quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

PLANILHA DO PAC CONTRADIZ E-MAIL DO DEPUTADO MÁRCIO REINALDO E MOSTRA QUE BAIRRO VERDE VALE FOI ABANDONADO

Depois do e-mail da moradora do Bairro Verde Vale ao Fernando Cabrera que denuncia a situação haitiana do local com obras paralisadas, esgotos a céu aberto e cobra as autoridades pelo descaso, o deputado Márcio Reinaldo mandou ao Cabrera um e-mail tentando tirar o corpo fora sob a justificativa que pode ser resumida no trecho em vermelho, volto em seguida:

"Quero destacar que o meu trabalho fundamental como Deputado Federal foi garantir que cerca de
30 milhões de reais para Desfavelização das Cidades, chegasse até a nossa terra e que uma parte desse montante junto com outra verba de esgoto pluvial fossem processadas não só na construção de casas mas no esgoto pluvial no Bairro Verde Vale."

A verdade no entanto o projeto do PAC "Urbanização de Favelas" para Sete Lagoas os recursos estão muito longe de R$ 30 milhões, são exatos R$ 23 milhões, e muito menos que as cidades de Pedro Leopoldo e Vespasiano que receberam respectivamente R$ 27,5 milhões e R$ 50 milhões para mesma função, urbanização. E tem outra realidade que confronta com o argumento do deputado Márcio Reinaldo: no projeto do PAC não existem recursos para o Bairro Verde Vale, diferentemente do que afirma o deputado. Os Bairros contemplados como pode ser visto na planilha do PAC são Padre Teodoro, Alvorada, Planalto, Montreal, Monte Carlo, Itapoã, Iraque e Kuwait. Eu já havia questionado isso. Quer dizer, o deputado como mostra a planilha dos recursos do PAC planejada em 2007 ignorou o Bairro Verde Vale, abandonando, já na época, os sofridos moradores daquela região a própria sorte, porque como verão abaixo tinha outra prioridade não deixar a Copasa vir para Sete Lagoas, por isso sacrificou as verbas para urbanização.


Para ver a planilha do projeto do PAC para o estado é só clicar em PAC MINAS GERAIS. Sim, diferente do que foi propalado, que Sete Lagoas foi a cidade que recebeu mais recursos do PAC, no que diz respeito a urbanização é uma grande falácia. E quanto ao saneamento que eles incluem para dizer que a cidade foi privilegiada, o fato é que Sete Lagoas por pressão do deputado Márcio Reinaldo sobretudo, trocou uma proposta de R$ 162 milhões, que contemplava água e tratamento de esgoto, sem contrapartida e endividamento, por R$ 125 milhões, sendo R$ 77 mihões de financiamento-endividamento e R$ 8,6 milhões de contrapartida. Ah, sim: sem recursos para o tratamento do esgoto. Essas são algumas das coisas "boas" que o deputado faz por Sete Lagoas. Por que será?
Postar um comentário