terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

"Quando o gato afasta os ratos tomam conta"

Uma das características dos charlatães é contar histórias de seus próprios personagens fantasiando ou invertendo acontecimentos. Eles revelam tudo o que são através dessas narrativas, quem os identifica sabe que eles estão falando de si mesmos. No fundo querem ajuda. Me deparei com muitas dessas figuras em processos de seleção. E vejam que coisa, o senhor Edson Paredão contou na última sexta-feira algumas estórias que me fizeram lembrar desses charlatães. Acho que é o fato de ele hoje estar tentado tomar conta do pedaço político depois que alguns "caciques" locais como o seu, por muito tempo, desafeto Marcelo Cecé afastou-se. E coincidência na estória que ele conta "quando o gato afasta os ratos tomam conta". Ao ouvir a sua ilustração que deixei aí para vocês tirarem as próprias conclusões, não sei o que aconteceu, me fez lembrar dos casos em o sujeito está falando de si mesmo. Será que é o caso?

"Porque, uma vez, eu era dono de uma frota de Taxi, em frente a Lagoa Paulino tinha a barraca de Gerônimo e Dr. Cirilo toda noite depois da faculdade ia lá chupar uma laranja; Dr. Pite e chegou e me falaram assim você vai candidatar mesmo a vereador. Eu falei vou. O Dr. nós precisamos mudar a Câmara vamos por umas pessoas boas lá, vamos entrar o Sr. é diretor, presidente da, da, da, na época da, da, da faculdade porque que o Sr. Dr. Cirilo não candidata (irmão do Dr. Juvenal que é amigo, que é pai do Maroca, do Paulinho, do Celsinho.) Aí ele pegou e olhou: Paredão se eu me candidatar, entre eu e Pifan, eu e Cicília preto, ou eu e Geraldo da barraca eu perco, eles vão ganhar de mim. Eu falei não Dr. quando as pessoas que tem capacidade afastam, aquela história mais no popular quando o gato afasta os ratos tomam conta."
Postar um comentário