quarta-feira, 21 de outubro de 2009

UM PATRIMÔNIO DE R$ 100.000.000,00 MILHÕES DE DÍVIDA

O SAAE é nosso! Foi o que gritou triunfalmente em outras palavras, o presidente da Câmara de Sete Lagoas nesta terça-feira na reunião. Assim, não vou perder o dedo mindinho. Apostei nesse discurso pelos vereadores para o PAC DO ENDIVIDAMENTO E DA CONTRAPARTIDA, QUE CHAMAM DE PAC ÁGUA. Não errei.

Foi Batata. Não deu outra e a principal voz triunfante foi mesmo a do presidente da Casa, vereador Duílio de Castro. Ele esbaldava felicidade por ter "esperneado" na época em que era oposição contra a proposta da situação de trazer a Copasa. Relembrou seus panfletos, que diga, foram eficientes em assustarem a população, na época, contra a vinda da estatal mineira ao dizer que a conta era mais cara - eu ainda não tinha o blog para ajudar a desmascarar a mentirada, a conversa mole e fajuta. Hoje a população tem certeza que o verdadeiro preço alto é a falta de qualidade da água e a sua escassez, pois ouvimos por todo lado: "Prefiro pagar mais caro mas ter água de qualidade em casa."

MAS DUÍLIO, MÁRCIO REINALDO, MAROCA E CIA, PODEM COMEMORAR. ELES CONSEGUIRAM GARANTIR UM PATRIMÔNIO DE R$ 100.000.000,00 DE DÍVIDA PARA SETE LAGOAS. ESTE É O VALOR DO SAAE APÓS A CONTRATAÇÃO DO EMPRÉSTiMO DO BNDES, COM JUROS E CORREÇÃO. E têm outros detalhes mais no post que vem a seguir.

A propósito, a professora Maria Lisboa que esteve há poucos dias pedindo dinheiro à secretária estadual de Educação, Vanessa Guimarães, para construir a Escola Helena Branco no fundo da FUMEP e levou um não, pode recorrer aos defensores do "Patrimônio". Só tem um detalhe: eles terão que tirar do bolso porque a cidade não tem mais como se endividar não. Vaquinha já Duílio, você não acha que a educação merece?
Postar um comentário