terça-feira, 17 de novembro de 2009

COMO O ARQUI-INIMIGO DO PSDB CIRO GOMES PODE SER ALIADO DO... PSDB? SIMPLES: ALIANÇA COM UM TERRORISTA INTERNO

O governador Aécio Neves é do PSDB - filiado pelo menos - mas ele parece que não gosta do PSDB. Por quê? Porque alia-se ao arqui-inimigo do partido, o deputado, Ciro Gomes do PSB. Isso é ilegítimo. Até numa guerra existem limites éticos a serem respeitados, como por exemplo não atacar um carro de socorro a vítimas. Na disputa política também existem limites que devem ser respeitados. Mas Aécio está disposto a golpear abaixo da linha da cintura o seu... próprio partido.

O jogo baixo do governador Aécio Neves está em aproximar-se de Ciro Gomes mais para implodir as chances do partido, que viabilizar-se candidato. Vamos ao detalhes. Ciro é o mais impiedoso adversário dos tucanos, os paulistas em especial. Sua obstinação é destruir essa ala do PSDB. Algo notoriamente sabido. Então como é possível imaginar que uma aliança cearence com o mineiro possa ser a construção de uma parceiria para vencer? São Paulo iria referendar essa aliança? NUNCA.

E por que Aécio Neves investe nisso? Porque ele faz o seu próprio jogo e lixa-se para o partido. Desta feita, nada melhor que procurar um arqui-inimigo da sigla para a empreitada, não é mesmo? Aécio aposta no futuro. Como está claro. Veja a seguir.

Com idade para ser filho de José Serra, Aécio Neves quer apenas se projetar seja conseguido ser o candidato mesmo sem chances; seja promovendo uma luta inanceitavel contra o seu colega de partido. Acha que de uma forma ou de outra seu futuro está assegurado. O que lhe importa é projetar-se de uma maneira ou de outra; e inviabilizar José Serra. Se candidato agindo assim não terá o apoio de Serra, se for o contrário lava as mãos para sorte do colega - ah, se não der uma forcinha para o adversário como em 2002.

Sua aposta é no amanhã, ou seja 2014. Mas é aí que morre o perigo. Observem, se hoje o PT está forte com as práticas populistas-assistencialistas, o domínio da maquina pública - governo, estatais, fundos de pensão, sindicatos... -, em 2014 os petralhas estarão muito mais forte. E o país estará muito mais próximo do padrão bolivarianista-venezuelano: partidos oposição mais enfraquecidos ainda, opositores perseguidos - já estaremos muito próximo de uma ditadura. Aí, bay, bay sonho de futuro.
Postar um comentário