sexta-feira, 29 de julho de 2011

ACIDENTE FABRICA DE CIMENTOS SETE LAGOAS

CNC INFORMA

Às 23h30 desta quinta-feira, dia 28 de julho, ocorreu uma sobrecarga no filtro de mangas da Companhia Nacional de Cimentos - CNC, em Sete Lagoas. O ocorrido foi constatado imediatamente pela torre de comando, que enviou uma equipe ao local para fazer a verificação do defeito. Com o peso da sobrecarga, parte da estrutura do filtro inclinou, despreendendo as ferragens sobre dois trabalhadores – Elton Rosa, funcionário da CNC, que sofreu escoriações leves,  e Armando Timóteo, funcionário da empresa J. Mendes, prestadora de serviços, que sofreu fratura na perna. Os dois trabalhadores ficaram presos na ferragem – não houve nenhum tipo de soterramento - e foram socorridos prontamente pela Brigada de Segurança da fábrica e pelos bombeiros e equipe do Samu, sendo transferidos para o Hospital Municipal acompanhados pela equipe médica da CNC para os primeiros procedimentos.
Elton Rosa já foi liberado e Armando Timóteo foi transferido para um hospital particular. A equipe da CNC está acompanhando os funcionários e seus familiares para prestar todo o suporte necessário.
A fábrica continua em operação e a expedição de cimento está temporariamente suspensa As causas do acidente estão sendo apuradas por uma equipe técnica

NOTA OFICIAL DA EMPRESA SOBRE O ACIDENTE EM SUA FÁBRICA DE CIMENTOS

CNC INFORMA

Às 23h30 desta quinta-feira, dia 28 de julho, ocorreu uma sobrecarga no filtro de mangas da Companhia Nacional de Cimentos - CNC, em Sete Lagoas. O ocorrido foi constatado imediatamente pela torre de comando, que enviou uma equipe ao local para fazer a verificação do defeito. Com o peso da sobrecarga, parte da estrutura do filtro inclinou, despreendendo as ferragens sobre dois trabalhadores – Elton Rosa, funcionário da CNC, que sofreu escoriações leves,  e Armando Timóteo, funcionário da empresa J. Mendes, prestadora de serviços, que sofreu fratura na perna. Os dois trabalhadores ficaram presos na ferragem – não houve nenhum tipo de soterramento - e foram socorridos prontamente pela Brigada de Segurança da fábrica e pelos bombeiros e equipe do Samu, sendo transferidos para o Hospital Municipal acompanhados pela equipe médica da CNC para os primeiros procedimentos.
Elton Rosa já foi liberado e Armando Timóteo foi transferido para um hospital particular. A equipe da CNC está acompanhando os funcionários e seus familiares para prestar todo o suporte necessário.
A fábrica continua em operação e a expedição de cimento está temporariamente suspensa As causas do acidente estão sendo apuradas por uma equipe técnica

ACIDENTE NA BRENNAND CIMENTOS


Atualização Acidente (14:00)Acabei de falar com Rodrigo Landroni, da área de marketing, e José Eduardo, presidente da empresa - Brennand. As notícias são positivas: um funcionário acidentado já recebeu alta e está em casa. O outro permanece internado, ele está no Hospital Nossa Senhora das Graças, mas não corre nenhum perigo.A empresa está avaliado o que ocorreu - a área de expedição da companhia ficará parada.  
Trabalhadores são soterrados dentro de fábrica de cimento em Sete Lagoas 

Minas acumula casos de acidente de trabalho. Os dados de 2010 deixam um alerta para o estado ocupa o segundo lugar no Brasil em número de acidentados

Por Luana Cruz, no www.em.com.br
Mais uma acidente de trabalho entra para a lista negativa que Minas Gerias acumula. Depois dodesabamento do prédio no Buritis, na quinta-feira, em que operários se salvaram por pouco, dessa vez trabalhadores foram soterrados num acidente em Sete Lagoas, Região Central do estado. De acordo com o subtenente Gilson José Rodrigues Nogueira, 3ª Companhia do 7º Batalhão do Corpo de Bombeiros, um filtro usado no processo de moagem de cimento caiu sobre dois operários dentro da empesa Brennand Cimentos. 

Por volta de 0h desta sexta-feira, dois funcionários subiram uma torre de aproximadamente 20 metros para conferir o processamento de cimento no filtro. Eles constataram que havia um acúmulo de pó. O problema estava travando o produção. Segundo o subtenente Nogueira, no momento da checagem o filtro não aguentou o peso e desabou, soterrando os funcionários. 

Depois de quase duas horas de trabalho, os bombeiros conseguiram resgatar Armando Lidário da Silva, de 51 anos, e Helton Rosa Domingos dos Santos, 36, que foram levados para o Hospital Municipal de Sete Lagoas. Equipes do Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu) auxiliaram no atendimento. Armando apresentava fratura no braço esquerdo, laceração na perna esquerda e suspeita de fraturas. Helton sofreu fraturas nas duas pernas. 


Estrutura que caiu sobre os operários dentro da fábrica (Divulgação Corpo de Bomeiros)
Estrutura que caiu sobre os operários dentro da fábrica
“O local estava muito arriscado. A queda do filtro deixou o ambiente instável. Nós também corríamos risco debaixo da estrutura metálica”, afirma o militar. Segundo o subtenente Nogueira, dois engenheiros da empresa acompanharam o resgate. A área foi isolada pela corporação para garantir segurança dos empregados em caso de novos desabamentos. 

O Grupo Brennand está desde 1917 no mercado sucro-alcooleiro, expandindo a atuação para os ramos de industrialização de cerâmicas e azulejos, vidro, cimento e geração de energia elétrica. A instituição ficou quase 12 anos com a produção de cimento parada, mas retornou ao ramo há cerca de 3 meses com a inauguração da fábrica na BR-040, KM 474, em Sete Lagoas. Nessa indústria é processada matéria-prima para produção de cimento. 

