quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Impasse sobre servidores resiste ao recesso e ameaça votações na Assembleia


Por Rafael Gomes, O Tempo:
A Assembleia Legislativa de Minas iniciou os trabalhos em plenário ontem com um antigo impasse entre a oposição e a base aliada para solucionar. O bloco PT-PMDB-PCdoB afirma que não foi cumprida a promessa do governo de recontratar os agentes penitenciários demitidos após a greve do final do ano passado. Por conta do compromisso firmado, a pauta foi liberada em dezembro e o governo conseguiu aprovar projetos urgentes, como o do orçamento.

Além disso, os deputados estão diante de outro problema: o governo não liberou recursos para cerca de 90% das emendas de bancada da Casa.

Ontem, na primeira sessão plenária, os oposicionistas demonstraram indignação a respeito da situação dos agentes. O vice-líder do bloco, Vanderlei Miranda (PMDB), lembrou que a promessa foi feita pelo secretário de Governo, Danilo de Castro. "Ao não respeitar o acordo, ele (Danilo) prejudicou a imagem do governador", disse.

O líder do governo, Mauri Torres (PSDB), alegou que o processo de recontratação dos agentes está em andamento, e demonstrou tranquilidade. "Se for esse o motivo da reclamação, não haverá obstrução de trabalho. O acordo será cumprido", prometeu.

Projetos. O impasse pode atrapalhar a votação de projetos que chegaram à Casa durante o recesso. Um deles prevê a criação do Núcleo Gestor da Cidade Administrativa, que já começa a atuar neste mês. O grupo será responsável por gerenciar a nova sede do governo - uma espécie de prefeitura. O custo anual do núcleo é estimado em R$ 945,3 mil. Mais aqui
Postar um comentário