BRASIL UM PAÍS CARO PARA OS BRASILEIROS




Preço é, talvez, o indicativo mais importante da situação estrutural e conjuntural da economia de um país, assim como é o demostrativo da eficiência e eficácia do seu modelo de desenvolvimento. E quando a gente olha para esse dado comparando com outros país a situação brasileira é estarrecedora. O Estadão revelou que, com renda menor o brasileiro paga preços próximos ou mais caros que os europeus, americanos. Vejam um único exemplo de vários que tem matéria: 12 ovos no Carrefour SP custam R$ 4,59. No Carrefour de Barcelona, a dúzia sai por R$ 3,64. Nos Estados Unidos, o preço é de R$ 4,51.



Isso é uma clara consequência do baixo investimento tornando-o consumidor refém de poucas e caras ofertas, consequência também do "Custo Brasil" que é alta carga de impostos, sistema tributário complicado, infraestrutura capenga. Portanto, é um ciclo vicioso que leva essa contradição de baixa renda e preços altos. Mudar isso é uma prioridade pra mim e deve ser essa também a busca do próximo governo. O Brasil precisa reformular-se em todos estes pontos econômicos nefrálgicos da equação econômica para ser um país competitivo para que o cidadão disponha de preços melhores. E, meus caros e caras, eu posso dizer como sabe quem me acompanha há mais tempo, a questão econômica sempre foi objeto da minha atenção, na busca de fazer essa reflexão qualificada, esse debate que conscientiza e pode mudar o rumo dos acontecimentos.









E esse assunto que pode ser chato para muitos é do meu meu interesse desde 20 anos de idade e só se fortaleceu com uma formação multidisciplinar no mercado. Tive uma trajetória profissional diversificada, uma experiência que trouxe um rico aprendizado para quem gosta de compreender a equação micro e macro do desenvolvimento. Ou seja, tanto é fundamental que o empresário seja um bom gestor, quanto o país também seja bem gerido e tenha parlamentares com visão do todo. Estou preparado para contribuir para melhorar a competitividade brasileira e, por consequência, a nossa vida, porque tenho a visão clara dos fundamentos econômicos.


domingo, 14 de julho de 2013

PESQUISA PARA PRESIDENTE DA REPÚBLICA - ELEIÇÃO 2014 - CANDIDATOS, ELEIÇÃO, ELEITORAL, INTENÇÕES DE VOTO.

Pesquisa Vox Populi feita antes dos protestos mostra que Serra é mais competitivo que Aécio para disputa de 2014

José Serra chegava antes dos protestos a 18%, enquanto Marina 13%. A petralha, Dilma Rousseff, venceria no primeiro turno, porém, após os protestos ela caiu fragorosamente. Os institutos Datafolha e Ibope, esconderam o nome de Serra após a mobilização das ruas, mas como Dilma caiu para casa dos 30 pontos, a uma movimentação eleitoral que pode beneficiar diretamente seu principal oponente identificado pelo eleitor.

    Antes das manifestações Dilma obtinha 51, enquanto Serra teria 18%, Marina, 13% e Campos ficaria com 3% das intenções de voto.
    No cenário com Aécio, Dilma teria 53% das intenções de voto quando enfrenta Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (Rede) nas urnas. O tucano teria 15% da preferência dos eleitores e a senadora e ex-ministra do Meio Ambiente, 14%.
    Mas tudo isso antes do Brasil ir a rua, depois medido pelo Ibope e Datafolha, que como já disse, escondeu Serra, a petralha, Dilma Rousseff caiu para a casa dos 30%. Ou seja, José Serra pode ter até ultrapassado a petista. 

0 comentários: