sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Sete Lagoas cresce apesar da Administração Maroca, não por causa dela

Sete Lagoas está recebendo investimentos privados de diversas áreas que já estavam programados como Iveco, supermercado Bretas, os Shoppings. Na área estatal, a Arena do Jacaré receberá recursos do governo do Estado; o PAC Urbanização tem a promessa do remanejamento dos moradores do Kwait e construção de novas casas. No saneamento tem alguns poucos recursos que estão sendo investidos nos interceptores de esgotos, e agora, falam de um investimento do PAC Água que interligaria o sistema de abastecimento de água.

Entre estes investimentos quais foram resultados da ação da atual administração? Arena do Jacaré com investimentos da ordem de R$ 8, 6 milhões, porque até o prometido PAC Água é saldo restante do trabalho da administração anterior. Ah, sim: e apesar de muito propalado apostaria que o investimento se vir será a conta gotas no ritmo e na forma petista de fazer as coisas: muita propaganda no lançamento do suposto recurso e atraso geral na liberação das verbas. E já tem vereador aí já comemorando feito bobo.

Todos esses investimentos são, acredite, mínimos perto das necessidades e, sobretudo, perto do potencial da cidade, localizada no centro de minas. É uma pena mesmo nesse momento fantástico para Minas Gerais, Sete Lagoas tenha uma administração tão pouco ambiciosa, como deixou claro a acomodação com os investimentos já previstos o prefeito em sua entrevista ao completar cem dias. A verdade é que Sete Lagoas pode muito mais. Vamos a algumas características que mostram isso.

O município de Sete Lagoas, amigos leitores, tem a melhor localização hoje dentro do estado para se desenvolver, está no centro de Minas, que por sua vez é a região do estado mais dinâmica hoje. Em razão da opção estratégica do governo Aécio Neves de investir no "Vetor Norte", com a Linha Verde, Cidade Administrativa, a revitalização e centralização de voos no Aeroporto de Confins. Quanto a cidade as suas características naturais favorecem o crescimento. Vejamos.

Continuação
Pra começo de conversa área de Sete Lagoas é enorme, maior que Belo Horizonte. Enquanto a capital tem uma área territorial (Km²) de 331; a cidade do centro de minas tem 537 (Km²). E mais: o terreno de Sete Lagoas é plano, a mão de obra tem boa escolaridade, a logística é a melhor que há, entre outros fatores, que convergem para alavancagem. Tem gargalos? Sim, o Saneamento, mas por inacreditável que possa parecer ele pode ser convertido em desenvolvimento, tornando com uma boa concessão uma fonte de grande investimento (cerca de R$ 200 milhões) e geração de milhares de empregos período de 3 a 5 anos o tempo que levaria para construir a infraestrutura.

E é aí que começamos a ver que administração Maroca trava a cidade, ao invés de estarmos explorando essa possibilidade e fazer a maior obra de Sete Lagoas, estamos perdendo tempo em "tentar recuperar o SAAE". O que não significa fazer a necessária infraestrutura da cidade. Assim, além de não receber esse recurso impedimos que outros venham porque descobrem que Sete Lagoas não tem água e é irresponsável ambientalmente porque não trata o esgoto, e faz a população adoecer. E o Governo Maroca resiste em reconhecer que Sete Lagoas não tem condições de fazer o investimento, assim fica parado. Mas tem outras ações que também faltam.

O que falta? Uma ação ostensiva de captação de novos investimentos, impulso ao empreendedor local e investimento muito maior na formação tecnológica.

O problema é que eles não querem crescer e limitam, sim, ao máximo que conseguem o progresso da cidade. Paulo Rogério, irmão do prefeito e secretário, disse que uma das razões de Sete Lagoas não deixar a implantação do Empreendimento Terra Nova do grupo Rodobens na cidade, é porque a cidade não conseguiria comprar todos os imóveis, dessa forma, eles teriam que atrair mais pessoas para a cidade - vou publicar, mais tarde, essa parte da sua entrevista a mim -, uma grande bobagem, porque Sete Lagoas tem déficit habitacional e além do mais Sete Lagoas precisará de mais gente para continuar crescendo. E é possível atrair pessoas, e isso ser bom para a cidade.

Assim, Sete Lagoas só não se desenvolve mais devido a resistência da Administração Maroca em deixar a cidade crescer, o que pode ser feito de forma muito saudável.
Postar um comentário