quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Patrus Ananias diz que não tira candidatura e articula para ter o PMDB



PMDB e PT já admitem formar um só bloco na Assembleia. O bloco retiraria o PMDB da base de sustentação do governo Aécio

Por Carla Kreefft, O Tempo:
A aproximação entre o PT e o PMDB em Minas com vistas à eleição de 2010 cresce e poderá alcançar a Assembleia Legislativa, originando um bloco parlamentar formado pelas duas siglas e o PCdoB. Ontem, deputados estaduais do PT, PMDB e PCdoB receberam para um almoço o ministro de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias. Na mesa, muita conversa sobre os caminhos que poderão levar ao Palácio da Liberdade.

Nos bastidores, a informação é que a bancada do PMDB já pensa em se aliar ao bloco formado pelo PT e PCdoB na Assembleia. A formação do bloco implicaria a retirada do PMDB da base de sustentação do governo Aécio Neves (PSDB) e teria como objetivo contribuir para a formação da aliança eleitoral entre os dois partidos em 2010. "Por enquanto é só uma possibilidade, mas quem quer fazer uma aliança para ganhar a eleição precisa demonstrar essa intenção na prática", afirmou um parlamentar, que não quis ser identificado.

Patrus Ananias confirmou a sua condição de pré-candidato ao governo de Minas e ressaltou a importância da formação de uma aliança dentre os partidos que integram a base de sustentação do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo Patrus, a aliança é importante por dois motivos. Primeiro, para fornecer um palanque forte para a pré-candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, em Minas. O segundo motivo, de acordo com Patrus, é a elaboração de um projeto para o Estado que tenha como prioridade as questões sociais, como "tem o governo Lula".

Apesar de defender a aliança com o PMDB e outros partidos de centro-esquerda, Patrus evitou falar na possibilidade de abrir mão da cabeça de chapa em favor do seu colega ministro das Comunicações, Hélio Costa (PMDB). "Eu sou pré-candidato ao governo. Minha pré-candidatura está colocada e ninguém coloca uma candidatura para retirar depois", afirmou.

Sobre a possibilidade de Lula interferir nas negociações em Minas para garantir um só palanque para Dilma no Estado, Patrus disse apenas que não trabalha com hipóteses.

O líder da bancada peemedebista, Adalclever Lopes, que disputa a presidência do seu partido em Minas, afirmou que o encontro foi um dos mais importantes já realizados pela bancada, que já recebeu o ex-prefeito da capital Fernando Pimentel - também pré-candidato pelo PT - e vai se encontrar ainda com Hélio Costa.

Adalclever afirmou que o caminho do PMDB deve ser mesmo uma aliança de centro-esquerda, mas evitou falar no processo de escolha do cabeça de chapa. "Isso é mais tarde, tem espaço para todo mundo. O nome do PMDB é Hélio Costa, mas ninguém entra em uma negociação fazendo imposições", ponderou ao ser questionado se Costa poderia abrir mão da candidatura para Patrus. Mais
Postar um comentário