Segundo a assessoria da empresa, o filtro que desabou é novo, não havia sucateamento. Técnicos da Brennand e do fabricante da estrutura metálica vão nesta sexta o local do acidente para levantar as possíveis causas. Um laudo técnico deve apontar o motivo do acúmulo de cimento na máquina. 

A Brennand informou que está prestando apoio aos funcionários, um deles da própria empresa e o outro terceirizado da JM Junior. Será providenciada a transferência dos feridos para um hospital particular. As vítimas e os familiares são acompanhados pela equipe médica da empresa. 

Dados do Sistema de Referência em Análise e Prevenção de Acidentes de Trabalho (Sirena), mostram que, em 2010, Minas foi o segundo estado com maior número de acidentados (255) perdendo apenas para São Paulo (570). No Brasil, de janeiro a dezembro, o Sirena analisou 1.944 acidentes de trabalho e foram registradas mortes em 777 (40,0%). Ao todo 2.252 trabalhadores se envolveram envolvidos em acidentes, e deste número, 846 morreram.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

NÃO LHE PERGUNTE SE SUA RESPOSTA É SIM, DEMONSTRANDO QUE QUER OUVIR UM NÃO, DELE

Leonardo Barros e Antônio Pontes
O que Antônio Pontes vai dizer para um pseudo jornalista, mesmo aquele que adiquiriu o diploma, para NÃO ter que fazer exatamente jornalismo, fingindo-se de um... jornalísta?  Esses falsos jornalistas que compõem a minoria do pensamento único de Sete Lagoas, mas são ligados ao velho coronelismo de Sete Lagoas que tenta ainda controlar o que pode e que não pode ser notícia na cidade. "Não, claro que eu não sou candidato. Isso é para os jovens e etc e tal", vai lhes dizer Antônio Pontes.


E por que não vão ouvir um sim como resposta? Porque em primeiro lugar essa não é a hora para ele dizer "Sim eu serei candidato" ou "Sim eu quero ser candidato". Segundo, ele não vai se abrir para quem lhe pergunta querendo ouvir uma negativa da sua parte. Eles vão ouvir não como resposta de alguém que não pode, não deve, neste momento, dizer sim. 


Mas pior para o bom jornalismo do que perguntar a um grande potencial candidato querendo uma resposta negativa é dizer, falar, escrever: "não ele disse que não vai ser candidato"; "é falso que ele vai ser candidato". Ou seja, é acreditar, enquanto a principal regra básica do bom jornalista, sobretudo, de política é desconfiar da resposta objetiva, buscando nos movimentos sutis os fatos.


Aliás, o que Antônio Pontes nunca entendeu direito dessa gente é que o seu sucesso, a sua forma de fazer negócio, o seu mérito, a sua doação, o seu espírito público, a sua vontade de servir vai contra uma cultura do egoismo, da mesquinhes, da pequenez desse coronelismo que tenta a todo custo manter Sete Lagoas fechada. Esses não querem Sete Lagoas na mão de visionário-empreendedor que pode ajudar a libertar o povo das garras dos medíocres.


Esses canalhas sempre quiseram-lhe impor a pencha de sujeito, que rico, não olhava os demais quando é bem o contrário. Esses em nome de defender Sete Lagoas mantiveram-a fechada, refratária a integração para perpetuar esse velho coronelismo que sempre foi parceiro do pior tipo de politicagem, que sempre fez o direito ao bom serviço público um favor das castas as massas. E como se não bastasse o povo ainda é refém do corporativismo que defende todo tipo de benefício ao encastelado funcionário público que de SERVIDOR publico não tem nada, com as louváveis exceções das pessoas que desejam fazer a diferença, mas não têm espaço.


Chega já passou da hora de mudar! Sete Lagoas não pode ser mais essa ilha onde o combustível é mais caro que em lugares mais longe da refinaria e, portanto, o custo é maior, entretanto, o preço é menor que em Sete Lagoas, substancialmente, como Paraopeba. A cidade tem que acabar com todos os carteis que a fazem-na refém de menor e pior oferta de bens e serviços, que o diga o saneamento sem os serviços da Copasa.


Exemplo bom e de superação da cidade fechada foi a construção do Shopping Sete Lagoas, que portanto tempo a mediocridade dominante conseguiu colocar entraves para que o sonho não de um empreendedor só, mas de uma cidade não se tornasse realidade. Que empreendedor é esse? Quem cidade é essa? 


Antônio Pontes Fonseca, o moço pobre que venceu na vida com muito trabalho, fez o Shopping - realizou o sonho de Sete Lagoas ter o Shopping - e fez muito mais, centenas de coisas boas que permanecem ocultas. E esse o grande medo dos porta-vozes do atraso, da velha casta da cidade, do coronelismo. O povo não pode saber quem é Antônio Pontes,  que ele tem sonhos comuns ao do povo como Shopping. Assusta a eles a possibilidade do povo descobri-lo, mais até do que descobrir tudo o que ele fez. Se isso acontecer as pessoas poderiam descobrir o seu compromisso com o bem comum, com o servir. Isso assusta a essa gente velha de mentalidade, mesmo alguns muito jovens, mas de idade mental avançada.


Porque dessa forma encerraria o ciclo nefasto onde a Sete Lagoas vai se alternado desde a fundação entre populistas e elitistas: os primeiros fazem-se de povo para tomar o que é do povo; os segundos, rejeitam o povo porque se consideram os verdadeiros donos do que é de todos: a cidade de Sete Lagoas. Os populistas descuidam da cidade para fazer assistencialismo barato; os elitistas tratam da cidade para si, excluindo o povo com ações excludentes e xenófobas. Muito triste. Por isso, é preciso romper, a médio prazo, com esse ciclo elitista-populista, que em comum tem a mentalidade arcaica. (Este texto terá complemento)

quarta-feira, 27 de julho de 2011

JORGE CONTA AS EXPERIÊNCIAS EXITOSAS DE SUA GESTÃO NA SAÚDE APESAR DO CHEFE RUIM QUE TEM: O MAROCA



Por Natalia Andrade:


