quinta-feira, 9 de julho de 2009

Em dia de encontro com o DEM, Aécio diz que PAC é populista

(data original da postagem 10 de julho: 07:14)
Alvo. Como tem feito nas últimas semanas, governador faz duras críticas a programas do governo Lula. Motivado pelo coro, tucano declara que ações são usadas como propaganda

Guilherme Ibraim
Especial para O Tempo
Aproveitando a visita ontem de parlamentares do DEM, o governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), voltou a adotar um tom crítico contra a política de investimentos do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Os ataques foram feitos ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), carro-chefe da ministra Dilma Rousseff (PT), possível candidata à sucessão presidencial. O tucano chegou a classificar o PAC de populista, comentou outras iniciativas e adiantou que os partidos de oposição vão criar um "confronto político" com o governo Lula.Segundo ele, o governo tem utilizado o PAC para fazer marketing. "Há muita propaganda que não corresponde às ações concretas que estão sendo tomadas", cobrou Aécio.
O governador também criticou o Luz Para Todos, programa criado em 2003 pelo para levar energia elétrica a cerca de 10 milhões de pessoas. Aécio afirmou que o governo federal não tem dado crédito às ações feitas por Minas Gerais.
"Esse programa Luz para Todos, em Minas Gerais, tem 70% dos seus recursos bancados pelo Estado. O governo (federal) entra com cerca de 30% e se apropria como se fosse ele, solitariamente, o responsável por esse programa", disse.
Nos últimas semanas, o governador de Minas tem intensificado as críticas às ações no governo Lula. Na terça-feira, por exemplo, durante solenidade pelos 15 anos do Plano Real, em Brasília, ele questionou a concentração de receita na União, que chamou de "presidencialismo imperial". Durante a visita de ontem, o presidente nacional do DEM, deputado federal Rodrigo Maia (RJ), classificou o PAC de "agenda do passado" e disse que o programa não tem nenhuma preocupação com "o desenvolvimento ambiental ou com a construção de um sistema tributário mais equânime", disse.
Além de Rodrigo Maia, também participaram de um almoço oferecido pelo governador de Minas no Palácio das Mangabeiras os deputados democratas Antônio Carlos Magalhães Neto (BA), Ronaldo Caiado (GO), Carlos Melles (MG), o líder do partido no Senado, José Agripino Maia (DEM-RN), e o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda. Continue lendo
Postar um comentário