quinta-feira, 18 de março de 2010

É HORA DE FALARMOS DA GRANDE SETE LAGOAS, QUE TAL COMEÇARMOS COM UM GRANDE ADMINISTRADOR?


Caros, tive o prazer de conversar e entrevistar o prefeito de Caetanópolis na segunda-feira (8), Romário (PSDB). Foi um papo gostoso e animador, ele me contou, como verão abaixo, sobre a criação e consolidação do Festival Clara Nunes e o impacto do evento para a sua cidade e região, digo, GRANDE Sete Lagoas, um conceito que pretendo reforçar a partir de hoje. Seu entusiasmo é contagiante e contrasta com a pasmaceira em Sete Lagoas.

Bem a vontade para falar, Romário demonstra uma garra empreendedora para, como diz, "fazer a cidade sair do anonimato". Objetivo que está conseguindo. "Eu tenho pessoas que trabalham focadas no município e não em interesse particular", falando da boa equipe que o está ajudando a fazer uma a revolução em sua Caetanópolis. Um trabalho que certamente vai ter reflexo em toda a GRANDE Sete Lagoas.

Sim, como Romário diz uma boa equipe é fundamental, mas não dá em nada se não encontrar um administrador à altura, competente, que tenha o mesmo compromisso correspondente com o "município e não em interesse particular", senão acontece o que vimos em Sete Lagoas, onde a equipe de bons profissionais foi toda pro ralo. O prefeito não sabia o que fazer com ela. Mas já que falamos de competência e região, digo, Grande SL, é bom lembrar que temos uma boa safra de administradores nas redondezas, é o caso de Criolo (PMDB), em Jequitiba, Alberto Tameirão (DEM), em Santana de Pirapama e Murilo França (PMDB), em Inhauma, entre outros. É uma pena que essa vitalidade e essa vontade que se constata nos prefeitos da Grande Sete Lagoas, não se vê em Sete Lagoas. Mas voltando a entrevista que fiz com Romário, prefeito de Caetanópolis, recomendo-lhes vivamente que leiam-a. É longa?, sim, mas vale muito a pena.

LEONARDO BARROS
- Eu estou falando com Romário, prefeito de Caetanópolis, ele está me falando do festival Clara Nunes, prefeito como está sendo festival, como é que foi a repercussão, explica pra nós...

Eu, Leonardo Barros e o Prefeito Romário (PSDB)
PREFEITO ROMÁRIO - Leonardo o festival foi criado para fomentar a cultura local, minha cidade é uma cidade muito rica culturalmente. E tanto é que é a terra natal de Clara Nunes. E a gente criou o festival para incentivar a cultura regional, último festival Clara Nunes, que foi o quarto festival ele veio com uma força muito grande com uma força que a gente não tava esperando. Nós trouxemos shows como Velha Guarda da Portela, que eram os amigos da Clara. Clara era amiga da Portela veio com a Velha Guarda o Dudu Nobre - nos tivemos show como o do 14 Bis.

LEONARDO BARROS
- Saulo Laranjeira também?

PREFEITO ROMÁRIO -
Paulo Laranjeira esteve ano passado, ano atrasado junto com Oswaldo Monte Negro, tivemos também Paulinho Pedra Azul este ano, tivemos também grupo de dança.

LEONARDO BARROS
- Você tá falando de 2009...

PREFEITO ROMÁRIO
- Nos tivemos em 2008 Saulo Laranjeira e Oswaldo Monte Negro

LEONARDO BARROS
- Sim.

"Olha, a gente tem visto uma mudança nas pessoas.
Primeiro Leonardo, é preciso mudar
a mentalidade das pessoas,
porque mudar uma cultura é muito difícil,
e o mais dífil é exatamente isso:
mudar uma cultura que foi imposta a
via inteira pra minha comunidade."

