terça-feira, 22 de setembro de 2009

A ofensiva do governo e a insustentabilidade da base

Depois de chegar ao fundo do poço na semana passada onde até o líder do prefeito, o pacato vereador, Renato Gomes (PV), demonstrou sua insatisfação com a gestão política do governo., o prefeito Maroca assumiu pessoalmente a articulação política e reuniu em sua casa a combalida e evergonhada base, na tentativa de recuperar terreno. Resultado? Hoje na reunião da Câmara a base formada pelos vereadores Claudinei Dias (PT), Celso Paiva (PT), Dalton Andrade (PT), Renato Gomes (PV), Milton Saraiva (PP), Dr. Euro Andrade (PP), Marcelo Pires (PMN) e Duílio de Castro (PMN), que vinha se alinhando à oposição tentou demonstrar unidade e agir como bloco. Vai durar? Duvido.

Sem projeto e ação efetiva não há base que se sustente. Essa coisa como disse o vereador Marcelo Pires se dirigindo a mim que "está a favor de Sete lagoas" não garante governabilidade, não. Ou será que estar a favor de Sete Lagoas é estar contra a saúde de Sete Lagoas, contra as verbas para educação de Sete Lagoas, é deixar que o projeto de um Hospital Regional vire um pronto socorro...? Não acho que a população de Sete Lagoas considere isso estar a favor de Sete Lagoas, assim essa base não se sustenta. Vamos ver quanto tempo ela vai durar.
Postar um comentário