria juntar e ficou com raivinha – briguinha de velhos compadres. Maroca é e sempre foi o candidato. E digo mais, essa confusão que se tenta criar só o beneficia. Tira o peso de cima do verdadeiro postulante, desobrigando-o apresentar idéias concretas, nesta fase do processo. Quer dizer o tiro (“a estratégia”) sai pela culatra. O que precisamos agora é qualificar o debate. O que eu, Leonardo Barros, O Maroca – o legitimo pré-candidato, o Leone pensamos. Reconhecer a pré-candidatura de Maroca é o melhor que se faz, até porque creio que se fizer uma pesquisa hoje, de 9 de março de 2008, Maroca estará na frente. O que sendo verdade é um retrato do momento, que todos temos que respeitar. Sim, pode ser apenas um recall sobre o nome do pretenso candidato, uma lembrança do eleitor sobre o seu nome da eleição passada. Sim, eu sei, trabalhei com pesquisas em Institutos de primeira linha, que o que interessa neste momento é a rejeição dos candidatos. Mas, não importa. O que interessa é, respeitando a opinião expressa no momento, qualificar o debate. Acorda, colegas pré-candidatos! A quem interessa não ser o candidato sendo? A quem está na frente ou atrás? Vamos qualificar o debate, não só tecnicistamente. Enfim, o caminho é outro se “colega” vira festa passagem para posse. No Poste seguinte continuo, retornando, ao tema de origem, essa digressão foi preciso, há e faço as correções de português. Não demoro muito.

sábado, 8 de março de 2008

Bolsa Família? NÃO! BOLSA VOTOS.

Matéria de Lisandra Paraguassú, do Jornal O Estado de S. Paulo, revela o fracasso do Bolsa Família. Lula não mudou só o nome do programa de Bolsa Escola para Bolsa Família, mudou principalmente o caráter do programa: virou Bolsa Voto. Confira na reportagem:

Evasão escolar cresce entre beneficiados do Bolsa-Família
Abandono de estudo aumenta na maioria das 200 cidades dependentes do programa
LAGOA DOS GATOS (PE) - O mais importante programa social do governo Lula, o Bolsa Família, atende hoje quase um quarto da população do País (45,8 milhões), mas não está conseguindo cumprir um de seus principais objetivos: fazer com que as crianças completem ao menos os oito anos do ensino fundamental. Cruzamento de informações feito pelo Estado, com dados dos Ministérios do Desenvolvimento Social e da Educação, revela que nos 200 municípios onde há mais famílias dependentes do Bolsa-Família a evasão escolar, contando os abandonos da 1ª a 8ª séries, cresceu entre 2002 e 2005. Em alguns casos, o número de crianças que deixam a escola mais do que dobrou. Em todas as cidades mais da metade é atendida pelo programa.

Confira os números do levantamento

O abandono escolar cresceu em 45,5% dos municípios (91) com mais atendimentos do Bolsa-Família. Em outros 18,5% (37 cidades) não houve piora ou melhora significativas - a variação foi de menos de 1 ponto porcentual para mais ou para menos. Juntos, a piora do abandono e a manutenção da péssima realidade escolar somam 64%. O ano de 2002 foi o último antes do início do Bolsa-Família, e 2005, o último com dados oficiais disponíveis.

Os 200 municípios expõem também um fenômeno político: uma melhora sensível no desempenho do candidato Luiz Inácio Lula da Silva entre os segundos turnos de 2002 e de 2006. Da eleição para a reeleição, o presidente aumentou os votos em todas as cidades com mais população atendida pelo Bolsa-Família, registrando, em alguns casos, votações fenomenais: os 3.408 votos de Araioses (MA), em 2002, por exemplo, viraram 12.958 votos na campanha da reeleição; os 2.996 votos de Girau do Ponciano (AL) subiram para 12.550 votos.

Acauã, uma das cidades-símbolo do programa Fome Zero, visitada por ministros no primeiro ano do governo Lula, tem 71,6% de suas famílias no Bolsa-Família. O abandono escolar subiu de 4,4% para 12%. Em 13 cidades, o índice passou de 20% de estudantes largando a escola, um número considerado assustador pelo próprio Ministério da Educação. Em Lagoa dos Gatos (PE), uma das cidades visitadas pela reportagem do Estado, o abandono passou de 8% para 17,6% em apenas três anos.

