quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Serra defende o fim do vice em "tempos modernos"


Tucano diz que falta de popularidade no PSDB no Nordeste é apenas "folclore"
Do Tempo:
São Paulo. O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), pré-candidato à Presidência da República, defendeu a extinção da figura do vice. Segundo Serra, com os avanços tecnológicos que permitem ao titular governar à distância, o vice se tornou desnecessário. Em caso de afastamento ou morte do titular, Serra defendeu novas eleições ou o Congresso poderia eleger o sucessor, dependendo do tempo de mandato restante.

"Na revisão constitucional, no início dos anos 90, defendi não ter mais vice. O Chile não tem, outros países não têm", disse Serra, em entrevista ao "Programa do Jô".

Serra justificou que desde 1946 até o início dos anos 90 só os presidentes Juscelino Kubitschek e Eurico Gaspar Dutra completaram seus mandatos (Jânio Quadros renunciou, Tancredo Neves morreu e Fernando Collor foi afastado). Alguns dirigentes tucanos têm defendido uma chapa com Serra como candidato a presidente e o mineiro Aécio Neves (PSDB) para vice na eleição de 2010. O próprio governador paulista, no entanto, admitiu que a ideia não tem futuro. Ele defendeu também o fim dos suplentes no Senado.

Folclore. Serra afirmou, mais cedo, que é folclore dizer que o PSDB é fraco na região Nordeste. Ele negou que haja um caráter eleitoral nas viagens que fará, nas próximas semanas, à Bahia e ao Rio Grande do Norte. "Candidatura e campanha eleitoral são ano que vem." O tucano classificou-se como um "político nacional".
Postar um comentário