terça-feira, 23 de julho de 2013

MATÉRIA DA VEJA BH SOBRE O VETOR NORTE DE BELO HORIZONTE "DESBRAVADORES DO VETOR NORTE" LEIA ABAIXO

Vetor Norte de BH atrai moradores que buscam espaço e contato com a natureza

Novos condomínios e loteamentos transformaram a paisagem na região metropolitana

por Luisa Brasil | 24 de Julho de 2013
Gustavo Andrade/Odin

Os representantes de laboratório Vinícius e Izabela Delucca com os gêmeos Henrique e Rodrigo: parquinho, galinhas e piscina no quintal

No quintal de casa, os gêmeos Henrique e Rodrigo, de 3 anos, têm diversão de sobra. Dá para brincar no balanço e no gira-gira, regar as plantas da horta, colher frutas no pomar, alimentar as galinhas e correr pelo gramado com o boxer de estimação da família. “Tentamos resgatar valores de antigamente”, diz o pai dos meninos, o representante de laboratório Vinícius Delucca. “Não queremos que eles cresçam focados em computadores e videogames”, explica a mãe, Izabela, também representante de laboratório. No fim do ano passado, eles trocaram o apartamento no bairro Fernão Dias por uma espaçosa casa em São José da Lapa, na região metropolitana. Todos os dias, os Delucca têm de percorrer 22 quilômetros até a capital, onde o casal trabalha e as crianças estudam. Mas garantem que a qualidade de vida que encontraram no novo endereço compensa o desgaste no trânsito. Histórias como a deles são cada vez mais comuns no chamado Vetor Norte, que, de acordo com a Secretaria de Estado Extraordinária de Gestão Metropolitana, engloba oito cidades (Confins, Jaboticatubas, Lagoa Santa, Pedro Leopoldo, Santa Luzia, São José da Lapa, Ribeirão das Neves e Vespasiano), além dos bairros das regionais Norte e Venda Nova de Belo Horizonte. A área é a nova fronteira de desenvolvimento na região metropolitana e cresce em um ritmo impressionante. Nos dois últimos anos, o governo autorizou a abertura de mais 74 loteamentos por lá. No mesmo período, foram liberadas 21 licenças para o Vetor Sul, que inclui Brumadinho, Ibirité, Nova Lima e Rio Acima. Entre 2007 e 2010, enquanto a capital perdeu população, algumas cidades do Vetor Norte registraram mais de 10% de aumento no número de habitantes (clique aqui e veja o quadro).

“A Região Sul está saturada, e a grande provocação não é mais se o Norte vai ser ocupado, e sim como será ocupado”, afirma Astrid Dias Assis, presidente da Associação dos Desenvolvedores do Vetor Norte, um grupo que reúne investidores da região. O pontapé inicial dessa transformação ocorreu em 2005, com a transferência de voos do Aeroporto da Pampulha para o Aeroporto Internacional Tancredo Neves/Confins, que, naquela época, era um elefante branco, recebendo menos de 10% do volume de passageiros para o qual fora projetado. Duas grandes obras públicas anunciadas em seguida - a construção da Linha Verde, ligando o aeroporto ao centro da capital, e da Cidade Administrativa, a nova sede do governo estadual, no bairro Serra Verde - tiveram o poder de atrair investimentos privados ao longo dos últimos oito anos. E a face mais visível de todo esse desenvolvimento está no mercado imobiliário. Tratores e escavadeiras praticamente se incorporaram à paisagem local. À margem da Rodo­via MG-010, multiplicam-se a cada mês os anúncios de lançamento de bairros e condomínios para diferentes perfis de consumidor, com terrenos que custam, em média, 225 reais por metro quadrado.