Voltei. Essa é a ação do PT a logo prazo.

Vocês merecem toda a nossa admiração

Recebi há pouco esse inteligente comentário de Kelly Soares.
Olá Léo!!
Vi uma chamada para o seu blog em algum lugar hoje e aqui estou dando uma espiada. Confesso que gostei. Parabéns!!... Quanto à mensagem pelo dia de amanhã, tenha a certeza de que me sinto homenageada por você, sempre tão sensível e gentil. É importante a valorização desta data, ainda que não seja eu adepta dos movimentos radicalmente feministas, como não sou adepta a nenhum movimento com tais características. Isso porque não acredito nessa história de "igualdade", porque somos, homens e mulheres, essencialmente diferentes. Eis o óbvio! É preciso se reconhecer sim as diferenças, e mais que isso: respeitá-las! Pra mim, esta é a essência do verdadeiro equilíbrio universal, do equilíbrio entre o feminino e o masculino. Obrigada pelo carinho de sempre e sucesso pra você!

quinta-feira, 6 de março de 2008

"Bacana seu blog. Bem interessante, boa formatação. Parabéns! Mais um espaço para debates relevantes." Celso Martinelli

Amigo Leitor, estou realmente muuuiiito satisfeito com o blog. Feliz mesmo. E fico ainda mais feliz ao receber um elogio como o que vai acima. Não só porque vem de um dos melhores jornalistas de nossa terra - permitam-me -, mas porque se trata sim!, de uma grande figura humana. E, alguém que pratica Jornalismo de verdade e contribui decisivamente para que seu veículo de comunicação - o Jornal Sete Dias - seja um dos mais respeitados da nossa região. Obrigado pela visita e pelo cometário!
PS.: Ah, tá querendo tratamento especial, Leonardo Barros? Nada disso! Quem faz Jornalismo de Verdade é muitas vezes duro, constantemente crítico, mas sempre justo e fiel aos fatos.

quarta-feira, 5 de março de 2008

Hillary vence prévias em Ohio, Rhode Island e Texas e respira

No Estadão On Line:A senadora e ex-primeira-dama Hillary Clinton mantém suas chances de obter a nomeação do partido ao vencer seu rival, o também senador Barack Obama, em Rhode Island, Ohio e Texas nesta terça-feira. Após 12 derrotas consecutivas, Hillary volta a respirar na luta pela indicação democrata, principalmente por ter garantido a vitória nos últimos dois estados. Obama venceu a prévia em Vermont.A disputa no estado do Texas foi bem apertada. Com 84% das urnas apuradas, a ex-primeira-dama conseguia 51% dos votos e Obama ficou com 47,2%. Dos 228 delegados do Estado, 126 seriam escolhidos por meio de votação direta. Após o fechamento das urnas, os eleitores participaram de um caucus, que indicará outros 67 delegado estaduais. Os 35 restantes são superdelegados, que são parte da direção do partido e não são eleitos pelo voto direto. Com 13% do caucus apurado, o senador tinha 53,9% contra 46% de Hillary.Com 92% dos votos apurados em Ohio, Hillary tinha 55% contra 43% de Obama. Em Rhode Island, a senadora obteve 58% e Obama, 40%. Em Vermont, o senador venceu com 60%.Apesar de o marido de Hillary, o ex-presidente Bill Clinton, ter dito que a democrata precisava vencer nas prévias de Ohio e no Texas , a campanha da senadora tentou mudar essa mensagem dizendo que ganhar em apenas um dos dois Estados já seria suficiente para dar combustível até a primária da Pensilvânia, no fim de abril. Aos que já consideravam Hillary carta fora do baralho, seus assessores lembravam da primária de New Hampshire, em 8 de janeiro, quando a senadora conseguiu frear a ascensão de Obama ao conquistar uma vitória surpreendente.

