quarta-feira, 23 de setembro de 2009

CAIO da oposição X Duílio da situação e Marcelo no meio disso...

Sem citar o nome Caio Dutra, Duílio de Catro criticou os discursos politiqueiros, numa crítica indireta a ele. Caio que não se fez de rogado reagiu firmemente elencando uma extensa lista de equívocos do governo Maroca para demonstrar que a sua ação oposicionista tem fundamento, portanto, razão de existir. E o embate esquentou e prolongou com réplicas e tréplicas. Foi interessante de assistir, faz parte do jogo democrático a discussão acalorada.

Mas o que é possível verificar com esse embate? Caio Dutra pela primeira vez foi encarado, mas, por sua vez, demonstrou que está bem afiado também para reagir com firmeza. Mais: Duílio saiu de sua posição de presidente para um embate direto com o colega, que provavelmente será seu competidor na eleição para deputado estadual. Será esse um ensaio do que está por vir na luta política entre o pmdbista, Caio Dutra, e o presidente do PMN, Duílio de Castro? Se for a coisa ainda vai esquentar bastante nos próximos capítulos das terças-feiras 15 horas, na Câmara. Pelo visto começa haver uma polarização entre os dois principais candidatos à Assembleia mineira por Sete Lagoas, Caio Dutra (PMDB) e Duílio de Castro (PMN).

Isso de uma certa forma é positivo para o Governo Maroca. Atentando-se para o fato de que Marcelo Pires (PMN) que vinha se alinhando com a oposição é um fiel aliado de Duílio, esse embate eleitoral que começa tomar forma, pode fazer Pires mais alinhado com as posições governistas, porque isso seria em tese bom para Duílio; mas também pode não ser. Por outro lado, Marcelo Pires tem sangue quente e por natureza não costuma alinhar-se automaticamente às posições governistas, assim estará numa situação bastante delicada, principalmente, se o governo continuar a fazer água.

É, pelo visto Marcelo Pires vai ter que aprender de uma vez por todas que fazer política, exige quando se é base, ser impopular, as vezes, mas se tudo for feito com destemor e convicção pode até se transformar em capital político, se é que ele me compreende, não é?

Ah, sim: o Maroca até tentou mais uma vez fazer Marcelo o seu líder. Contam que o prefeito desmerecendo o frágil líder, o vereador Renato Gomes, convidou Marcelo para a liderança na frente de Gomes, humilhando-0. Questionei Marcelo a respeito dessa investida do prefeito, ele disse: "eu não aceitei não".
Postar um comentário