Experiências da cidade foram apresentadas na 27ª edição do Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde
Foi realizado entre os dias 09 e 12 de julho de 2011 a 27ª edição do Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde. O evento reuniu mais de 4.700 participantes, entre gestores, profissionais, técnicos, usuários, educadores e pesquisadores da área de saúde de todo o Brasil para debater a “Saúde no Centro da Agenda de Desenvolvimento do Brasil e a Ampliação e Qualificação do Acesso do Cidadão do Sistema Único de Saúde (SUS)”
.
Já considerado um dos maiores eventos sobre saúde pública da América Latina, o Congresso do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS) contou com mais de 140 atividades entre oficinas, seminários, cursos, lançamento de publicações, painéis, mesas redondas e Café com idéias abordando diversos temas ligados a saúde pública e as políticas de saúde, ao SUS e principalmente a gestão municipal de saúde.
EXPERIÊNCIA
O secretário municipal de saúde e gestor do SUS/SL, Jorge Corrêa Neto, participou do evento e apresentou as experiências que Sete Lagoas está passando com a reestruturação da saúde. “Conferência é uma troca de experiências entre os participantes. Levei para os outros secretários nossas experiências exitosas, como exemplo da política de saúde adotada em Sete Lagoas. Essa troca de experiências busca o aperfeiçoamento da gestão do SUS e os serviços prestados aos usuários”, contou.
Em seu pronunciamento de abertura, o ministro da Saúde Alexandre Padilha, afirma que “o evento já se definiu como maior espaço de mobilização, discussão e troca de experiências entre os gestores, trabalhadores, pesquisadores e usuários do SUS”.
Ao longo dos quatro dias de eventos, os participantes discutiram sobre as políticas de saúde adotadas pela esfera federal, estadual e municipal e o respectivo impacto em cada município. Dentre os temas abordados, estiveram a ampliação da comunicação e informação em saúde como estratégia fundamental para o fortalecimento do SUS no processo de valorização social e política e a inclusão da temática da saúde no centro da agenda de desenvolvimento econômico, social e político do Brasil.

TEMAS
Priorizar estratégias de enfrentamento do alcoolismo e drogas, em especial Crack e OXI, também foi um dos eixos abordados na Conferência. Para isso, a necessidade de uma articulação efetiva por meio de ações de comunicação. 
CONASEMS
O Conasems tem as teses que contemplam o pensamento da entidade para atuação e diretrizes, com a finalidade de construir um SUS real e completo, universal, integral e equânime. Durante o congresso, foi lançada a atualização de todas as teses do Conasems.

terça-feira, 26 de julho de 2011

PSD DE SETE LAGOAS SE REUNI E QUER ANTÔNIO PONTES CANDIDATO A PREFEITO

Por Nicanor Fernandes.

O PSD - Partido Social Democrático - criado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e presidido em Sete Lagoas por Leonardo Barros se reuniu pela primeira vez em Sete Lagoas nesta segunda-feira (25). No encontro a nova sigla já tomou duas decisões. A primeira contrariando até a posição de seu presidente que defendia 17 cadeiras na Câmara Municipal para a próxima legislatura, o partido decidiu apoiar a manutenção de 21 representantes. Número aprovado no ano passado pela própria instituição de acordo com a lei federal que permitiu elevar a quantidade de vereadores, mas hoje motivo de amplo debate no município.


Para Dr. Gil, que foi candidato na última eleição municipal e é membro da Executiva do partido, a cidade ganha com 21 vereadores. "Melhora a representação", resumiu.  

A outra decisão que o partido tomou foi a de trabalhar para que Antônio Pontes seja candidato a prefeito de Sete Lagoas. A proposta foi colocada pelo presidente, que contou o diálogo que teve com o o idealizador do Shopping Sete Lagoas. Ele revelou que em conversa que teve com Pontes no dia 16, este se mostrou animado com incentivo que vem recebendo para liderar um projeto para Sete Lagoas.

"Antônio demostrou um animo que eu nunca tinha visto. Ele, porém, fez uma ressalva: disse pra mim que se vencesse ao final do seu mandato já estaria com 77 anos e que assim seria bom uma pessoa que pudesse disputar reeleição. Eu, então, ponderei, dizendo que isso era até muito bom, porque ele não precisava pensar em reeleição e poderia fazer muito desde o primeiro dia, tomando inclusive as medidas difíceis que Sete Lagoas precisa tomar", informou.

O partido decidiu procurar o empresário e comunicar-lhe, oficialmente, que trabalha para ele ser candidato a prefeito de Sete Lagoas, mesmo que não seja pela sigla. "Sete Lagoas preciso dar um salto e Pontes é a pessoa certa para isso", falou um membro do partido que pediu anonimato. 

Debater Sete Lagoas
O PSD que está na fase final para completar as assinaturas e ser oficializado nacionalmente pelo TSE, em Sete Lagoas está mesclando a forma de sua estruturação com membros com mais e menos experiência política. 

Outra estratégia que a agremiação promete implementar para se desenvolver é o debate objetivo de questões públicas do município.

O partido pretende chamar os munícipes para a discussão de temas como saneamento, uso e ocupação do solo, trânsito e transporte e desenvolvimento entre outros decidiu a Executiva partidária
(Da Assessoria de Comunicação) 

segunda-feira, 25 de julho de 2011

VOTO VENCIDO!

Voto vencido! Fui voto vencido. Tive que acatar. Em reunião que acabamos de fazer do partido - PSD de Sete Lagoas - os membros da Executiva deliberam por 21 cadeiras na Câmara Municipal para a próxima legislatura - 2013 a 2016. Fui voto vencido. Gostaria que o partido defendesse 17 cadeiras. Mas venceu a maioria e eu como presidente tenho que acatar a decisão. Argumentei por um crescimento escalonado do número de vereadores justificando que falta compromisso dos edis com a sociedade. Um aumento dessa magnitude resultaria tão somente no aumento da pressão por mais emprego dos apadrinhados políticos dos vereadores eleitos, porém, contrariamente a essa posição o pessoal disse melhoraria a representação política da cidade. Essa é democracia e as decisões interna dos partidos só vão mudar em favor da sociedade quando essa sociedade resolver fazer o seu dever de casa: participar não só votando na eleição, mas também das decisões internas envolvendo-se mais antes das eleições nos partidos.

