segunda-feira, 27 de julho de 2009

Quem pode julgar as minhas críticas são os leitores, o poder público é suspeito para fazê-lo


Recebi de um gestor do primeiro escalão local o comentário, preservo a sua identidade por ter sido um e-mail pessoal, mas a ideia pode ser discutida. Leiam primeiro que ele diz em azul sobre a crítica que fiz em relação ao envasamento de água (A CIDADE VAI ENGOLIR ESSA ESCOLHA?), volto em seguida:

Um assunto não inviabiliza outro [água envasada no copinho x água distribuída pela rede pública]. Criticar só por criticar também não acrescenta nada, aliás é muito mais fácil essa postura do que a de construir.

Voltei
Quanto a distribuição de água envasada pelo SAAE com um sistema de produção melhor que o da água distribuída em grande escala é totalmente injusto com a população. Essa posição não é apenas uma "crítica pela crítica" é uma forma de revelar a sociedade o tipo de escolha política. Veja que O SAAE está priorizando uma ação marketeira à uma ação estruturante no que diz respeito ao tratamento da água. E considero difícil a cidade concordar com essa opção. Ou o SAAE envasa a mesma água que entrega para a população como faz a Copasa ou ela entrega a população a mesma água que envasa.

Ademais, com o passo seguinte que pretende dar o SAAE com a comercialização dessa água de melhor qualidade o conflito de interesses está claro. Uma atividade é conflitante com a outra. Se a população tiver em casa a mesma qualidade da água que a envasa e a distribuída pelo copinho ela não tem razão para comprar a do copinho. Assim, o SAAE ao contrário enfrentar o interesse privado que explora a população com água mineral, ele faz o quê? Vai explorar também a população ao envasar água especial. ISSO É UM AFRONTA A POPULAÇÃO!

Volto ao que ele classifica de "crítica pela crítica". O que seria isso? Uma crítica vazia apenas para fazer oposição? Bem, acho que qualquer um que lê o que escrevo sabe que a repercussão do que se fala aqui ocorre porque não se trata de fazer críticas vazias. Marcos Barbosa radialista, intelectual, professor... me disse que estava numa roda pessoas e que falavam de assuntos de interesse público Sete Lagoas e "só se ouvia falar o seu nome" [o nome deste escriba]. Então a sociedade é quem pode avaliar o que se escreve aqui. O poder público local sinto muito, amigo, é suspeito para julgar o que este blog escreve.

Ademais, fosse assim os elogios e reconhecimento ao trabalho quando se considera correto poderia ser considerado um reconhecimento pelo reconhecimento. Mas aqui a equação é assim: o que é bom na visão deste blog que se pauta pela lógica e valores democráticos, é valorizado para incentivar a continuidade o contrário é criticado firmemente para que seja descontinuado. Entendeu?

Em tempo. Arturzão do meio ambiente pediu que eu informasse que já tem uma semana que falta água na Estiva. Mas a preocupação principal do SAAE nesse momento parece ser o envasamento de água, não é mesmo?
Postar um comentário