terça-feira, 16 de março de 2010

DEPUTADO MÁRCIO REINALDO É ACUSADO DE TRAMAR GOLPE DO PREFEITO DE MATOZINHOS


Do Jornal Conexão de Matozinhos, neste final de semana:

Golpe Político

O vice prefeito Eduardo Drummond, o deputado federal Márcio Reinaldo, o ex deputado estadual Olinto Godinho, os articuladores políticos João Ailton e Gil César, além de vereadores oposição, segundo os bastidores político, são personagens principais de um possível golpe que visa a cassação do atual prefeito de Matozinhos Murilo Pereira de Rezende. O motivo da conspiração: a não participação no governo municipal com cargos e favorecimentos.

Encabeçada pelo próprio vice prefeito Eduardo Drummond, o deputado federal Márcio Reinaldo e o ex deputado estadual Olinto Godinho, a oposição ao governo Murilo planeja a derrubada do executivo municipal a fim de assumirem o poder. Segundo relatos de vereadores, o vice e o deputado chamaram um por um dos parlamentares para negociar os votos de uma possível cassação do prefeito. Qualquer que fosse o processo contra o executivo apresentado na câmara deveria ser votado a favor.

De acordo com a investigação, o vice estaria insatisfeito por não ter tido o espaço que queria, como, secretarias e cargos para seu grupo político, apesar de receber seu salário de 10 mil reais todo o mês. Com isso, criou-se uma oposição a tudo o que for apresentado pela prefeitura; nada está certo, nenhuma melhoria é aceita! Situações óbvias como dívidas da gestão anterior que comprometeu boa parte do orçamento de 2009, as verbas conquistadas para o município, mudança na gestão dos funcionários, e outras dezenas de ações realizadas, são duramente criticadas e distorcidas pela esquerda para criar insatisfação da população e buscar apoio.

A ex prefeita Lucinha Cota, em conversa informal com o editor do jornal Isaias Clemente, mostrou-se indignada com a maneira que trabalha a oposição atualmente: “É um absurdo o que estão fazendo contra Murilo, é inaceitável!”. Não só a ex prefeita, mas, outros políticos de credibilidade no município repudiam esta tentativa de golpe da esquerda: “Murilo mexeu com gente grande que está incomodada com as conquistas que virão”, diz um vereador.

Na eleição de 2008, a união do PPS, partido do atual prefeito Murilo com o PSDB de Olinto Godinho já tinha sido estranha, já que Olinto vinha bem nas pesquisas de intenção de votos. O ex deputado estadual e pré-candidato a prefeito, alegando estar com problemas de saúde, “entregou” a sua pré campanha junto com todos os seus pré candidatos a vereadores para a chapa de Murilo, mas, com a condição de indicarem o candidato a vice-prefeito, no caso, Eduardo Drummond. Nascia assim a campanha que rendeu mais de 9 mil votos para o atual prefeito, além de fazer quase todos os vereadores. Com tudo ao seu favor para ser um governo sem preocupações, mesmo antes de tomar posse, o prefeito eleito já colecionava inimigos políticos do próprio partido que o elegeu liderados por João Ailton.

João Ailton, ex vereador e chefe de gabinete do ex prefeito Dr. Élcio, sempre almejou a sua volta ao poder. Um dos grandes conspiradores políticos de Matozinhos, viu em Murilo a oportunidade de voltar ao cenário político matozinhense, mas, não conseguiu. Como filiado do PPS, tentou dar as cartas durante a campanha do atual prefeito e foi afastado pelo próprio médico por perceber que teria problemas futuro como Dr. Élcio teve. João Ailton é o responsável em lançar papéis na rua e fazer bonecos contra o prefeito, prática esta usada por ele há muito tempo no município.

Em conversa com o vereador do PPS Valdivino, ele diz ter ódio do Prefeito por não aceitar as condições impostas por ele para apoiá-lo: “Quando vou a igreja, eu peço a Deus para tirar isso de mim, mas, a imagem dele vem a minha cabeça e eu sinto ódio do Murilo!” O vereador Tuim (PPS) também falou sobre essa obsessão contra o prefeito ao ser perguntado o que achava da nomeação de Nôca para chefe de gabinete, já que eles queriam alguém da cidade para aproximá-los: “Nôca é um traidor, nada que Murilo faça vai ajudar. Ele não cumpriu com nossos acordos!”.

