domingo, 30 de agosto de 2009

Fim da Falta de água em Sete Lagoas, COMO SERIA BOM SE FOSSE VERDADE 1 - OU MAIOR FACTOIDE DO GOVERNO MAROCA


O Governo Maroca resolveu aderir de vez a demagogia e ao factoide repetindo o velho modo de governar na cidade. Em release transformado em manchetes na imprensa áulica a administração Maroca decretou o fim d' falta da água em Sete Lagoas. É o fim mesmo da última gota de vergonha do Governo Maroca, eles perderam de vez o pudor em enganar os ainda bobos que acreditam neles. Vamos a historinha deles.

De acordo com o release que vem assinado pela Secom/Prefeitura e plantado na imprensa a solução para o problema da falta de água "é a interligação do sistema de distribuição de água na cidade". E para tornar a notícia mais verossímil o prefeito já fala dos transtornos provocados pela obra: "pedimos a compreensão e a paciência de todos". Bem, essa é só uma parte da história.

E a história completa é:
1) a interligação de um sistema de abastecimento de água não tem o poder mágico de fabricá-la e a fonte subterrânea é cada dia incapaz de ofertar a quantidade suficiente de água que Sete Lagoas precisa.
2) o financiamento para buscar água do Rio das Velhas voltou, atenção!, a estaca zero. Como eu sei? O Engenheiro Geraldo Guaraci da Secretaria de Obras me informou na sexta-feira que o dinheiro para captação de água no Rio das Velhas que como sei já esteve liberado pelo BNDES agora voltou como ele me disse a análise do Ministério das Cidades e só depois, se passar dessa etapa, é que vai novamente para avaliação do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) para aprovar ou NÃO esse endividamento.

Portanto, diante da informação completa, a situação e a perspectiva em relação água é de piora e agravamento do quadro que a cada momento está pior por causa da relação: demanda cada vez maior x oferta cada vez menor. O precipício está cada vez fica mais perto e o sistema está muito próximo de chegar ao colapso. Nessa situação a interligação da rede é inócua.

Assim, então, qual é objetivo da notícia plantada na mídia local acrítica sobre o fim da falta da água na cidade? Ludibriar a população que se encontra revoltada com a escassez de água por toda a cidade. Eles estão metaforicamente brincando com fogo. A cidade está a beira do colapso e a sua única fonte de água que está se esgotando e eles estão tentando tapear a população para não ter que admitir que a solução é estrutural e eles não fizeram nada de concreto até agora. Essa medida de interligação é pontual e não resolve o problema da falta de água porque não é capaz de produzir água, sobretudo, no verão que vazão dos poços caem mais de 20%.

A questão da água de Sete Lagoas é muito grave e não se limita ao risco de colapso no abastecimento. Existem outras ameaças que se somam a essa como a retirada cada vez maior de água do subsolo e pode levar a abatimentos mais graves do que os que estão acontecendo e o risco da contaminação da água que na prática não tem controle de potabilidade e pode levar a letalidade de pessoas. A interligação em caso de contaminação da água só faz aumentar a escala do problema, é o caso do ferro e manganês do CDI que pode atingir depois da integração a água de toda cidade.

O certo, amigos leitores, é que o Governo Maroca está recorrendo ao factóide porque não recorreu no início do governo a solução certa e agora para atenuar a pressão popular expõe o velho jeito governar.
Postar um comentário