PREFEITO ROMÁRIO - Em 2007 nós tivemos, eu não guardo o nome dele... Diogo Nogueira tá fazendo um sucesso muito grande agora, que é filho de João Nogueira, que era compadre de Clara Nunes. Então vendo que tem sempre uma ligação histórica com a cantora, esse ano nós estamos com um projeto, 14 Bis também esteve conosco e Paulinho Pedra Azul no ano de 2009. E a gente tá terminando agora um projeto, inclusive hoje está sendo terminado o projeto de 2010, porque estou indo para Brasília em busca de recursos, pra vê se eu consigo alguma coisa de patrôcinio pra não deixar o nível desse festival cair. A ideia é: fomentar a cultura não só em Caetanópolis, mas em toda região: Cordisburgo, Paraopeba, Araçai e até mesmo em Sete Lagoas, que já é uma cidade já de grande porte.

LEONARDO BARROS
- Vocês estão fazendo um papel inverso: influenciando Sete Lagoas?

PREFEITO ROMÁRIO
- Acredito que sim, tivemos uma resposta muito boa, tivemos um público muito grande no festival de 2009, é um festival bacana porque a estrutura a jornalista a Band Minas teve lá conosco e a própria jornalista, Mônica Mendes me disse: ela estava assustada com uma estrutura daquela numa cidade tão pequena.

LEONARDO BARROS
- É uma cidade de 10 mil habitantes.

PREFEITO ROMÁRIO
- Dez mil habitantes. E ela me disse você está conseguindo fazer, você está conseguindo patrôcionio? Eu falei a gente tá trabalhando com recurso próprio e com alguns pequenos patrocinadores que tem nos ajudado, tem sido fundamental. Nós tivemos apoio do Governo do Estado, um pequeno apoio, mas já foi muito importante para nós, do Anastasia. E tivemos também o apoio pequeno, mas que nos ajudou bastante da Secretária de Cultura do Estado de Cultura. E esse ano nos estamos buscando recurso, nos estamos correndo atrás.

LEONARDO BARROS
- Este festival começou quando acontecer?

PREFEITO ROMÁRIO
- Ele começou em 2006.

LEONARDO BARROS
- Quer dizer que sob a sua gestão?

PREFEITO ROMÁRIO
- Começou. Foi criado na minha gestão.

LEONARDO BARROS
- Eu mesmo já ouvi falar dele, ele repercute e, principalmente, e vocês exploram o nome Clara Nunes, ela é da terra, ela nasceu em Caetanópolis.

PREFEITO ROMÁRIO
- Exatamente. A Clara é, as pessoas da nossa região, principalmente da minha cidade elas não tem noção do que significa o nome Clara Nunes no cenário nacional. Eu tive no Rio de Janeiro em 2009, eu tive no final de 2008 e tive novamente ano passado. Não eu tive em 2009 e tive novamente no início desse ano. Clara é um ídolo, um mito no Rio de Janeiro, eu tive na Quadra da Portela e eu fiquei impressionado com a força que a cantora ainda tem. E só precisa que a minha cidade e nossa região acredite nisso, né?

LEONARDO BARROS
- Hum rum

PREFEITO ROMÁRIO
- E eu acredito que atráves do nome da Cantora nós vamos mudar a realidade.

"Eu costumo dizer que
pra você
fazer um bom mandato você precisa
ter pessoas competentes do seu lado,
eu tenho uma equipe muito boa,
eu tenho pessoas que trabalham
focadas no município e
não em interesse particular."


LEONARDO BARROS - É Clara Nunes é um fenômeno, passa a própria..., ela é quase eterna. A gente vê isso. E é bom a vê a sua cidade tomando esse tipo de iniciativa, porque se torna um exemplo pra nós em Sete Lagoas, que tanto carecemos também de criatividade, de formular políticas que promovam coisas concretas como essa, então eu fico muito satisfeito em ouví-lo, conversar, em ser seu amigo, tá próximo e te farei uma visita lá em breve. Muito obrigado por ter falado com a gente, viu?[Não termina aqui, a entrevista ainda rendeu muito]

PREFEITO ROMÁRIO
- Será muito bem vindo, é só você combinar um horário comigo, que a gente senta pra conversar, inclusive que te apresentar a Casa de Cultura Clara Nunes que foi inaugurada também no meu mandato e é uma Casa que tem sido frequentada, muito bem frequentada, shows muito bacana tem passado por lá. E nos temos muitas oficinas o que tá trazendo a nossa juventude pra dentro da cultura, uma Casa que eu acredito que passe lá por semana em torno de 200 à 300 pessoas, em várias oficinas, desde a pintura de telas...

