segunda-feira, 22 de julho de 2013

PRAÇA DA LIBERDADE - CORETO - EM BELO HORIZONTE - MINAS GERIAS. O CORETO FOI ENTREGUE NESTE DOMINGO 21 DE JULHO DE 2013


Coreto foi reinaugurado após dois anos fechado

O coreto da Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, foi entregue à população neste domingo (21). A partir um termo de cooperação firmado pelo Governo de Minas, que garantiu a realização de obras de restauração, um dos maiores símbolos arquitetônicos do Estado foi reaberto ao público. Uma diversa programação cultural para crianças e adultos marcou a reinauguração. As atrações e apresentações se estenderam por toda a manhã deste domingo, com teatro de bonecos, roda de choro, sarau de poesia e exibições de dança.
O termo de cooperação foi assinado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG), oInstituto Cultural do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG Cultural) e a Associação dos Notários e Registradores do Estado de Minas Gerais (Anoreg-MG), que garantiu as obras de revitalização no coreto da Praça da Liberdade.
Após quase dois anos interditado, o coreto da Praça da Liberdade está com forro, cobertura, piso, guarda-corpo, porão e pintura externa recuperados. A partir da parceria firmada pelo Iepha, BDMG Cultural e Anoreg-MG, o monumento recebeu orientação técnica da restauradora Maria Renina Reis Ramos. As atividades contaram, ainda, com apoio do Circuito Cultural da Praça da Liberdade e da Prefeitura de Belo Horizonte.
Patrimônio histórico
Erguido no centro da Praça da Liberdade em 1913, a estrutura artística de ferro com base em alvenaria sempre foi um espaço tradicional de cultura e lazer para a população mineira. Por décadas, aos domingos, lá se reuniam inúmeros belo-horizontinos para apreciar as apresentações promovidas pela Banda Musical do 1º Batalhão da Brigada Policial de Minas Gerais. O local também foi ponto de encontro de escritores e intelectuais.
O Conjunto Arquitetônico e Paisagístico da Praça da Liberdade foi tombado pelo Iepha-MG em 1977. De acordo com os levantamentos reunidos no dossiê de tombamento, o coreto já fazia parte do projeto original da praça, concebido pelo arquiteto Luiz Olivieri e, após a remodelação do espaço por ocasião da visita dos reis Belgas a Belo Horizonte, em 1920, teria sido o único elemento preservado do antigo desenho da praça, conforme registros históricos.
Postar um comentário