terça-feira, 20 de outubro de 2009

Rogério Avelar acusa despreparo da oposição por boato de sua prisão


Chefe do Executivo diz que adversário aproveitou viagem para prejudicá-lo
Do O Tempo:
O prefeito de Lagoa Santa, Rogério Avelar (PPS), vai ajuizar uma queixa-crime contra o servidor municipal Magno Fernando Barcelos por calúnia e difamação. Barcelos enviou um comunicado às redações de jornais, revistas e a emissoras de rádio e TV sobre um suposto "sumiço" do prefeito.
Magno Barcelos, que se identificou como servidor municipal, disse que "na ultima quinta-feira, 15 de outubro, pessoas e vizinhos disseram que viram o prefeito sair algemado de sua residência". A mensagem, enviada por e-mail, foi intitulada pelo servidor com a expressão "prefeito de Lagoa Santa foi preso".
Barcelos ocupa um cargo comissionado na Câmara Municipal de Lagoa Santa. Ele é indicado político do presidente da Casa, o vereador Genesco Aparecido de Oliveira Neto (PMDB), que é filho do ex-prefeito Genesco Aparecido - derrotado por Avelar nas eleições de 2008. Magno Barcelos trabalhou na campanha do peemedebista no ano passado.
Segundo o prefeito de Lagoa Santa, adversários políticos se aproveitaram de sua ausência temporária para "espalhar boatos". "Eu estava em viagem a Natal, no Rio Grande do Norte, onde representei a Confederação Nacional da Central de Abastecimento do Brasil (Brastece). Trabalhei na prefeitura até 20h da última quarta-feira, quando embarquei para Natal. O motivo da viagem era de pleno conhecimento dos funcionários da prefeitura", esclareceu Avelar, que é vice-presidente da Brastece.
O prefeito afirma que essa não é a primeira vez que seus opositores "criam calúnias" contra ele. "Há pouco tempo, eles (a oposição) usaram um carro de som para ficar pelas ruas divulgando inverdades, acusações mentirosas. Agora, novamente, recorrem a calúnias", afirmou, referindo-se ao comunicado divulgado por Magno Barcelos aos veículos de imprensa.
"É público e notório que há uma campanha de alguns opositores contra a nossa gestão. Lagoa Santa passou 12 anos sendo administrada por uma mesma família e, agora, há pessoas que ficam incomodadas com o novo modelo político que nós criamos no município", argumenta Avelar.
Viagem oficial. O transtorno teria ocorrido porque o prefeito participava de um evento na capital potiguar. "Desembarquei no aeroporto de Confins no domingo (anteontem) por volta de 22h. Fiquei incomunicável porque estava viajando. Assim, eles (a oposição) se utilizaram de má-fé para divulgar informações inverídicas", explicou o prefeito.
No início de seu mandato Rogério Avelar já havia enfrentado problemas com adversários. O ex-prefeito Genesco Aparecido Júnior (PMDB) protocolou, em abril, junto ao Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), um processo contra o prefeito, em que pedia a cassação do mandato de Avelar. O plenário do TRE-MG, no entanto, absolveu o prefeito de Lagoa Santa por unanimidade - com seis votos a zero contra a ação de Genesco.
"O que se percebe em Lagoa Santa é um visível despreparo da oposição", completou Rogério Avelar. O prefeito, que também é presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Granbel), disse que vai submeter esse imbróglio ao secretário estadual de Defesa Social, Maurício Campos Júnior. "Os casos de perseguição política, como os que venho sofrendo, são também uma questão de segurança", afirmou.
Postar um comentário