LEONARDO BARROS
- Como chama Casa?

PREFEITO ROMÁRIO
- Casa de Cultura Clara Nunes.

LEONARDO BARROS
- Clara Nunes. E lá vocês promovem o quê?

PREFEITO ROMÁRIO
- Lá acontece durante o Festival acontece os eventos internos na Casa da Cultura. Lá nos temos oficinas de dança, de teatro, de musica, Dança do Ventre, de Forro.

LEONARDO BARROS
- Casa de Cultura Clara Nunes. Qual o tamanho dessa Casa?

PREFEITO ROMÁRIO
- Ah, é um prédio que foi cedido pela companhia Cedro Cachoeira é um prédio muito bonito. Nós restauramos ele, e foi o primeiro lugar que Clara cantou aos 7 anos de idade. E nós copiamos, inclusive, o palco que Clara cantou aos 7 anos.

LEONARDO BARROS
- O Romário uma coisa que também é curioso, como que você fez isso, você tá agora no segundo mandato já. A gente sente a vitalidade do seu mandato, a força da popularidade, como é que você conseguiu isso? Explica pra gente, um pouquinho dessa ação sua como gestor público?

PREFEITO ROMÁRIO
- Olha eu costumo dizer que pra você fazer um bom mandato você precisa ter pessoas competentes do seu lado, eu tenho uma equipe muito boa, eu tenho pessoas que trabalham focadas no município e não em interesse particular. Tudo isso é que tem feito da minha administração um sucesso. E a gente trabalha em parceria. E eu sou pidão, eu sou aquele prefeito que pede, se eu não tenho dinheiro para arrumar a estrada eu peço os fazendeiros pra me ajudar, eu peço os empresários e eles me ajudam. Se eu não tenho dinheiro para determinada coisa eu vou atrás, olha me dá alguma coisa, me ajuda. A gente faz coisa, aí a coisa tem acontecido dessa forma.

LEONARDO BARROS
- Qual era visão que você chegou, que você tinha para o futuro da cidade, e você conseguiu realizar isso? Primeiro fala da visão que você tinha. O que você queria fazer da cidade.

PREFEITO ROMÁRIO
- Quando você está do lado de fora você tem uma ideia, quando você está do lado de dentro você tem outra, completamente diferente. Eu imaginava que administrar, eu não imaginava que administrar fosse tão difícil, porque não é fácil. Se a gente tivesse dinheiro pra fazer tudo aquilo que a população anseia seria muito fácil, né? Mas infelizmente o dinheiro não dá para tudo isso, muitas vezes você faz milagre.

PREFEITO ROMÁRIO
- O que eu queria para mina cidade, era exatamente trazer uma riqueza, digamos que trabalhar o lado, a deficiência da minha cidade seria o emprego, vamos resumir. Eu pensei como comerciante, poque eu sou comerciante, eu pensei que eu poderia de cara trazer empresas pra Caetanópolis, só que eu fui descobrindo que a minha cidade não tem muito o que oferecer para as grandes empresas vir.

LEONARDO BARROS
- Não tem atrativos.

