sábado, 13 de fevereiro de 2010

"Esse energúmeno é contra o atendimento dos cegos, é contra os deficientes físicos, é contra os ônibus escolares"

da Folha de S.Paulo:

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), chamou um manifestante de "energúmeno" (pessoa exaltada, que fala, gesticula com veemência) ontem, durante solenidade de entrega de 57 ônibus escolares na cidade de Guararapes (558 km da cidade de SP).

Carregando faixas e identificando-se como da Apeosp (sindicato dos professores), um grupo de manifestantes usava apitos para encobrir o discurso de Serra, enquanto a plateia, em maior número, gritava o nome do governador.

Serra perguntou se ali, no público, havia alguém contra a entrega de ônibus e investimentos do governo. Em resposta, ouviu um coro de "não".

O governador solicitava apoio dos prefeitos para a instalação de hospitais destinados a portadores de deficiências físicas, quando foi interrompido por um manifestante que, de acordo com a sua assessoria, xingava Serra.

"Esse energúmeno é contra o atendimento dos cegos, é contra os deficientes físicos, é contra os ônibus escolares [...]é contra tudo e todos", reagiu o governador, ainda segundo assessores que estavam no local.

Aplaudido pelo plateia e sob vaias dos manifestantes, Serra disse que estava trabalhando ali, mas que os que protestavam faziam "campanha" política.

O manifestante --que havia se aproximado do palanque-- foi retirado da plateia por policiais porque, segundo a assessoria do governador, tinha desacatado Serra com ofensas.

Cheques

Antes, o governador havia entregado cheques de R$ 900 a moradores de São Luiz do Paraitinga, umas das cidades mais prejudicadas pelas chuvas que atingem o Estado.
O valor equivale a três meses do auxílio-moradia emergencial lançado pelo governo do Estado. Alguns moradores subiram ao palco e receberam os cheques das mãos do governador e de secretários estaduais.

Após o evento, uma fila de moradores foi formada na quadra de uma escola municipal. Segundo o governo, 308 famílias serão beneficiadas.

Algumas famílias deverão receber até R$ 1.900. Isso porque Serra lançou o programa Novo Começo, que, além do auxílio-moradia, destinará R$ 1.000 para que famílias atingidas pelas chuvas comprem móveis e outros objetos perdidos.

"Se depender de mim, ele será presidente", afirmou a dona de casa Alessandra Fernandes, 33, após receber seu cheque.

Para Fernando Neves, ex-ministro do TSE, a entrega dos cheques não configura infração à legislação eleitoral "desde que não haja pedido de voto". A prática se configura como "atividade de governo", diz ele.

Comentário Reinaldo Azevedo:
O único pecado da fala é a contenção. É preciso dizer as coisas com todos os “pês” e todos os “tês”: os petistas estão procurando surfar na desgraça dos paulistas, em especial dos paulistanos, e fazem uma exploração eleitoreira vergonhosa das enchentes, em particular daquelas que atingem a capital, como se cidades administradas pelo PT — a exemplo de Osasco e Guarulhos, onde o partido está no poder há NOVE ANOS — não tivessem sofrido com os mesmos problemas. Guarulhos tem também o seu “Jardim Pantanal”, um bairro permanentemente alagado, que não rende notícias de jornal e plantões de jornalistas de TV.
Postar um comentário