quinta-feira, 24 de setembro de 2009

A possível volta de Leone Maciel ao cenário político

A vinda do ministro Hélio Costa prometia ser a grande notícia da semana, mas a se confirmar que Leone Maciel deixa o PMDB para ser candidato por outra legenda, essa passa a ser grande notícia. Anunciada pelo blog ontem a notícia mexeu com o PMDB. Caio Dutra me telefonou para confirmar e também avisar que o ex-prefeito não tinha se descompatibilizado da legenda, prazo que termina no dia 2 de outubro. Bem, Leone tem tempo ainda e o mais certo é que ele deixe o partido, que trabalha com o nome de Caio Dutra como candidato a deputado.

Convenhamos, se Leone Maciel decidir mesmo colocar seu nome o jogo político que começava a ficar claro, embaralha-se bem. Mas não é uma grande surpresa essa possibilidade de Leone Maciel sair candidato. Derrotado nas urnas, ele se afastou e até a poucos poucos meses negava fortemente que poderia ser candidato a deputado, eu mesmo ouvi dele a negativa. Entretanto, a decepção, o arrependimento e a rejeição do povo ao novo prefeito funcionam como o maior incentivo a sua reentrada no cenário político.

E olha, Leone volta por cima e ajuda a ocupar um imenso vazio que existe hoje em Sete Lagoas. A cidade, repito, esta profundamente arrependida de ter eleito o, como é mesmo o nome do prefeito de Sete Lagoas para o governador?, Sr. MarCOLA. Pois é, se o governador que é do seu partido troca o seu nome a população gostaria hoje esquecer. Afinal o prefeito é ausente e omisso. Duílio essa semana na Câmara reclamou que a comunicação da prefeitura não tem conseguido transmitir os supostos feitos do governo Maroca. Mas a equipe de comunicação é apenas a cara desse governo. Mesmo que fosse grande coisas não seria capaz de ocupar o espaço que é da política, não do marketing.

Nesse sentido, é injusta e infundada a crítica de Duílio e alguns outros a ação política de Caio Dutra, ao chamá-la de politiqueira. Não Caio Dutra está fazendo política, o bom e legítimo combate dentro do legislativo, o que falta é o contra ponto, o contraditório. Aliás, Marcola deu uma prova sexta-feira de que não entende o papel do legislativo e muito menos de articulação política ao afirmar que a Câmara é oposicionista. Nada disso, ele é que não sabe fazer política e não entende que o papel do legislativo é fazer o debate. A propósito quando ele escolheu um líder com perfil humanista, que não tem condições de fazer o confronto político mostrou que não esperava o confronto democrático e fundamental para... a democracia. Ao que fica evidente esperava que bovinamente o legislativo votasse só a favor, sem discutir e fiscalizar.

Bem, mas depois dessa digressão volto a volta de Leone ao cenário político. Olha a se confirmar mesmo o retorno do ex-prefeito outro que deve estar se remexendo é Duílo de Castro, o avalista da eleição de Marcola. Isso porque ele foi individualmente um dos principais responsáveis por isto que está aí. E agora, Leone Maciel pode fazendo a sua campanha e falando bem de si, lembrar ao povo quem são os responsáveis por isso que está acontecendo em Sete Lagoas.
Postar um comentário