sexta-feira, 17 de julho de 2009

Sebastião Helvécio conselheiro eleito do TCEMG dá um mal exemplo ao exigir a manutenção de seus assessores pelo suplente Ronaldo João.


A notícia em Sete Lagoas confirmada pelo suplente Ronaldo João de que o conselheiro eleito para o Tribunal de Contas de Minas Gerais, Sebastião Helvécio pediu-lhe a manutenção dos seus assessores é absolutamente incompatível com a ética e, sobretudo, é conflitante com o comportamento de um membro do Conselho que vai julgar o resultado da ação de outros agentes políticos.

É impossível compreender e aceitar que o conselheiro eleito do Tribunal de Contas de Minas Gerais faça tal imposição. É dele que deve vir o bom exemplo. E tal atitude é exemplar no sentido negativo.
Postar um comentário