terça-feira, 2 de março de 2010

Políticos e Povo em SL

Vai um texto ligeiro, é o começo de um bate papo que desejo aprofundar mais pra frente.

Em 2008, falava-se no final de um ciclo político, com aquela eleição sepultando os velhos caciques, que no último quarto de século deram as cartas localmente. O povo sem conhecer o hoje prefeito eleito imaginava que ele fosse um líder novo e inovador que realizasse o progresso potencial que a cidade tem. Mais quê. Ele não correspondia a essa expectativa e isso foi descoberto a duras penas agora pelo povo decepcionado e arrependido.

A verdade é que a cidade elegeu uma falsa mudança e nem digo que o candidato eleito fez tanta questão assim de enganar o eleitorado. Ele foi muito mais a consequência de um pleito eleitoral que não levou as pessoas a reflexão sobre a cidade e sobre a visão e valores dos candidatos. E aonde vou eu com esse texto?, quero falar ligeiramente da cidade versus os seus políticos. E a coisa mais importante aqui é que se nota uma distância grande entre o que pensa a população e os políticos em geral.

Os políticos se orientam pela tradição, experiências passadas, bairrismo.. a começar pelo chefe do executivo, o Maroca. Na mesma toada seguem Emílio de Vasconcelos, Edson Paredão entre outros nomes. É fácil reconhecer um certo consenso entre a maior parte dos políticos locais mesmo que uns sejam mais elitistas outros populistas, ou seja, do elitismo do prefeito Maroca ao populismo de Canabrava e João Batista Araujo tem-se o pensamento único dominante no meio da classe.

Eu, Busu e outras figuras aí somos patinhos feios da classe não nos vergarmos ao pensamento dominante. Mas não quero falar exceções, pretendo tratar das maiorias entre políticos e povo. Entre os políticos já retratei as características dominantes e entre o população, quais são? O povo quer futuro, uma cidade bem estruturada com serviços essenciais de primeira e oportunidades para trabalhar e crescer.

Sim, existe um conflito entre o quer as maiorias, não? E quem vence esta parada? Por enquanto são os políticos, porque mesmo eles não sendo os representantes do que deseja a população eles são quem estão no poder dando a direção para frustração povo.

E vejam estes políticos dominantes já estão se articulando para 2012 para continuar vencendo e a revelia do que deseja a população seguirem dando as cartas. E eles podem vencer facilmente essa luta, basta que eles continuem controlando as alternativas que o povo tem para escolher. É, por mais que o povo não veja nestes políticos seus representantes eles continuaram a ser a alternativa, porque é entre eles que sairão os candidatos.

Este é o desafio que está colocado desde já para as minorias políticas: viabilizarem-se para oferecerem uma alternativa à velha tradição do dominante.
Postar um comentário