terça-feira, 15 de setembro de 2009

Serra e Aécio demonstram união e desconversam sobre chapa pura


YGOR SALLES da Folha Online:
Os governadores de São Paulo, José Serra (PSDB), e de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), desconversaram nesta segunda-feira sobre a possibilidade de formarem uma chapa tucana "puro sangue" para as eleições presidenciais em 2010.
"Isso significaria dizer que o nosso sangue é melhor que o do DEM, ou de outro partido, o que não é verdade", disse Serra após inauguração de uma casa de representação do Estado de Minas em São Paulo. "Nosso sangue já é misturado."
Serra veta Kassab e decide que Alckmin é o candidato
Aécio reiterou que sua posição é de que a chapa "puro sangue" não cabe para as pretensões do partido. "Minha posição é claramente essa: eu acho que temos um quadro partidário extremamente plural no Brasil, é claro que as alianças entre partidos se irradiem e se reflitam também na composição de chapa", explicou.
Serra e Aécio, que disputam a indicação tucana para a candidatura presidencial, buscaram mostrar afinidades durante o evento --e, assim, evitar disputas. O que, inclusive, passa pela diminuição do tom de Aécio em relação à necessidade da realização de prévias no partido.
Antes defensor ferrenho das prévias, Aécio voltou a mostrar um discurso mais ameno. "No momento certo o PSDB vai chegar maduramente à sua decisão. Pode ser prévia, pode ser uma ampla consulta às bases do partido, ou qualquer outro instrumento. Nós vamos decidir qual é aquele que reflete melhor o sentimento do partido. E se a decisão do PSDB for em torno do governador José Serra, serei o primeiro a levantar a sua mão e me colocar à sua disposição para com ele percorrer o Brasil", disse, no que Serra emendou: "Se for o Aécio, serei o primeiro a lhe levantar a mão e estar nas ruas fazendo sua campanha."

Descentralização
Os dois governadores aproveitaram o evento --recheado de membros importantes do PSDB e celebridades simpáticas ao partido, como o apresentador de TV Luciano Huck e o atacante corintiano Ronaldo-- para mostrar uma união entre os Estados e criticar a centralização administrativa que dizem ocorrer no governo federal.
"Estamos permanentemente juntos no fortalecimento da Federação, dos Estados, dos municípios, contra o Estado unitário, contra esse fortalecimento absurdo e permanente do governo central em detrimento de Estados e municípios", disse Aécio no discurso.
Já Serra destacou a "importância de [São Paulo e Minas] atuarem juntos para conter a volúpia centralizadora federal que hoje prevalece no nosso país."
Postar um comentário