quarta-feira, 17 de março de 2010

NOVO PRODUTO TIPO EXPORTAÇÃO SETELAGOANA: O GOLPE

Na ação que Leone Maciel acabou de perder contra Ronaldo Canabrava, respectivamente ex-vice e prefeito e ex-prefeito eleitos em 2004, o juiz Roberto das Graças Silva, embasou sua sentença contra o réu em provas de que o processo de cassação do prefeito Canabrava pode ter sido viciado. Ou: a cassação do ex-prefeito eleito pode ter sido "maquiavelicamente tramada nos subterrâneos da política Setelagoana(...), via testemunhas suspeitas, eis que 'compradas' bem como pela conduta nefasta de vereadores suspeitos, cujas isenções são colocadas em cheque(...)", diz a sentença. Bem, o processo de cassação do ex-prefeito cheira a golpe. A questão que se coloca agora e vou tratar aqui, é: Sete Lagoas está exportando a prática golpista nefasta para outras cidades?

A sérios indícios de que, sim, isso está acontecendo. Matéria deste final de semana do jornal Conexão de Matozinhos [publicada logo abaixo] denúncia que o deputado Márcio Reinaldo (PP), de Sete Lagoas, está encabeçando uma trama golpista para derrubar o prefeito eleito de Matozinhos, Murilo Pereira de Rezende (PPS). "Segundo relatos de vereadores, o vice e o deputado chamaram um por um dos parlamentares para negociar os votos de uma possível cassação do prefeito," informou o jornal.

Coincidência as mesmas denúncias e suspeitas que se abatem sobre o processo de Cassação do prefeito de Sete Lagoas. Outra coincidência é que assim como em Matozinhos o deputado é arquirival do atual prefeito que ele desejaria derrubar, assim como era do prefeito golpeado em Sete Lagoas. E mais uma semelhança da conspiração Setelagoana é que lá como cá: "a não participação no governo municipal com cargos e favorecimentos", é que estaria motivando a trama.

Reconheçamos, a algo muito estranho nisso que está acontecendo em Matozinhos, como estranho foi o que aconteceu em Sete Lagoas, onde o deputado Márcio Reinaldo que antes era mantido a distância da prefeitura, passou após a queda do prefeito titular a ser o queridinho, "o cidadão nº1", do prefeito que assumiu. “Lá o prefeito reagiu: “A população precisa parar de dar ouvido a esses grupos que há muito tempo só pensam neles e perceber que estamos no caminho do progresso, trabalhando para todos”, diz o prefeito.”

Pois bem, se for confirmada essa prática que segundo a notícia é orquestrada pelo "nobre" deputado Setelagoano Márcio Reinaldo (PP), Sete Lagoas terá desenvolvido e exportado um novo produto: o golpe.

PS.: O deputado federal, Márcio Reinaldo(PP), é candidato a reeleição ao lado do vereador Duílio de Castro (PMN), que foi um dos personagens mais importantes da cassação do prefeito de Sete Lagoas. Agora, você já imaginou o barulho que essa dupla vai fazer na região se ganhar?
Postar um comentário