segunda-feira, 8 de março de 2010

"O EMÍLIO QUE FICOU RICO NA ÉPOCA DO SÉRGIO EMÍLIO", DISSE O DEP. RONALDO JOÃO (PDT), EXPLICANDO PORQUE REJEITOU O EMÍLIO DE VASCONCELOS (PSB) COMO COMPANHEIRO DE CAMPNHA PARA PREFEITO EM 2008

O homem estava sedento para revelar os bastidores da "costura" que o levou a ser vice-prefeito de Sete Lagoas na chapa de Maroca na última eleição (2008). Falo, claro, do deputado estadual, Dr. Ronaldo João (PDT), que deve, atenção, ter ficado muito desapontado comigo porque não publiquei as suas revelações logo após elas terem sido dadas - adiei 15 dias. Tive paciência para publicá-las agora pós-Carnaval que o mundo político está mais desperto e a sociedade cada vez mais interessada, sobretudo, nos bastidores políticos em Sete Lagoas para entender por que a cidade não muda.

E a coisa está quentíssima e o nosso deputado vai poder saciar mais o seu desejo que a sociedade conheça tudo e, principalmente, os porquês atrás das escolhas que andaram acontecendo em Sete Lagoas. Afinal como se verá a ansiedade do deputado era realmente uma coisa notável, tanto na entrevista a mim, quanto na entrevista ao João Carlos, dada poucos dias após ele ter falado comigo, quando ele, chegou a fazer-lhe um, como direi?, apelo para tratar do assunto, reparem bem. "João Carlos o que eu gostaria que você me perguntasse, que é uma coisa que eu tenho que esclarecer pro povo no seu programa, porque é o seu programa, João Carlos, que chega lá, o do Padrão também chega, são programas que vão no fundo da cozinha e que o nosso povo escuta todo dia." Sua entrevista na rádio foi agora no final de fevereiro. O que queria revelar o deputado Ronaldo João de tão importante?

"EÛ QUERIA QUE VOCÊ ME PERGUNTASSE DEPOIS COMO É QUE FOI FEITO ESSA DUPLA MAROCA DR. RONALDO PORQUE ISSO O POVO PRECISA DE COMPREENDER, QUE HOUVE UMA COSTURA ANTES, porque eu queria ser prefeito. Eu era candidato a prefeito. A HORA QUE PUDER EU GOSTARIA DE FALAR." E ao responder ao jornalista se a "composição" com o Maroca foi a melhor "possível". O deputado foi ao ponto, mostrando segundo ele, um risco eminente, observem no "NEGÓCIO FICAVA FEIO": "FOI SIM JOÃO, SE FOSSE OUTRA O NEGÓCIO FICAVA FEIO". E aqui é que entra as revelações feitas ao blog que esclarece imagino "o negócio ficava feio". Então se preparem para as revelações do Dr. Ronaldo João. Antes só mais alento ao deputado: ele vai ver quantos "fundo da cozinha do nosso povo" sua fala vai adentrar por aqui, e pode até comparar a repercussão quando o jornalismo e é tratado como jornalismo, aliás ele já conhece o blog como um leitor frequente, não é deputado?

*

Áudio da entrevista:


SEGUE A ENTREVISTA
Dep. Ronaldo João - Não posso falar mal dele não porque pega mal, se entendeu [aqui ele está sendo questionando sobre as deficiências do governo Maroca]? Porque é quem escolheu ele de vice, foi que escolhi, ninguém me chamou pra vice.

Blog - É.

Dep. Ronaldo João - O Leonardo você é um rapaz inteligente você merece saber a história, vamos chegar aqui mais no canto, eu tô com pouco tempo. Eu, Duílio, Maroca fomos reunindo para definir um nome, aí veio o Emílio, aí veio o João, aí veio o PT veio coligando todo mundo para formar um bolo grande. Nós reunimos um ano antes.