PATINADOR DE SETE LAGOAS IMPRESSIONA A RENAULT E GANHA CARRO!

Com a manobra que está neste vídeo o patinador de Sete Lagoas, Dim, ganhou um Sandero da Renault. O Concurso era "Impressione a Renault".

PSD JÁ TEM MAIS DE 400 MIL ASSINATURAS

Cronograma Admar Gonzaga, advogado do PSD, diz não ver aperto no prazo(para registro do partido). "O TSE sempre foi célere na análise de novos partidos. E eles [os ministros] têm a responsabilidade de saber que temos um prazo eleitoral [a cumprir]". Segundo ele, até sexta havia mais de 400 mil assinaturas já  validadas em todo o país, o que possibilitaria a legenda a começar nesta semana a ingressar nos TREs com os pedidos de registro.(Do Painel da Folha)

domingo, 24 de julho de 2011

Confirmado: o Brasil é mesmo o campeão mundial em encargos trabalhistas

Levantamento inédito mostra que os encargos já correspondem a um terço dos custos com mão de obra na indústria
Custo brasileiro é 11 pontos porcentuais maior que a média dos 34 países da amostra
Custo brasileiro é 11 pontos porcentuais maior que a média dos 34 países da amostra (Jorge Rosemberg)
Confirmado: o Brasil é mesmo o campeão mundial em encargos trabalhistas. Levantamento inédito da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), feito com base em dados compilados pelo Departamento de Estatística do Trabalho dos Estados Unidos (BLS, sigla em inglês de Bureau of Labor Statistics), mostra que os encargos já correspondem a praticamente um terço (32,4%) dos custos com mão de obra na indústria de transformação brasileira.
Trata-se do valor mais alto de toda a amostra, 11 pontos porcentuais superior à média dos 34 países estudados pelo BLS (21,4%). Na Europa, por exemplo, o peso dos encargos no custo da mão de obra é de 25%.
Quando comparado aos países em desenvolvimento, com os quais o Brasil compete comercialmente em escala mundial, a posição do país é ainda pior. Os encargos são 14,7% dos custos em Taiwan, 17% na Argentina e Coreia do Sul e 27% no México.
Apesar de o título brasileiro de campeão mundial já estar consolidado há um bom tempo no debate econômico, faltavam informações sobre a representatividade dos encargos trabalhistas no custo da mão de obra em um conjunto de países.
No Brasil, os encargos sobre a folha salarial são compostos principalmente pelas contribuições patronais à Previdência Social. No caso da indústria de transformação, a contribuição ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), sozinha, corresponde a 20% da folha de salários.
Há também a contribuição por risco de acidente de trabalho, o salário educação e contribuições ao Incra, Sesi, Senai e Sebrae, que correspondem a até 8,8% da folha de salários.
Somando-se as contribuições do empregador ao FGTS, indenizações trabalhistas e outros benefícios, como o 13º salário e o abono de férias, o total de encargos chegou a 32,4% dos gastos com pessoal da indústria em 2009, ano-base do estudo do BLS.
Para a Fiesp, a indústria brasileira enfrenta uma perda de competitividade que tem levado a um quadro de desindustrialização do país.
(Com Agência Estado)

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Governador Confirmou instalação da Caterpillar em Sete Lagoas

Do meu Facebook, às 12:10 de hoje
Amigos Boa Notícia! O Governador Antônio Antastasia confirmou HÁ POUCOS INSTANTES A INSTALAÇÃO DA CATERPILLAR EM SETE LAGOAS. Ele também já avisou a administração municipal de Sete Lagoas.

EXCLUSIVO - Diretor do SAAE diz que controle da qualidade da água é feito "no olho" e admite que água suja cai no sistema de distribuição da cidade

Entrevistei, em campo - na casa de maquina do SAAE próximo ao PA Central- um dos principais executivos da instituição, o Diretor do SAAE, Sr. Diomedes, e ele contou e mostrou, na prática, como é o processo de manipulação da água que chega as nossas casas pela Autarquia sete-lagoana. É assombroso saber oficialmente o que eu já tinha quase certeza: água que todos em Sete Lagoas consumimos não tem controle científico, mas "NO OLHO". Santo Deus!, será que agora sabendo oficialmente disso a cidade vai continuar tolerando isso??? Com tudo se acostuma, não é?
Eu ia perguntar quantas pessoas que não tendo dinheiro para comprar água mineral são obrigadas a consumir essa água, mas a verdade é que mesmo aquelas pessoas que fazem até comida com água mineral, consomem de alguma foma essa água suja. Afinal para tudo precisamos de água. A falta mais grave que a própria escassez do bem é a sua falta potabilidade - falta de qualidade -, senhores e senhoras. Chega, é preciso dar um basta nisso.
Deve haver uma intervenção humanitária em Sete Lagoas. Se as autoridades aqui não fazem nada, sejam os vereadores, prefeito é preciso como me disse o próprio promotor de justiça buscar outras instâncias. Temos que agir, não é possível tolerar mais isso. É uma vida precária. Onde alguns tem o privilegio de receber água de melhor qualidade, como os vereadores que tem para si 15 copinhos semanalmente da água especial do SAAE, aquela que é envasada e tratada especialmente com pode ver descrito no texto em vermelho. Para nós essa água controlada "no olho". Leiam a descrição e depois assistam e leiam a entrevista do diretor do SAAE:
A água, após ser bombeada passa por várias etapas, com filtros, inclusive barreira ultravioleta com lâmpada específica para matar germes e bactérias, dando ótima qualidade à água. “A água produzida e nesse sistema de abastecimento bateu em qualidade e sabor uma água mineral que é comercializada em Sete Lagoas, provando mais uma vez que a água fornecida pelo SAAE é de ótima qualidade”


Diretor do SAAE - Á água começou a ficar turva, o zelador fica e, ele viu que água começou a mudar a cor.
Blog Leonardo Barros - É ele observa pelo no olho?

Diretor do SAAE - NO OLHO.
Blog Leonardo Barros - Ele já conhece.

Diretor do SAAE - Ele joga água fora. Desvia água do sistema. Existem poços que sujam.

Blog Leonardo Barros - Quando eu cheguei aqui ele tava dentro do negócio COMO ELE SABERIA DISSO – ele [zelador] tava dentro do quartinho.

Diretor do SAAE - É... Onde água cai, ela vem pelo um tubo. VOCÊ TEM QUE VER ÁGUA ANTES DELA ENTRAR NO SISTEMA.
Blog Leonardo Barros - Como eu faço para ver á água antes dela entrar nos sistema, tem como você me mostrar?

Diretor do SAAE – Tem como.

Diretor do SAAE - Aquela não entrou no sistema, ta saindo do poço.

Blog Leonardo Barros – Certo, aquela água ta saindo do poço.

Diretor do SAAE - Então o zelador tem que constantemente vir aqui




Blog Leonardo Barros - Quer dizer o zelador...

Diretor do SAAE - Olha a cor daquela água

Blog Leonardo Barros - Olhar a cor daquela. Se ele estiver turva, ai o que ele faz?

Diretor do SAAE - Desvia aquela água. Ela não cai no sistema. Joga aquela água fora.


Blog Leonardo Barros - E A QUE JÁ CAIU???


Diretor do SAAE - É... O POQUINHO QUE JÁ CAIU ENTRA.


Blog Leonardo Barros - A que já caiu entra. O pouquinho que já caiu entra.

Diretor do SAAE - Mas ele constantemente. Ela não suja assim duma hora para outra, começa dar sinal que vai. Então o zelador vem já vira o registro e já tira ela do sistema.

Blog Leonardo Barros - Interessante quando eu cheguei, o William, só curiosidade, ele tava dentro do quartinho ele não tinha como ver, mas deve ser um descuido dele naquele momento.

Diretor do SAAE
- Não constante ele vem aqui e olha...

Blog Leonardo Barros - A tá, entendi.

Diretor do SAAE - Não é comum sujar.

Blog Leonardo Barros - Tá

Diretor do SAAE - Não é comum.

Blog Leonardo Barros - Mas de vez em quando acontece.

Diretor do SAAE - É! Existe, Existe. Principalmente período chuvoso.

Blog Leonardo Barros - Principalmente período chuvoso, interessante?

Diretor do SAAE - Período seco assim...

Blog Leonardo Barros - Quer dizer, que o processo é a olho nu, se ele percebe que água ta turva ele desvia pra outro lugar.

Blog Leonardo Barros - Olha que curioso gente, interessante: água é observada a olho nu, em caso ela estando cristalina como aquele ali segundo, o Diomendes, ela é mantida no sistema, se caso ela ficar turva o operador desvia a água para outro lugar. É isso mesmo?
Diretor do SAAE - Joga ela fora.

Blog Leonardo Barros - E é feito a olho nu?.

Diretor do SAAE - É isso é feito a olho nu.

Blog Leonardo Barros - É FEITO... A OLHO... É FEITO A OLHO NÚ. REPETE PARA AS PESSOAS OUVIREM. BEM ALTO.
Diretor do SAAE - É FEITO A OLHO NÚ!
(publicado originalmente: Quinta-feira, 3 de Setembro de 2009, às 12:50)

HACKER INVADE SITE DA PREFEITURA DE SETE LAGOAS E DEIXA A IMAGEM E A MENSAGEM ABAIXO NA PÁGINA OFICIAL



O POVO CLAMA POR UM LIDER !!!
Sete Lagoas, culta sonhadora e gentil! Diante das mazelas pelas quais vive, sucumbi e geme a dor do desprezo, do esquecimento, do crescimento desordenado, dos desmandos dos seus agentes publicos.
Como e viver hoje na cidade dos lagos encantados? Uma sucessao de desmandos do executivo, falta de humildade e carinho para com a cidade e seu povo.
O povo clama, por um lider, por um projeto de desenvolvimento que seja capaz de atender igualitariamente todas as regioes; mas pelo que parece voces (Prefeito, Secretarios e Vereadores) nao querem ou nao se importam para as coisas publicas, para as mazelas de uma cidade nascida para o alto onde o desenvolvimento e pujante, mas nao reflete no bem estar e qualidade de vida de seu povo.
O povo esta cansado de factoides, promessas e falta de compromisso dos senhores, queremos coisas tangiveis, resolutivas para todas as regioes da cidades Norte, Sul, Leste, Oeste, do rico ao pobre do nativo ao forasteiro, todo esse povo que movem a engrenagem do progresso desta cidade.
Sete Lagoas (De poema e cancao) do alto da Serra da Santa Helena o progresso parece distante e silencioso e nao capaz de colocar um sorriso no povo SETELAGOANO.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