Victor Schwaner/Odin

Os biólogos Vinícius Moura e Renata Bottrel com os filhos Victor, de 13 anos, Amanda, de 10, e Lucas, de 12: brincadeiras na área verde


No mais sofisticado dos empreendimentos, o Fly In, em Jaboticatubas, os moradores terão à disposição uma pista exclusiva para pouso de aviões. Ali há apenas 25 lotes, com áreas a partir de 2 600 metros quadrados e preço mínimo de 1,1 milhão de reais. Uma das maiores urbanizadoras do país, a Alphaville tem dois condomínios em construção na região. Todos os 542 lotes do primeiro empreendimento, o Alphaville Minas Gerais, em Vespasiano, foram vendidos no dia do lançamento, em julho do ano passado. Lá haverá um centro comercial, com lojas, escolas e restaurantes, e uma sede social de 15 000 metros quadrados projetada pelo escritório de Gustavo Penna, a principal grife da arquitetura mineira. Hoje, só é possível encontrar terrenos de revenda, ao preço médio de 700 reais por metro quadrado - bem mais que o preço médio de 450 reais por metro quadrado dos lotes à venda no Alphaville Lagoa dos Ingleses, em Nova Lima. O segundo condomínio, o Alphaville Terras Fidalgo, no limite entre os municípios de Confins e Pedro Leopoldo, deverá ser lançado em 2015. “Queremos um público interessado na primeira moradia com qualidade de vida e segurança”, afirma Eder Campos, gestor do Terras Fidalgo. Tanta oferta vem seduzindo muitos belo-horizontinos. “Pensávamos em nos mudar para o campo daqui a uns dez anos, mas acabamos antecipando”, conta o empresário Júlio Cézar Souza Lima. Ele desistiu de comprar uma cobertura em BH e preferiu investir em uma casa no condomínio Biovillas, recém-lançado em Jaboticatubas.

De todos os municípios do Vetor Norte, Lagoa Santa, a 35 quilômetros da capital, é certamente o que cresce em ritmo mais acelerado. Entre 2007 e 2010, sua população aumentou 16,9%. Antes um reduto de chácaras de fim de semana, a cidade tem atraído um público diferente, disposto a residir por lá. A mudança no perfil estimula investimentos de comerciantes tradicionais da Zona Sul de Belo Horizonte, como o supermercado gourmet Verdemar, que anunciou a abertura de uma loja na cidade. De olho em clientes endinheirados, a ex-comissária de bordo Cristina Lavarini investiu em uma butique de roupas para bebês que comercializa marcas como Lacoste e Calvin Klein. “Em setembro, devo me mudar para um espaço três vezes maior”, diz, empolgada.

O administrador Paulo Delgado é testemunha dessa revolução em Lagoa Santa. “Quando me mudei, em 2005, havia cerca de cinquenta moradores no condomínio. Hoje, são quase 200”, compara ele, que vive no Condados da Lagoa. Ex-morador do bairro Sion, Delgado se organizou para trabalhar a maior parte do tempo em casa, pela internet. Como o administrador, a representante comercial Margarida Carlota Costa Silva resolveu flexibilizar sua jornada profissional para realizar o sonho de viver longe do stress da capital. Até o fim do mês, ela deixará o Luxemburgo e se instalará em uma casa de 200 metros quadrados no Veredas da Lagoa, na qual investiu 530 000 reais. Enquanto cuida dos últimos detalhes da reforma, ela sonha com as festas que pretende promover em volta da piscina e da churrasqueira. “É bom viver longe da cultura de shopping”, resume o biólogo Vinícius Moura, outro que optou pelo estilo de vida do Vetor Norte. Morador do Estância das Amen­­doeiras, ele se orgulha de ver os três filhos - Amanda, de 10 anos, Lucas, de 12, e Victor, de 13 - crescendo com hábitos mais saudáveis. “No fim de semana, eles frequentam o clube do condomínio e andam de bicicleta.”

Gustavo Andrade/Odin

As amigas Mônica von Sperling e Elisa Marchesotti, em Lagoa Santa: longo deslocamento até a faculdade