Candidatura própria

Caminhamos para candidatura própria, essa é a tendência do meu partido, o Democratas. Na reunião dessa segunda-feira, 3, isso ficou claro. Porquê? Os discursos proferidos falavam dos sinais que a sociedade sete-lagoana expressa: insatisfação em geral, desejo de renovação...
Entre mim e meu colega Dr João Batista, que podemos vir a liderar a candidatura do partido, o clima era bom. Pra se ter uma idéia no filme produzido e apresentado pela equipe comandada pelo publicitário Abrahão Neto, da Visão Social, em comemoração dos 25 anos de João Batista em Sete Lagoas, eu dou um testemunho sobre o colega. Mais: defendi que devemos sim, apresentar um projeto para sociedade sete-lagoana. Nós devemos isso a ela. E ela, a sociedade, espera isso, afinal se fazemos bonito em nível nacional não podemos apequenar aqui, não é mesmo?
Bem, ficou decido que caminho vamos tomar? Não e sim. Ponderamos, eu mesmo, que devemos aguardar as pesquisas que vão ser feitas por um instituto de primeira linha - já recebemos as propostas (diga-se bem caras, passam dos 46 mil reais) logo fechamos com um desses bons, em minas temos excelentes institutos.
Sr. Antônio Pontes, procurou mais ouvir que falar, mas liderou com maestria a reunião. Disse achar bom que os correligionários estejam na mídia, completando "que isso ajuda o partido". Gilmar Antão, um de nosso ícones, também posicionou-se mais reservadamente. Ele nos mostrou o estúdio e a moderna infra-estrutura televisiva para produção e transmissão dos programas da "TV Câmara. Fantástico. Ah, propus ao partido que de independente de quem venha a ser o candidato a prefeito, nós enquanto, um partido programático elaborássemos os pilares do nosso projeto para o município.
É isso, caro leitor, como prometido uma síntese de nossa reunião.

Uma mensagem pra ELAS

Você que com um sorriso provoca amor e felicidade.
É simples por natureza e pode explanar com simples gestos toda a sua feminilidade e grandeza. Mesmo com o passar dos anos, tem sempre o sorriso de menina, pois o enrugar da pele é ínfimo perante a alma feminina.
Traz beleza e luz aos dias mais difíceisSe divide em duas, três...
para carregar tamanha sensibilidade e forçaGanha o mundo com sua coragemTraz paixão no olhar Luta pelos seus ideais, Dá a vida pela sua famíliaAma incondicionalmente, Se arruma, se perfumaVence o cansaço, o medo, Sonha...e acredita.
Tem em suas mãos o poder da transformação.
Faz de um pequenino lugar,
um ninho de amor e afeição.
Abriga dentro de si o calor, o afeto,
a mansidão e o amor. É capaz de sorrir, quando sente vontade de chorar,
é capaz de calar quando se quer falar.
Acredita no amor, quando a sua volta reina desamor, é capaz de amar, quando todos ensinam a odiar, busca sempre a verdade,o carinho, a fé, a união.
É capaz de perdoar quando todos querem condenar. Quem é você; que afaga, que critica, que repreende, que educa, que defende, que incentiva, que corrige e ensina a orar.
Não és perfeita, pois somente DEUS o é,
mas busca a perfeição em todos os seus gestos.
VOCÊ É A MULHER!!!

terça-feira, 4 de março de 2008

Reunião Democratas

Muita gente está me pedindo para falar sobre a reunião do Democratas. Prometo. De madrugada publicarei um Post com informações sobre a reunião.

segunda-feira, 3 de março de 2008

"Orla da lagoa Paulino"

WASHINGTON MUNAIER (Rádio Santana- 87,9 FM)
A população de Sete Lagoas vai aumentando em ritmo acima da média no estado. Já estamos chegando aos 220 mil habitantes e daqui a 5 anos deveremos atingir a marca dos 300 mil. A perspectiva é boa em certos aspectos, mas chega a causar apreensão em muitos outros. Saúde, segurança pública, saneamento, trânsito, empregos, etc., etc., são itens importantes que, se são problemas agora, imaginem depois. Por falar em segurança pública, em recente reunião do Conselho de Defesa Social, foram levantados diversos problemas que envolvem a orla da lagoa Paulino, um dos principais cartões postais da nossa cidade. Vários empresários da região estiveram presentes desfilando diversos acontecimentos negativos e solicitando providências. Vou repetir a sugestão feita em outro artigo para que o comando do 25º BPM de Sete Lagoas estude e coloque em prática, ainda que por experiência, uma nova estratégia para a orla da lagoa, destinando duplas de policiais à pé, circulando principalmente nos horários de maior movimento. As vantagens seriam muitas: tranqüilidade para os comerciantes, para os moradores e para aqueles que estejam transitando ou fazendo “caminhadas”; inibição para os maus flanelinhas ou “tomadores de conta” dos veículos; maior respeito dos motoristas que vivem cometendo abusos; igual respeito dos ciclistas que usam e abusam dos passeios colocando em risco muitas pessoas; tranqüilidade para os turistas que poderiam também obter dos policiais informações sempre necessárias e úteis; até para a “Feirinha”, nos finais de semana a nova estratégia seria de grande valia. Muitas outras vantagens poderiam ser citadas. Por diversas razões tudo isso fica impraticável através das viaturas que passam de vez em quando e muitas vezes ficam engarrafadas no trânsito. O competente Jovino César Cardoso, que vem realizando um ótimo trabalho no comando do batalhão, haverá de levar em boa consideração estas sugestões, também aprovadas por unanimidade por todos os comerciantes com quem tive oportunidade de conversar. O que se pretende é a maior tranqüilidade para a população. E temos certeza de que também assim pensam os eficientes oficiais da nossa polícia!

Chega de política de grupos

"No governo, a gente tem que trabalhar para todo mundo, não pode trabalhar para um partido ou para um grupo. " Jose Serra, Governador de São Paulo.

domingo, 2 de março de 2008

"É hora da estratégia, não da tática"

Em entrevista a Leandro Modé, no Estadão neste domingo. O renomado economista, José Roberto Mendonça de Barros, diz que "é hora da estratégia, não da tática". Para José Roberto o Brasil está diante de uma grande oportunidade para aproveitá-la é fundamental uma mudança de mentalidade.
A propósito, também creio, que Sete Lagoas está diante de uma grande oportunidade, e aqui como em nível nacional precisamos de uma nova mentalidade. É momento de alargamos os limites conhecidos do "nosso possível" - ou nosso conformismo -, rompendo com o fatalismo vigente e acomodador.
É claro que numa cidade onde o assistêncialismo clientelista é a norma, falar de metas mais ambiciosas é como sonhos impossíveis. Não conseguimos dar passos maiores, avançar. Acostumamo-nos a olhar o curto prazo. Um erro. Estamos errando enquanto sociedade, não dá para culpar apenas os políticos - sim, são os maiores culpados, não os únicos, afinal "eles são nós enquantos autoridades eleitas pela gente, ou não? -. E esta eleição para prefeito é uma oportunidade de construirmos uma agenda de longo prazo, substituindo o tático pelo estratégico. É hora de olhar pra frente, construir uma agenda que seja da sociedade como um todo: quais são as nossas prioridades? Vamos debater, chegar a conscessos. Do contrário, nós manteremos firmes na visão obsoleta, fechada e arcaica, enquanto nossos competidores avançam rumo ao desenvolvimento sustentável. É isso, amigo leitor, Sete Lagoas tem, sim, um grande potencial. Falta realizá-lo.
Veja uma de suas repostas de José Roberto. Se quiser ler integralmente a entrevista clique no link: http://txt.estado.com.br/editorias/2008/03/02/eco-1.93.4.20080302.7.1.xml
Estamos em um momento económico histórico?
Não tenho dúvidas. Mas nem tudo é cenário róseo. Há uma coisa claramente na contramão: o Estado. Olho com muita apreensão e tristeza que essa prevalência cada vez maior de uma visão velha, antiga do Estado, que faz, controla, regula e se mete em tudo já ganhou 100%. É isso que está sendo feito e custará muito caro ao País. Por isso que não tenho certeza se essa oportunidade será aproveitada para darmos um salto. Complicações de infra-estrutura, por exemplo, decorrem diretamente dessa percepção de que não deve haver agência reguladora. Alguns otimistas dizem que está mudando, mas é muito marginal. O que há? Meia dúzia de estradas? A Infraero será privatizada? Ao mesmo tempo, há 200 mil funcionários a mais, uma estatal por dia sendo criada, regras específicas... Vamos pagar um preço muito caro quando os atuais governantes perceberem - o presidente é muito perceptivo. Vai ser tarde para mudar.

