segunda-feira, 22 de março de 2010

SERÁ QUE O PROFESSOR ANASTASIA CONHECE DIREITO ESSE MOLEQUE QUE TRABALHOU COM ELE? DUVIDO QUE ELE CONHEÇA O VERDADEIRO NADAB

Depois do constrangimento que aconteceu comigo no gabinete do Maroca ao participar da posse secretária de Assistência Social, Cidinha Canabrava, deixei de ir na posse de Beto Andrade, no mesmo ambiente, dias depois para a qual ele me entregou o convite "em mãos" e "exigiu" a minha presença. Pelo que aconteceu comigo ontem no evento público com o governador Aécio Neves (PSDB) evitei um outro constrangimento certo, e Beto Andrade que testemunhou tudo pode entender melhor porque evitei ir ao 3º andar da prefeitura prestigiá-lo.

Mas como ficou provado ontem não importa mais o lugar, a natureza do evento e até se ele não for uma promoção e organização exclusiva da Prefeitura. Eu serei alvo da perseguição implacável do Governo Maroca. Aconteceu assim no Clube Náutico (veja aqui) em setembro quando o Professor Antônio Anastasia esteve em Sete Lagoas, repetiu-se na Arena do Jacaré (veja aqui)quando o governador Aécio Neves veio lançar as obras do estádio, voltou acontecer dentro do Gabinete do prefeito (veja aqui), desta feita, chegando a violência e ontem na Estação Brasil tudo como dantes. E nos três casos anteriores eu havia sido convidado ou credenciado como imprensa.

Ontem a entrada era livre prova disso foi que eu e todos as pessoas passamos livremente pela portaria da Estação Brasil, assim quando fui obrigado a sair eu já tinha me adentrado por mais de 20 metros no interior da Casa. Foi, então, que o vigia que se identificou como Diego me intimou a sair, por ordem do secretário de Governo, Nadab Abelin (PSDB). "O Secretário de Governo de disse que a sua entrada aqui está proibida."

Aliás, a entrada franca e pública, isso foi comunicado a mim antes mesmo de eu chegar ao local pelo vereador Renato Gomes, que às 15:07, telefonou-me para avisar. Por que ele me ligou? Porque eu e ele combinamos de ir para Iveco juntos na inauguração oficial da fabrica, a qual fui convidado pelo gerente da unidade Fabio Godoy, mas eu lhe falei do meu temor em ser constrangido pelo Governo Maroca no evento do governador Aécio em Sete Lagoas. Foi por isso que o vereador ligou para dizer que todo mundo estava entrando sem ter que se identificar. Ou seja, ele achou que não haveria problemas. E ah sim: acabei não indo com ele para Ambev, mas com Marcelo Azeredo.

Bem, o que aconteceu depois de me colocarem para fora, foi que eu pensei: "pô isso não está certo, não, vão fazer como no Clube Náutico, quando mesmo eu tendo credencial fui barrado? Pensei, dessa vez eu vou fazer respeitar o meu direito". Se as outras pessoas podiam entrar, por que eu não? Foi então que reagi como devem ter assistido no vídeo abaixo, até fazer com esse direito fosse respeitado.

Como fiz? Pus a boca no trombone, fazendo me ouvir até pelas autoridades que estava no palco do evento, a propósito na Ambev expliquei ao governador Aécio o que tinha acontecido, e mesmo ele não tendo responsabilidade nenhuma no episódio, se desculpou. Mas prosseguindo, foi quando reagi que mostrei as pessoas o que estava acontecendo e recebi a solidariedade do Tadeu Machado, que foi o primeiro a me dar apoio - ele se indignou como podem ver em seus gestos no vídeo, em seguida veio o chefe de segurança do governador Aécio Neves. E aí vieram também ao meu encontro num gesto de acolhida o novo assessor especial do prefeito Maroca, o Márcio Vicente, o Beto Andrade e uma série de outros assessores do governador Aécio. Agradeço a todos. Mas, pasmem!!!, ainda assim o segurança que recebeu a orientação expressa do Sr. Secretário de Governo tentou impedir a minha entrada. "Aqui ele não entra, não", disse. Aí o chefe da segurança do governador e os secretários que me encaminhavam para dentro regiram com firmeza, impondo a minha entrada.

Em situações como essa que aconteceu você tem a oportunidade de saber um pouco mais sobre as pessoas, e estes senhores aí em cima foram valetes e mostraram-se absolutamente indignados com a discriminação. Infelizmente alguns outros se omitiram covardemente. Por outro lado, o prefeito Maroca, neste episódio ao que parece não teve responsabilidade direta, a não ser a de ter e manter em seu governo um sujeito asqueroso, que causou o nojo que os seu colegas sentiram com a sua atitude repugnante e odienta, sentimento que também tomou conta do colega Fernando Cabrera que transmitiu nas palavras que encerram este post a sua indignação com o que aconteceu - não fui eu a sua fonte de informação, só vi o seu texto hoje.

Mas para encerrar já algum tempo eu venho me perguntando, será que o Professor Anastasia conhece esse moleque que trabalhou com ele? Sinceramente, eu creio que não. Mas, certamente, já deve ter começado a se perguntar quem é mesmo essa pessoa?
A seguir o texto feito pelo colega:


LEONARDO BARROS É EXPULSO POR SEGURANÇAS DE EVENTO PÚBLICO A MANDO DE NADAB ABELIN
Por Fenando Cabrera:
É, pelo visto a ditadura voltou firme e forte em Sete Lagoas.
Tomei conhecimento agora pouco, que o blogueiro Leonardo Barros foi colocado para fora por seguranças de um evento público na Estação Brasil, e tudo aconteceu por ordens expressas do secretário Nadab Abelin.
O Maroca tem que ser muito bom de serviço para agüentar tanto desgaste por causa de atos impensados de alguns de seus assessores.
Esse tal de Nadab Abelin deveria conhecer melhor de leis, pois o que ele mandou fazer com o Leonardo Barros é crime de preconceito e discriminação, e se eu fosse o Leonardo Barros ingressaria na Justiça com um processo por danos morais contra o Nadab Abelin.
E tenho certeza que após ser processado o Nadab passaria a respeitar as pessoas.
Leonardo Barros, processo por danos morais nele...!!!

"Coronel Ditador" Nadab Abelin
O secretário Nadab Abelim é o mesmo que foi denunciado pelo fiscal Breno Menezes por privilegiar amigos com isenção de multas em 26/11/2009 no Jornal Hoje em Dia de Belo Horizonte.
Postar um comentário