terça-feira, 11 de agosto de 2009

O FICA LISBOA, VENCEU!

Reginaldo Tristeza como vocês já devem estar sabendo recuou, fazendo alguns elogios ao trabalho da secretária de Maria Lisboa, quer dizer, foi derrotado e teve que render-se. Sua meta era derrubar Maria Lisboa: e ele fez de tudo para isso. Fracassou. Na primeira investida transformou um diálogo entre ambos, ele e a secretária, numa peça de acusação contra ela, Maria Lisboa. Depois disso veio o fora-Lisboa. Campanha impiedosa. Derrubá-la era uma questão de honra para o edil, tanto é fato que numa reunião, na prefeitura, acompanhando dos outros colegas que ameaçavam criar uma CPI e pediam mudanças, Reginaldo teria cobrado o seu "fora-Lisboa". Os colegas riram, num gesto desaprovação a sua demanda.

Ao centro Duílio de Castro, Maria Lisboa e eu, Leonardo Barros com as diretoras. Elas também foram valentes na luta pelo projeto transformador e vitorioso que está em curso. O vereador Reginaldo Tristeza fez de tudo para impedir e foi derrotado.

Reginaldo Tristeza é verdade quase teve sucesso na sua empreitada de derrubar a professora Maria Lisboa. Foi por pouco que ela não caiu. Hoje, depois da rendição do vereador, posso dizer que no dia 6 de julho, quando eu e as diretoras estivemos com o prefeito, ele demonstrava dúvida quanto a manter a educadora. Tive medo que a educação perdesse essa grande profissional, por isso, parti para um duelo franco com o vereador de forma revelar para sociedade o que estava acontecendo.

Dois dias depois de ir ao prefeito e ter escrito um texto entitulado Maria venceu, nascia o manifesto do Conselho de Alimentação Escolar (CAE), denunciando a suposta falta de alimento nas escolas. Informado da articulação antecipei à divulgação do manifesto com o texto: ATENÇÃO! VÃO CRUCIFICAR MARIA LISBOA EM PRAÇA PÚBLICA; VEM AÍ O MANIFESTO DA COVARDIA PARA TENTAR DESTRUÍ-LA. QUE MAROCA NÃO SE ACOVARDE! Assim, o manifesto perdeu força, nascendo quase morto, não teve impacto. E a sociedade entedeu o que estava em curso.

Mas Reginaldo prosseguiu em sua fúria tantando derrubar a secretária de Educação e faltando um dia para o encerramento das aulas do primeiro semestre, ele chamou a polícia na Escola Municipal Mosenhor Mesias alegando que não havia alimento. A polícia chegou e encontrou farta quantidade de alimentos preparados para o encerramento com uma festa junina: cangica, pipoca, feijão tropeiro, arroz temperado... Foi uma experiência traumatizante para a escola e a diretora, Mariângela Abreu, me disse ela.

Como podem ver foi uma luta dura. Me orgulho de ter feito parte dessa resistência e parabenizo a professora Maria Lisboa que aguentou o tranco e foi uma guerreira diante de tantos golpes e as educadoras que arregaçaram as mangas e foram luta por nova educação, que está chegando. Sim, a Educação venceu: derrotou o corporativismo, a politiqueira e o populismo rasteiro e medíocre.

Enfim, Reginaldo Tristeza agora vem cinicamente dizer que reconhece isso e aquilo. Faria melhor, como me disse uma importante pessoa da educação, se ficasse calado.

Em tempo. Muita gente achou que era um grave erro político meu assumir a luta para Maria ficar, mas não coloco a política na frente do que considero melhor para a coletividade. Me orgulho de ter liderado o FICA LISBOA. Tenho responsabilidade e faço escolha. Enfrentarei sempre que preciso o custo da impopularidade para ajudar a fazer avanços.

Postar um comentário