Nem tudo, porém, é alegria nessa vida no campo. Faltam, por exemplo, hospitais e escolas de ensino superior, o que torna os moradores dependentes de serviços oferecidos na capital. Para cursar direito, Mônica von Sperling enfrenta duas horas de ônibus de Lagoa Santa até a Faculdade Milton Campos, onde estuda. Sua amiga Elisa Marchesotti tem mais conforto para ir à escola porque conseguiu vaga em uma van que a leva até a Fumec, mas também perde algumas horas por dia em deslocamentos. O trânsito na MG-010, acesso para várias das cidades da região, é um problema que se agrava a cada dia. “A expansão imobiliária teve uma velocidade maior que a nossa capacidade de criar vias”, reconhece o prefeito de La­­goa Santa, Fernando Gomes Neto. Só na sua cidade, que tem 52 520 habitantes, 2 000 carros foram emplacados em 2012. Subsecretário estadual de assuntos estratégicos, Luiz Athayde garante que as obras para melhorar o vaivém estão planejadas. “O Vetor Norte não é um projeto imediatista”, diz Athayde. Segundo ele, só para a construção de estradas estão previstos investimentos que somarão 748 milhões de reais até 2017. Belo-horizontinos como a professora Gabriela Fortes estão convencidos de que vale a pena esperar. Há dois anos, ela trocou o apartamento no bairro Santa Amélia por uma casa em São José da Lapa. Adora ver a filha Beatriz, de 1 ano e 9 meses, balançando os bracinhos para imitar uma coruja, brincadeira que aprendeu observando a ave que fez um ninho no seu quintal. “Onde eu morava havia muito barulho, eu estava sempre estressada”, lembra. “Aqui, o verdureiro vem até a minha porta e o açougueiro me liga quando chega carne fresca.”



Novos moradores
Entre 2007 e 2010, BH perdeu 1,5% de seus residentes. No mesmo período, quatro cidades do Vetor Norte registraram expressivo aumento de população

16,9% Lagoa Santa
10,9% Vespasiano
10,6% São José da Lapa
10,6% Jaboticatubas
Fonte: IBGE



Condomínios disputados
Em loteamentos de alto padrão, o preço médio dos terrenos chega a 700 reais por metro quadrado

ALPHAVILLE TERRAS FIDALGO
Número de lotes: 1 500
Cidades: Pedro Leopoldo e Confins
Preço médio do terreno: R$ 525,00 o metro quadrado (estimativa para o lançamento em 2015)

VICTORIA GOLF RESIDENCE
Número de lotes: 155
Cidade: Lagoa Santa
Preço médio do terreno: R$ 500,00 o metro quadrado

RESERVA REAL
Número de lotes: 1 254 (condomínios Biovillas, Fly In, Golf, Hípica e Tênis)
Cidade: Jaboticatubas
Preço médio do terreno: R$ 330,00 (Golf, Hípica e Tênis), R$ 475,00 (Fly In) e R$ 488,00 (Biovillas) o metro quadrado

GRAN ROYALLE AEROPORTO
Número de lotes: 324
Cidade: Belo Horizonte
Preço médio do terreno: R$ 280,00 o metro quadrado

ALPHAVILLE MINAS GERAIS
Número de lotes: 542
Cidade: Vespasiano
Preço médio do terreno: R$ 700,00 o metro quadrado



Chamariz para investidores
Confira as obras públicas que estimularam a iniciativa privada na região

2005
Transferência dos voos do Aeroporto da Pampulha para o Aeroporto Internacional Tancredo Neves/Confins

2008
Conclusão da Linha Verde, via expressa que liga o Aeroporto de Confins ao centro da capital

2010
Inauguração da Cidade Administrativa, a nova sede do governo estadual, no bairro Serra Verde, em Venda Nova

2013
Intervenções na LMG-800, na MG-424 e na MG- 010 para melhorar o tráfego de veículos no entorno do Aeroporto de Confins

CONDOMÍNIOS, AEROPORTO DE CONFINS, LAGOA SANTA, LINHA VERDE, LOTEAMENTOS, REGIÃO METROPOLITANA, REPORTAGEM, PESSOAS MORANDO NO VETOR NORTE, AEROTRÓPOLIS, MINAS GERAIS, BH, CIDADES QUE COMPÕEM, FAMÍLIAS, CIDADE QUE FICA, LOCALIZAÇÃO. VALE A PENA MORAR NO VETOR NORTE, PUBLICAÇÃO, ENTREVISTA, MORADORES, REGIÃO, BAIRROS, QUERO LER A MATÉRIA SOBRE O VETOR NORTE
Postar um comentário