JORGE ENTREGA TOMÓGRAFO AO HOSPITAL MUNICIPAL DE SETE LAGOAS


Jorge Corrêa Neto, secretário de Saúde, entrega Tomógrafo ao Hospital Municipal

Por Natália Andrade:
A Secretaria Municipal de Saúde informa que até a primeira quinzena de agosto, os setelagoanos contarão com serviço de Tomografia Computadorizada no Hospital Municipal Monsenhor Flávio D’amato (Municipal). A Prefeitura e a Secretaria de Saúde em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde investiram cerca de dois milhões de reais, entre equipamentos, obras e a aquisição do aparelho de tomografia. Na tarde da última terça-feira (19/07), o Secretário de Saúde e Gestor do SUS/SL, Jorge Corrêa Neto e a equipe técnica da Secretaria de Saúde receberam o tomógrafo que foi entregue pelo técnico responsável da empresa fornecedora, Philips do Brasil.
OBRAS
Na ocasião, o secretário destacou que o HM está passando por modificações estruturais não apenas para receber o tomógrafo, mas para viabilizar outras obras que estão sendo realizadas na instituição. “Para recebermos o tomógrafo e realizarmos um atendimento de qualidade, construímos o setor de tomografia dentro dos padrões de qualidade exigidos para o funcionamento do equipamento, com amplas salas de comandos, exames, recuperação pós-anestésico, laudos, utilidades e interpretação, posto de enfermagem, recepção, vestuário feminino e masculino, laboratório de processamento e rouparia, além de um amplo corredor de circulação entre as salas, sendo inclusive substituído o transformador para o fornecimento da energia”, disse Jorge.
Paralelamente a essa ação, o governo municipal está ampliando os leitos de UTI, passando de 5 para 10, com previsão de entrega e funcionamento previsto para o mês de agosto. “O HM também recebeu novas macas móveis que serão utilizadas na UTI, tomógrafo, bloco cirúrgico e Pronto Socorro”, lembrou o secretário.
Para Jorge, as novas construções, aquisições e ampliações representam um grande investimento da administração municipal na área da saúde. “Há um bom tempo que não temos uma Saúde de qualidade em Sete Lagoas. Estamos trabalhando para dar excelência e dignidade no atendimento a população que sabemos que é tão sofrida”, garantiu o secretário.
DEMANDA
A Superintendente de Urgência e Emergência, Solange Ribeiro Paiva, explicou que o novo aparelho atenderá inicialmente a demanda de urgência do HM. “Nossa intenção é realizar a princípio os exames requisitados pela urgência e emergência do HM e, em breve, ampliar a oferta para os demais usuários de Sete Lagoas e região que estão na fila de espera na Central de Marcação”, explicou a diretora.
EQUIPE
A equipe do setor de tomografia será composta por 10 servidores, entre técnicos de radiologia, técnico de enfermagem, enfermeiro, secretária e radiologista que irão trabalhar em regime de plantão. Esses profissionais serão capacitados pelo fornecedor do aparelho, a empresa Philips do Brasil.
GARANTIA
Visando preservar o investimento e a disponibilização do equipamento, o aparelho de tomografia foi adquirido com manutenção de 36 meses. Nesse período, o município não terá custo algum com a manutenção preventiva e corretiva do equipamento. O tomógrafo instalado em Sete Lagoas trata-se de um equipamento de última geração, podendo posteriormente realizar exames como endoscopia virtual e tomografia cardiovascular. Apenas três equipamentos desse modelo foram instalados até hoje no Brasil pela Philips. O Hospital Odilon Behrens, em Belo Horizonte, foi uma das instituições contempladas com esse aparelho, onde realiza cerca de 70 exames por dia.

Folha abre perseguição sem trégua contra o PSD. O foco é atingir Kassab e Serra

A tática é simples. Alguém, de outro partido, planta assinaturas falsas, especialmente de eleitores mortos, nas relações de apoio à criação do PSD. Ou coloca nomes de apoiadores, falsificando suas assinaturas. Depois pega estes nomes e entrega para a Folha de São Paulo, que abriu guerra contra Kassab, prefeito de São Paulo e o fundador do novo partido. Hoje a manchete da Folha é que existe fraude na criação do PSD. A fraude é a manchete do jornal. A fraude é a Folha de São Paulo não assumir que baixou ordem na sua redação e para os seus colunistas para que ataquem virulentamente a gestão Kassab, para que ele não venha a ter protagonismo na próxima eleição municipal. A Folha está servindo, como sempre, a muita gente. Marta Suplicy, sua colunista. Fernando Haddad, que imprime o Enem na gráfica da Folha. Alckmin, que tem a verba de publicidade estadual. E Chalita, que tem a verba de publicidade federal. Em tempo: o PSD está colhendo o dobro de assinaturas necessárias para evitar, justamente, este tipo de armadilha. O novo partido não tem volta. Já é maior que os nanicos DEM, PPS, PTB e outros. A Folha vai gastar muito papel e tinta para quê? Para nada. Ou será que está para sair alguma pesquisa Datafolha, que é da Folha, sendo preciso atacar bastante o prefeito nos dias que a antecedem para que a sua administração apareça com baixa aprovação?  Do Coronel

FAÇO MEU PRIMEIRO RECUO

Caros, faço meu primeiro recuo de um anúncio feito. Não se trata, entretando, de recuar um milimitro sequer sobre o fato em si: desvio de recursos na Prefeitura de Sete Lagoas. Eu apenas não usarei o blog para comunicar tais fatos. Tomarei outras providências, imediatamente, para que a sociedade os conheça. A propósito estou a disposição da impresa sete-lagoana para esclarecer do que trata. Mas como não conto com o interesse dos "jornalistas" sete-lagoanos para revelar as PROVAS colhidas contra a administração Maroca encaminharei-as aos veículos de imprensa sediados na capital.

Leonardo Barros.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Um desconcertante "Nada"

Encontrei-me com uma pessoa amiga e das mais respeitadas de nossa cidade. Ele foi logo perguntando-me: 
"O que você acha da Câmara de Sete Lagoas reduzir o expediente para meio-horário?" Disse-lhe todo indignado, né?: "Um absurdo", pensando até que estava afinado com o amigo, a quem eu mando um forte abraço pela sempre presença, amizade e apoio incentivador. Mas foi aí que ele me surpreendeu. Perguntei e você o que acha?  Ele me responde com um desconcertante: "Nada" e completou: "Não faz menor diferença mesmo, por mim eles funcionavam 15 minutos." E não é que ele pode ter razão.

terça-feira, 19 de julho de 2011

UM TEXTO DE REINALDO AZEVEDO COM 932 COMENTÁRIOS DE LEITORES ATÉ O MOMENTO: "Por que o brasileiro não se indigna e não vai à praça protestar contra a corrupção? Ensaio uma resposta antes de alguns dias de folga"


Juan Arias, correspondente do jornal espanhol El País no Brasil, escreveu no dia 7 um artigo indagando onde estão os indignados do Brasil. Por que não ocupam as praças para protestar contra a corrupção e os desmandos? Não saberiam os brasileiros reagir à hipocrisia e à falta de ética dos políticos? Será mesmo este um país cujo povo tem uma índole de tal sorte pacífica que se contentaria com tão pouco? Publiquei, posts abaixo, a íntegra de seu texto. Afirmei que ensaiaria uma resposta, até porque a indagação de Arias, um excelente jornalista, é procedente e toca, entendo, numa questão essencial dos dias que correm. A resposta não é simples nem linear. Há vários fatores distintos que se conjugam. Vamos lá.

