quarta-feira, 16 de setembro de 2009

SIM, EM REPRESÁLIA À MINHA PARTICIPAÇÃO NA ENTREVISTA COM O VICE-GOVERNADOR, O GOVERNO MAROCA VETOU A MINHA PRESENÇA, JÁ PROGRAMADA, NO ALMOÇO


Com licença para contar algo que aconteceu comigo. Sexta-feira depois de ficar sabendo pelo jornal Sete Dias que a Prefeitura vetaria a minha presença como "Blogueiro" na coletiva de imprensa com o Professor Anastasia procurei na Secretaria de Comunicação, Patrick. Prontamente ele me recebeu. Perguntei se "eles iriam fazer aquilo que o jornal Sete Dias estava dizendo": "Somente serão aceitas inscrições de mídias impressas, radiofônicas e televisivas'. Blogueiros, sites e outros do gênero ficarão de fora". Ele disse que discordava daquela decisão. E que pessoalmente se esforçaria para revê-la. E também disse que àquela orientação veio do governo, não da Secretaria de Comunicação.

Numa atitude franca, Patrick abriu o jogo, foi sincero. Disse que eu estava desgastado dentro do governo, que havia muita gente brava comigo lá, contou-me até que tinha gente "Xiita" dentro do Governo que já tinha proposto que eu levasse algumas porradas. Falou também, que muitas das minhas críticas estão certas. E que apesar de não ler todos os dias o blog, já tinha pegado textos que escrevi e levado ao governo mostrando que àquela crítica era pertinente. Sua discordância do que eu havia escrito dizia respeito ao secretário Flávio de Castro.

Bem, ele foi atencioso comigo e me disse que daria resposta ainda naquela tarde sobre o meu credenciamento ou não para participar da coletiva de imprensa. E foi o que ele fez. Mais tarde telefonou-me dizendo que eu seria credenciado para participar da entrevista com o vice-governador.

Segunda-feira - A Entrevista.
Conforme ficou combinado Segunda-feira fui credenciado e pude participar da entrevista que está publicada no blog (aqui). Mas... a minha participação não agradou-lhes. Meu amigo Magela àquele que está no Governo, mas se pudessem já o teria escorraçado, me censurou durante o translado da Prefeitura para a Câmara Municipal. Magela me disse um monte de bobagens. Relevei, porque como gosto do Cara e achei que fosse sua opinião pessoal, deixei ele falar à vontade um monte de bobagens. Ah, e todos da imprensa na Van foram obrigados a ouvirem, mas até aí vá, lá. Discordo de cada vírgula que ele disse, mas relevei. Entretanto, a coisa começou a ficar mais clara que era uma decisão de governo no momento seguinte. Vamos a ele.

Quando peguei de volta o mesmo veículo junto com os colegas em direção do Clube Náutico, onde ocorreria o almoço sou informado por Ana Luisa que a minha presença havia sido vetada no almoço. Segundo me disse, ela mesma concordava com a decisão porque eu havia sido antiético na entrevista coletiva. Motivo? Não era o conteúdo das minhas perguntas, a quantidade de perguntas, não era isso; nem aquilo. Ainda assim, eu tinha faltado com a ética. Qual ética? Ela conseguia ser clara. Eu apenas tinha sido antiético. Bem, deve ser uma coisa muita específica do Governo Maroca. Uma ética própria.

Bem, pelo visto faltou eu passar a limpo as questões com eles. Fiz perguntas inconvenientes para o Governo, foi o meu pecado. Mas, em síntese, a jornalista Ana Luisa, não me deu o botom que os colegas da imprensa receberam para passar pela portaria. Ela ainda telefonou e conversou com o Nadab e as coisas continuaram no mesmo pé. Assim, desci da Van e fiquei na porta do Náutico. Fiz questão de continuar ali até o final para saber o que as pessoas achavam daquela decisão, como digo?, de governo. Reprovação geral, claro.

Perguntado por mim no final Nadab veio me dizer que eu tinha, sim, a credencial de imprensa e poderia ter entrado com ela. Conversa fiada, todos da imprensa precisaram receber o botom distribuído pela jornalista empregada da Prefeitura. E mais, Ana Luisa, além de não dar o passe, na entrada do Náutico quando chegamos ficou na frente de todo mundo tentando me explicar compulsivamente que eu tinha sido antiético, repetindo todo o que já havia me falado. Não, é claro que você deve estar se perguntando por que eu aceitei passar por isso tudo? Meus Caros como fazer a sociedade conhecer o governo Maroca? Deixando ele revelar toda sua face obscura, autoritária... que fica fantasiada de bom mocismo.
Postar um comentário