Ao ser questionado o porquê de tanta revolta por parte daqueles que o ajudou a elegê-lo, o prefeito Murilo Rezende responde: “Sempre diziam: ‘Murilo é pau mandado e bonzinho, quem vai governar somos nós’, mas, se enganaram! O que levou o rompimento foi justamente quererem demais, se eu aceitasse as imposições, estaria entregando a minha cadeira a eles para continuarem travando o município. Queriam fazer comigo o que fizeram com o ex prefeito Dr. Élcio que paga sozinho!”.

“Reconheço que muita coisa tem que melhorar, mas, não posso fazer milagres! Matozinhos estava parado no tempo e todo mundo clamou por mudanças e estamos fazendo à duras penas. Hoje somos referência para os demais municípios da região e não vou mudar a minha postura como prefeito. A população precisa parar de dar ouvido a esses grupos que há muito tempo só pensam neles e perceber que estamos no caminho do progresso, trabalhando para todos!”, diz o prefeito como desabafo às perseguições sofridas.

Quanto a um possível golpe político, o prefeito ainda responde: “Estamos trabalhando dentro da lei e não estou preocupado com isso. Me surpreende é ver quanta coisa errada foi feita na gestão passada, tendo o Ministério Público que intervir, porque, os mesmos vereadores que hoje querem me cassar, na época não fizeram nada! Porque será?

Os personagens

João Ailton

Chefe de gabinete nos dois primeiros anos da gestão do ex prefeito Dr. Élcio (1997-2000), foi exonerado por causa de denúncias de irregularidades. Após a sua saída, usou os mesmos documentos irregulares que estavam em seu poder e entrou com denúncia no Ministério Público e na Câmara municipal onde foi instaurada uma CPI. Após alguns anos o ex prefeito foi condenado por improbidade administrativa onde paga até hoje;

Gil César

Assessor de Esportes na gestão do ex prefeito Elmo Calhau (1993-1997), foi denunciado por desviar verba destinada ao JIMI na participação do município no campeonato. Participou também da administração do ex prefeito Dr. Élcio Passos onde foi exonerado junto com João Ailton por denuncias de irregularidades, participando assim da denúncia contra o ex prefeito;


Vice prefeito Eduardo Drummond

Assessor do Deputado Márcio Reinaldo, atuou na administração pública como secretário na gestão de seu pai o ex prefeito Abdon Drummond (1983-1989). Eleito vice prefeito em 2008, desde o início de 2009 não comparece na Prefeitura, mas, recebe o seu salário de 10 mil reais normalmente. O hospital da cidade controlado pela família Drummond ainda recebe uma verba de 88 mil reais mensais para serviços a população sempre questionados.

Ex deputado estadual Olinto Godinho
Derrotado nas eleições de 2004 (campanha financiada pelo deputado dono do castelo, Edmar Moreira) para prefeito em Matozinhos com 1.666 votos, Olinto era um dos mais cotado para vencer as eleições de 2008, mas entregou a sua candidatura para a chapa do atual prefeito Murilo Rezende.


Deputado Márcio Reinaldo
Com grande participação no governo do ex prefeito Abdon Drummond (1983-1989) com indicação de obras como o ginásio e o Palácio da Cultura, o deputado Márcio Reinaldo nunca mais trouxe para Matozinhos recursos financeiros de grande relevância, mas, sempre teve no município grande votação, como em 2002, tendo 5197 votos, o quarto maior colégio eleitoral da sua eleição naquele ano. A sua reputação não anda muito bem!

Foi apontado [dep. Márcio Reinaldo] pela CGU como um dos 14 deputados autores de emendas ao Orçamento beneficiando empresas da Máfia dos Sanguessugas (Folha de S. Paulo, 26.jul.2006); Também a Operação Navalha, desencadeada em maio de 2007, chegou ao gabinete do deputado do PP. O assessor de Márcio Reinaldo, Ernani Soares, foi preso pela Polícia Federal, QUE IMPEDIU A CONTINUIDADE DE DESVIOS DE VERBAS DO PAC no programa Luz para Todos, Dnit, ministérios da Cidades e Minas e Energia, entre outros. Os recursos eram abocanhados por meio de licitações fraudadas e direcionadas; Teve seu nome incluído numa lista de deputados do PP que teriam recebido o mensalão. A lista foi entregue à CPI dos Correios por um funcionário do próprio partido (Hoje em Dia, 18.jul.2005); Teria usado a verba indenizatória para alugar carros na concessionária Brasal, de propriedade do deputado federal Osório Adriano (Correio Braziliense, 19.mai.2009).

Postar um comentário