sexta-feira, 17 de julho de 2009

PMDB rachou em minas


Por Amália Goulart:
O PMDB está em pé de guerra. Ontem os dois grupos rivais do partido, um liderado pelo deputado estadual Adalclever Lopes e outro pelo federal e presidente estadual da sigla, Fernando Diniz, deram início a uma batalha em busca do apoio dos filiados do partido. Lopes é candidato à presidência do PMDB de Minas e Diniz desistiu da disputa para lançar o ministro das Comunicações, Hélio Costa, que também é pré-candidato à sucessão do governador Aécio Neves (PSDB).
Diniz enviou cartas aos filiados do partido, pedindo que reenviem o documento com uma menção de apoio à candidatura de Costa à presidência do PMDB. "Solicitamos ao companheiro que reenvie a declaração de apoio para que possamos apresentá-la ao nosso futuro governador", diz a carta assinada por Diniz.
Em resposta, Adalclever Lopes também enviou um documento aos correligionários, alegando que costa não pode disputar o pleito interno da legenda porque o estatuto do partido não permite que ministros façam parte das comissões executivas. "Alertamos aos companheiros que não se deixem enganar pela desesperada manobra da direção estadual, travestida de gesto de apoio ao ministro", diz a carta de Adalclever.
O deputado acusa Diniz de realizar uma "manobra sórdida", usando o nome de Costa para ganhar o comando do PMDB. "Fernando Diniz é louco. Como viu que não tinha apoio da base, ele ficou desesperado. Está com ódio porque o PMDB não aprova o nome dele", disse, afirmando ainda que seu grupo caminha com Costa na pré-candidatura ao governo de Minas. Diniz não foi encontrado para comentar as declarações.
2010. Ontem, parte da bancada estadual do PMDB almoçou com o ex-prefeito Fernando Pimentel (PT). As eleições de 2010 dominaram a pauta. De acordo com Adalclever e com o líder da bancada, Gilberto Abramo, foi reiterada a disposição de dialogar sobre a possibilidade de caminharem juntos em Minas.
Postar um comentário