Povo privatizadoO “povo” não está nas ruas, meu caro Juan, porque foi privatizado pelo PT. Note que recorro àquele expediente detestável de pôr aspas na palavra “povo” para indicar que o sentido não é bem o usual, o corriqueiro, aquele de dicionário. Até porque este escriba não acredita no “povo” como ente de valor abstrato, que se materializa na massa na rua. Eu acredito em “povos” dentro de um povo, em correntes de opinião, em militância, em grupos organizados — e pouco importa se o que os mobiliza é o Facebook, o Twitter, o megafone ou o sino de uma igreja. Não existe movimento popular espontâneo. Essa é uma das tolices da esquerda de matriz anarquista, que o bolchevismo e o fascismo se encarregaram de desmoralizar a seu tempo. O “povo na rua” será sempre o “povo na rua mobilizado por alguém”. Numa anotação à margem: é isso o que me faz ver com reserva crítica — o que não quer dizer necessariamente “desagrado” — a dita “Primavera Árabe”. Alguém convoca os “povos”.
No Brasil, as esquerdas, os petistas em particular, desde a redemocratização, têm uma espécie de monopólio da praça. Disse Castro Alves: “A praça é do povo como o céu é do condor”. Disse Caetano Veloso: “A praça é do povo como o céu é do avião” (era um otimista; acreditava na modernização do Bananão). Disse Lula: “A praça é do povo como o povo é do PT”. Sim, responderei ao longo do texto por que os não-petistas não vão às ruas quase nunca. Um minutinho. Seguindo.
O “povo” não está nas ruas, meu caro Juan Arias, porque o PT compra, por exemplo, o MST com o dinheiro que repassa a suas entidades não exatamente para fazer reforma agrária, mas para manter ativo o próprio aparelho político — às vezes crítico ao governo, mas sempre unido numa disputa eleitoral. Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Haddad, ministro da Educação e candidato in pectoredo Apedeuta à Prefeitura de São Paulo, estarão neste 13 de julho no 52º Congresso da UNE. Os míticos estudantes não estão nas ruas porque empenhados em seus protestos a favor. Você tem ciência, meu caro Juan, de algum outro país do mundo em que se fazem protestos a favor do governo? Talvez na Espanha fascista que seus pais conheceram, felizmente vencida pela democracia. Certamente na Cuba comuno-fascistóide dos irmãos Castro e na tirania síria. E no Brasil. Por quê?
Porque a UNE é hoje uma repartição pública alimentada com milhões de reais pelo lulo-petismo. Foi comprada pelo governo por quase R$ 50 milhões. Nesse período, esses patriotas, meu caro Juan, se mobilizaram, por exemplo, contra o “Provão”, depois chamado de Enade, o exame que avalia a qualidade das universidades, mas não moveram um palha contra o esbulho que significa, NA FORMA COMO EXISTE, o ProUni, um programa que já transferiu bilhões às mantenedoras privadas de ensino, sem que exista a exigência da qualidade. Não se esqueça de que a UNE, durante o mensalão, foi uma das entidades que protestaram contra o que a canalha chamou “golpe da mídia”. Vale dizer: a entidade saiu em defesa de Delúbio Soares, de José Dirceu, de Marcos Valério e companhia. Um de seus ex-presidentes e então um dos líderes das manifestações que resultaram na queda de Fernando Collor é hoje senador pelo PT do Rio e defensor estridente dos malfeitos do PT. Apontá-los, segundo o agora conservador Lindbergh Farias, é coisa de conspiração da “elites”. Os antigos caras-pintadas têm hoje é a cara suja; os antigos caras-pintadas se converteram em verdadeiros caras-de-pau.
Centrais sindicaisO que alguns chamam “povo”, Juan, chegaram, sim, a protestar em passado nem tão distante, no governo FHC. Lá estava, por exemplo, a sempre vigilante CUT. Foi à rua contra o Plano Real. E o Plano Real era uma coisa boa. Foi à rua contra a Lei de Responsabilidade Fiscal. E a Lei de Responsabilidade Fiscal era uma coisa boa. Foi à rua contra as privatizações. E as privatizações eram uma coisa boa.  Saiba, Juan, que o PT votou contra até o Fundef, que era um fundo que destinava mais recursos ao ensino fundamental. E onde estão hoje a CUT e as demais centrais sindicais?
Penduradas no poder. Boa parte dos quadros dos governos Lula e Dilma vem do sindicalismo — inclusive o ministro que é âncora dupla da atual gestão: Paulo Bernardo (Comunicações), casado com Gleisi Hoffmann (Casa Civil). O indecoroso Imposto Sindical, cobrado compulsoriamente dos trabalhadores, sejam sindicalizados ou não, alimenta as entidades sindicais e as centrais, que não são obrigadas a prestar contas dos milhões que recebem por ano. Lula vetou o expediente legal que as obrigava a submeter esses gastos ao Tribunal de Contas da União. Os valentes afirmaram, e o Apedeuta concordou, que isso feria a autonomia das entidades, que não se lembraram, no entanto, de serem autônomas na hora de receber dinheiro de um imposto.
Há um pouco mais, Juan. Nas centrais, especialmente na CUT, os sindicatos dos empregados das estatais têm um peso fundamental, e eles são hoje os donos e gestores dos bilionários fundos de pensão manipulados pelo governo para encabrestar o capital privado ou se associar a ele — sempre depende do grau de rebeldia ou de “bonomia”do empresariado.
O MST, A UNE E OS SINDICATOS NÃO ESTÃO NAS RUAS CONTRA A CORRUPÇÃO, MEU CARO JUAN, PORQUE SÃO SÓCIOS MUITO BEM-REMUNERADOS DESSA CORRUPÇÃO. E fornecem, se necessário, a mão-de-obra para o serviço sujo em favor do governo e do PT. NÃO SE ESQUEÇA DE QUE A CÚPULA DOS ALOPRADOS PERTENCIA TODA ELA À CUT. Não se esqueça de que Delúbio Soares, o próprio, veio da… CUT!