A velha cultura

Ao longo de décadas, a alternância do poder político em Sete Lagoas, pouco contribuiu para modificar alguns valores arraigados em boa parte da sociedade local. E entre os quais se destacam o patrimonialismo e protecionismo. Tais valores têm influenciado decisivamente, ainda hoje como ontem, o debate e o processo decisório tanto na esfera pública como no universo privado; tanto nas grandes como nas pequenas questões. E a conseqüência mais danosa dessa velha cultura é a de emperrar e/ou atrasar o progresso do município, das instituições, das empresas e das pessoas.
Neste sentido, o debate SAAE X Copasa foi emblemático. Cheio de idas e vindas, acabou com o recuo do Prefeito, que sob forte pressão de grupos patrimonialistas optou por conservar a autarquia, ao custo de 77 milhões de empréstimo e zero de recursos para construção da ETE – Estação de Tratamento de Esgoto. Quer dizer: a escolha feita onera o município, não soluciona o grave problema de esgotamento sanitário, dispensa 162 milhões de investimento, o know-how da melhor empresa de saneamento do Brasil e a cidade ainda fica obrigada a dar 10 milhões de contrapartida. Mas isso atende ao interesse tanto de grupos diretamente beneficiados como aqueles que estão interessados em manter intactos usos, costumes e atitudes que compõem o lado arcaico da cidade. SÃO PESSOAS QUE ATÉ PODEM ESTAR NA "OPOSIÇÃO", MAS NÃO QUEREM MUDANÇAS NA VELHA CULTURA.

sábado, 1 de março de 2008

Veja o que trouxe o HOJE - Jornal da Cidade, desta semana.

"Se alguém souber..."
A coluna disse na semana passada que o DEM (Democratas, como querem outros) é "a noiva cobiçada da política de Sete Lagoas", que querem cortejar para indicar o vice na chapa que vai concorrer à lua de mel da Prefeitura. Mas, como nunca acontece no dia especial - e a coluna fazia apenas um ensaio da cerimônia, para treinar nubentes, damas de companhia e porta-alianças - em pleno altar e antes mesmos que o oficiante fizesse a pergunta de praxe - "Se algúm souber de algum impedimento que torne este casamento nulo... - eis que surge Leonardo Barros e diz alto e bom som, que não existe noiva. E ele tem os motivos.
Leonardo Barros garante que o Democratas tem Diretório coeso; militância fiel, bem organizada e aguerrida, e desfruta de uma grande simpatia junto ao eleitorado sete-lagoano. Isto é: tem prestígio político, nomes de peso e cacife para disputar o cargo de prefeito. Essa já é, como informa, a disposição da cúpula dirigente, extraída de muitas conversas e algumas reuniões formais. Há também, por parte da direção superior, indicação para que o partido tenha candidatos próprios onde reuna condições de vitória e possa, bem administrando, transformar as cidades onde for vitorioso em "vitrine" para as eleições estadual e presidencial de 2010. É o caso de Sete Lagoas.
O dirigente do Democratas revela que "nunca houve" pré-entendimento com qualquer possível candidato a prefeito em busca de uma "dobradinha". Internamente, a proposta do partido é lançar um nome; externamente, as conversas são em busca de apoio a esse nome. Ele também está convencido de que Antônio Pontes Fonseca nuca postulou e nem postula, não e e nem será candidato a vice. "Pontes reúne capacidade política e tem tradição de liderança para, se quiser, sair como candidato a prefeito". Leonardo Barros diz que o convite para o casamento do dia 5 de outubro terá, sim, um nome do DEM - mas como noivo. A "noiva" será outra.