PREFEITO ROMÁRIO
- Não, então a gente nesse período nesse caminhar dentro da administração, a gente foi percebendo que a gente tínhamos outras opções, outros caminhos, e um dos caminhos era o turismo cultural. E o turismo Cultural tendo Clara Nunes como filha da cidade, tendo a Cedro Cachoeira como museu têxtil -, único museu têxtil do Brasil, me parece o mais completo da America Latina. Se você não conhece você precisa conhecer é maravilhoso o museu têxtil da Cedro. Nós teríamos dois pontos turísticos muito importantes. E aí essa ideia começou vir a tona e eu percebi o primeiro festival a comunidade não aderiu, no segundo nos percebemos uma mudança de comportamento, no terceiro a coisa começou a esquentar, no ano passado o festival bombou.

LEONARDO BARROS
- No ano passado o festival foi o quarto?

PREFEITO ROMÁRIO
- Foi o quarto e foi quando a cidade entendeu a nossa mensagem.

LEONARDO BARROS
- E ela entendeu o quê?

PREFEITO ROMÁRIO
- Ela entendeu que o nome da Clara é importante, e nós poderíamos usar o nome da cantora pra chegar aonde nos precisamos, que é fazer a cidade sair do anonimato. Caetanópolis está criando uma identidade que não tinha antes, até então. É, através desse nome, desse festival, o trabalho da Secretaria de Cultura e toda minha equipe trabalhando que Caetanópolis começou criar uma identidade própria. Hoje eu chego a Belo Horizonte, em 2005 quando eu chegava perguntavam prefeito de onde? Onde fica isso. Hoje, eu já vivi situação tipo: prefeito de onde? Caetanópolis. "Caetanópolis é onde tem o Festival Clara Nunes, não é?" E isso, me deixa muito feliz, porque a coisa tá começando acontecer.

LEONARDO BARROS
- Qual foi o impacto dessas ações na geração de emprego, no desenvolvimento, no progresso da cidade?

PREFEITO ROMÁRIO
- Olha, é a gente tem visto uma mudança nas pessoas. Primeiro Leonardo, é preciso mudar a mentalidade das pessoas, porque mudar uma cultura é muito difícil, e o mais dífil é exatamente isso: mudar uma cultura que foi imposta a via inteira pra minha comunidade. E hoje não as pessoas estão tendo liberdade de escolher também, então o mais interessante que eu acho dentro de tudo isso que nós estamos fazendo é que hoje as pessoas me abordam e falam assim comigo: ou traz fulano no Festival Clara Nunes, ou porque que você não traz tal artista no Festival Clara Nunes. A clara passou a ser aceita de uma forma totalmente diferente dentro da comunidade. Você já viu aquele ditado que santo de casa não faz milagre? Isso acontecia também com Clara Nunes, mesmo sendo um mito nacional. Então agora não, as pessoas hoje estão respeitando o nome da cantora e as pessoas estão valorizando o nome de Clara Nunes. Acordaram.

LEONARDO BARROS
- E você falou uma coisa muito importante a mudança de mentalidade, uma coisa que a gente tanto luta em Sete Lagoas, porque aqui nós precisamos quebrar esses paradigmas velhos, antigos. Como é que vocês quebraram o coronelismo lá você me falava disso[fora do microfone].

PREFEITO ROMÁRIO
- Olha essa coisa do coronelismo ela é muito antiga, toda cidade tem isso, né? Foram mudando os regimes as pessoas foram evoluindo, as pessoas foram vendo um mundo novo à frente delas e elas sentiram necessidade de mudar e Caetanópolis não foi diferente. As pessoas estão começando, os jovens estão tendo oportunidade de fazer faculdade, os jovens estão tendo oportunidade de sair da cidade conhecer o mundo cá fora, quando eles voltam eles voltam com uma mentalidade completamente diferente, eles voltam renovados e isso que está acontecendo em minha cidade.

LEONARDO BARROS
- E com essas ações, com esse prestígio que você está dando para a sua cidade eles, com certeza, voltam para a cidade.

PREFEITO ROMÁRIO
- A eu tô com a esperança que Caetanópolis deixe de ser uma cidade dos aposentados e se torne, uma futuramente, uma cidade da juventude. [Aqui o site da prefeitura de Caetanópolis]


Áudio da Entrevista
Postar um comentário