Isso explica tudo? Ou: “Os Valores”Ainda não!
Ao longo dos quase nove anos de poder petista, Juan, a sociedade brasileira ficou mais fraca, e o estado ficou mais forte; não foi ela que o tornou mais transparente; foi ele que a tornou mais opaca. Em vez de se aperfeiçoarem os mecanismos de controle desse estado, foi esse estado que encabrestou entidades da sociedade civil, engajando-as em sua pauta. Até a antes sempre vigilante Ordem dos Advogados do Brasil flerta freqüentemente com o mau direito — e o STF não menos — em nome do “progresso”. O petismo fez das agências reguladoras meras repartições partidárias, destruindo-lhes o caráter.
Enfraqueceram-se enormemente os fundamentos de uma sociedade aberta, democrática, plural. Em nome da diversidade, da igualdade e do pluralismo, busca-se liquidar o debate. A Marcha para Jesus, citada por você, à diferença do que querem muitos, é uma das poucas expressões do país plural que existe de fato, mas que parece não existir, por exemplo, na imprensa. À diferença do que pretendem muitos, os evangélicos são um fator de progresso do Brasil — se aceitarmos, então, que a diversidade é um valor a ser preservado.
Por que digo isso? Olhe para a sua Espanha, Juan, tão saudavelmente dividida, vá lá, entre “progressistas” e “conservadores” — para usar duas palavras bastante genéricas —, entre aqueles mais à esquerda e aqueles mais à direita, entre os que falam em nome de uma herança socialista e mais intervencionista, e os que se pronunciam em favor do liberalismo e do individualismo. Assim é, você há de convir, em todo o mundo democrático.
Veja que coisa, meu caro: você conhece alguma grande democracia do mundo que, à moda brasileira, só congregue partidos que falam uma linguagem de esquerda? Pouco importa, Juan, se sabem direito o que dizem e são ou não sinceros em sua convicção. O que é relevante é o fato de que, no fim das contas, todos convergem com uma mesma escolha: mais estado e menos indivíduo; mais controle e menos liberdade individual. Como pode, meu caro Juan, o principal partido de oposição no Brasil pensar, no fim das contas, que o problema do PT é de gestão, não de valores? Você consegue se lembrar, insisto, de alguma grande democracia do mundo em que a palavra “direita” virou sinônimo de palavrão? Nem na Espanha que superou décadas de franquismo.
Imprensa
Se você não conhece democracia como a nossa, Juan, sabe que, com as exceções que confirmam a regra, também não há imprensa como a nossa no mundo democrático no que concerne aos valores ideológicos. Vivemos sob uma quase ditadura de opinião. Não que ela deixe de noticiar os desmandos — dois ministros do governo Dilma caíram, é bom deixar claro, porque o jornalismo fez o seu trabalho. Mas lembre-se: nesta parte do texto, trato de valores.
Tome como exemplo o Código Florestal. Um dia você conte em seu jornal que o Brasil tem 851 milhões de hectares. Apenas 27% são ocupados pela agricultura e pela pecuária; 0,2% estão com as cidades e com as obras de infra-estrutura. A agricultura ocupa 59,8 milhões (7% do total); as terras indígenas, 107,6 milhões (12,6%). Que país construiu a agropecuária mais competitiva do mundo e abrigou 200 milhões de pessoas em apenas 27,2% de seu território, incluindo aí todas as obras de infra-estrutura? Tais números, no entanto — do IBGE, do Ibama, do Incra e da Funai — são omitidos dos leitores (e do mundo) em nome da causa!
A crítica na imprensa foi esmagada pelo engajamento; não se formam nem se alimentam valores de contestação ao statu quo — que hoje, ora veja!, é petista. Por quê? Porque a imprensa de viés realmente liberal é minoritária no Brasil. Dá-se enorme visibilidade aos movimentos de esquerdistas, mas se ignoram as manifestações em favor do estado de direito e da legalidade. Curiosamente, somos, sim, um dos países mais desiguais do mundo, que está se tornando especialista em formar líderes que lutam… contra a desigualdade. Entendeu a ironia?
Quem vai à rua?Ora, Juan, quem vai, então, à rua? Os esquerdistas estão se fartando na lambança do governismo, e aqueles que não comungam de suas idéias e que lastimam a corrupção e os desmandos praticamente inexistem para a opinião pública. Quando se manifestam, são tratados como párias. Ou não é verdade que a imprensa trata com entusiasmo os milhões da parada gay, mas com evidente descaso a marcha dos evangélicos? A simples movimentação de algumas lideranças de um bairro de classe média para discutir a localização de uma estação de metro é tratada por boa parte da imprensa como um movimento contra o… “povo”.
As esquerdas dos chamados movimentos sociais estão, sim, engajadas, mas em defender o governo e seus malfeitos. Afirmam abertamente que tudo não passa de uma conspiração contra os movimentos populares. As esquerdas infiltradas na imprensa demonizam toda e qualquer reação de caráter legalista — ou que não comungue de seus valores ditos “progressistas” — como expressão não de um pensamento diferente, divergente, mas como manifestação de atraso.
Descrevi, meu caro Juan, o que vejo. Isso tem de ser necessariamente assim? Acho que não! A quem cabe, então, organizar a reação contra a passividade e a naturalização do escândalo, na qual se empenha hoje o PT? Essa indagação merecerá resposta num outro texto, que este já vai longe. Fica para depois do meu descanso.
Do seu colega brasileiro Reinaldo Azevedo.
Por Reinaldo Azevedo

932 Comentários VEJA OS COMENTÁRIOS