terça-feira, 20 de outubro de 2009

Para Maroca PAC ÁGUA herdado de Leone será o projeto mais importante dos quatro anos do seu governo; o projeto endivida e não resolverá a falta d'água

Do site do poder municipal:
O problema da falta de água em Sete Lagoas está próximo do fim. O primeiro passo para uma solução definitiva foi dado na manhã desta segunda-feira (19), quando o prefeito Mário Márcio Maroca, o secretário de Obras, Paulo Rogério Campolina Paiva, e engenheiro responsável pelo PAC, Geraldo Guaraci, assinaram a ordem de serviço para o início das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Água. Serão investidos R$ 32 milhões do governo federal e R$ 16 milhões, mediante empréstimo junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
Para o prefeito Maroca, a segunda-feira é um marco na história de Sete Lagoas. Essa é, talvez, a maior obra dos quatro anos de minha administração. É, sim, um dia histórico para Sete Lagoas”, disse Maroca, que entregou o documento com a ordem de serviço ao representante do consórcio responsável pela obra, Hefren Junius Zuccheratte. “Esta data é uma marca muito importante na história de Sete Lagoas. Já passaram vários prefeitos e você, Maroca, está realizando esta obra. O documento enviado pelo Ministério das cidades mostra que Sete Lagoas cumpriu todas as metas. Como sete-lagoano fico muito feliz em saber que estou ajudando a minha terra”, complementou o deputado federal Márcio Reinaldo, que auxiliou na conquista dos recursos para a obra.

NOVOS RESERVATÓRIOS
Além da construção de 13 reservatórios de água, alguns com capacidade para 2,5 milhões de litros de água, serão construídos 32km de redes internas dentro da malha urbana, entre adutoras e rede de distribuição de água. Todo o sistema de distribuição de água será integrado. “Com esta integração haverá maior equilíbrio entre os locais de maior produção com os de menor produção de água. Isso quer dizer que o problema de falta de água será minimizado. Dentro desta obra já estão incluídos seis quilômetros de rede de captação de água do Rio das Velhas, indo desde o Jardim Primavera até o bairro São João”, disse o secretário de Obras, Paulo Rogério Campolina Paiva. Os outros 23km, para captação de água do Rio das Velhas, serão construídos numa segunda etapa da obra. O certo é que, nesta etapa, a cidade já ficará preparada para receber a água do rio das Velhas. “Já estamos recebendo recursos de R$ 16 milhões através do BNDES e nos próximos dias serão liberados mais R$ 56 milhões, perfazendo os R$ 72 milhões do empréstimo. Quando esta obra for finalizada, aí sim, podemos dizer que o problema da falta de água de Sete Lagoas não existirá mais”, finaliza Paulo Rogério.

Aqui o momento da assinatura da ordem de serviço:
Postar um comentário