Blog - Eu lembro daquelas [um depois eu explico o que quase disse aqui]...

Dep. Ronaldo João - Eu queria ser prefeito.

Blog - Eu lembro disso

Dep. Ronaldo João - Mas lá no final quando eu vi que ninguém descia um degrau, quem desceu fui eu.

Blog - Ahãm

Dep. Ronaldo João - Aquilo foi uma humildade da minha parte. Eu quero ser prefeito, mas naquele momento eu vi que não dava todo mundo queria. Então que que ia acontecer: a política velha continuava. Só que aí eu desci o degrau - eu me ofereci como vice. Pensei pra quem que eu vou me oferecer? Porque eu acho mais justo, achei mais justo o Maroca.

Blog - Ahãm.

Dep. Ronaldo João - Você pode perguntar pra ele: eu é que me ofereci.

Blog - Na verdade eu acho que entre aspas que você foi o culpado pelo que aconteceu na época.

Dep. Ronaldo João - Sim. Sem dúvida, não tem dúvida nenhuma. AGORA NAQUELE TIME QUE ESTAVA LÁ QUEM VOCÊ ACHA QUE EU PODERIA ESCOLHER, PENSA UM POUQUINHO. O JOÃO BATISTA?

Blog - É, não, de maneira nenhuma.

Dep. Ronaldo João - Que eu já conhecia da medicina e já sabia quem ele era. O EMÍLIO QUE FICOU RICO NA ÉPOCA DO SÉRGIO EMÍLIO.

Blog - De jeito nenhum.

Dep. Ronaldo João - Então quem escapava? "ELLE".

Blog - É.

Dep. Ronaldo João - Então, a culpa não é minha não... VOCÊ QUER SABER A VERDADE? EU NÃO CONHECIA MAROCA NÃO, NUNCA FUI AMIGO DELE.

Voltei
Bem, acho que Sete Lagoas a cada dia compreende mais como é feita política em "Sélagoas", aqui vigora a política dos políticos. Eles reúnem-se fazem os ajeitamentos, a "costura", e pedem o povo que fica de fora para votar no "TIME" escalado por eles mesmos, entre os mesmos. E vejam que estas informações que poderiam revelar o mal caratísmo de um determinado pilantra, as bandalheiras ficam restritas aos mesmos, as campanhas são meros ritos de passagens, sem vida, sem revelações dos fatos conhecidos no mundo político, porque ganhe quem ganhar depois se reúnem-se novamente e repartem, entre eles, o bolo, o povo fica com as migalhas, o sofrimento da escassez de tudo que deveria ter uma cidade minimamente decente de verdade com o seu povo.

Os velhos políticos sempre estão a falar em nome do... povo e da defesa de "nossa Sélagoas", mas não se conta ganhos reais coletivos para cidade, sempre dominada pelo mesmos, que agora desembarcaram em atacado no governo plantão, como sempre fizeram. A sociedade setelagoana tem que reagir e rejeitar, primeiro, as costuras como essa revelada pelo ex-prefeito e agora uma outra que já começa a ser arquitetada há três anos do próximo pleito. Novamente vão querer que você a referende na próxima eleição, vejam a intenção explicitada dos organizadores dessa nova. "É lógico que esta reunião já está direcinando o início de uma composição visando também as eleições de 2012 para priefeito".

Trata-se de uma reunião da mesmisse visa garantir a manunteção do status quo local. Ora, quem é contra o debate, mas o debate político tem que acontecer primeiro dentro dos partidos de forma reafirmar identidades e programas e não entre a maioria dominante dos grupos políticos de "Sélagoas", assim não se formam novos líderes, não se formula novas propostas para cidade, o debate que interessa fica interditado pela sempre "composição" das forças do atraso dominante. E hora de o povo dizer imitando o deputado Dr. Ronaldo João: "Agora naquele TIME que estava lá quem você acha que eu poderia escolher, pensa um pouquinho".
Postar um comentário