quarta-feira, 5 de agosto de 2009

O ponta pé do 2º tempo na educação

Mais importante que o lançamento do "Programa Mais Educação" que diz respeito a Escola em tempo integral foi o Ponta pé inicial do segundo semestre letivo dado pela equipe de dirigentes educacionais de Sete Lagoas nesta segunda-feira. Precedido por um encontro de confraternização entre a secretaria e as diretoras das escolas municipais a solenidade foi o marco da ampliação na cidade da Escola em Tempo Integral.

Mas como disse o momento foi a oportunidade de se reafirmar um comprossimo destas dirigentes com um projeto educativo para Sete Lagoas. Depois de um primeiro semenestre marcado pela ruptura e pelo conflito salutar num processo de mudança e também pela infeliz e covarde perseguissão pessoal, sim, do vereador Reginaldo Malvadeza a professora Maria Lisboa. A solenidade representou a reafirmação de uma escolha da educação como prioridade e não a politicagem e outras coisas mais que se sobrepunham ao fazer educativo.

Tudo isso acontece pela visão, liderança e competência da professora Maria Lisboa que está empreendendo uma valorosa transformação na prática educacional. Está de parabéns ela e toda equipe que estão sabendo compreender e participar como protagonista deste avanço. Cito como exemplo de iniciativa protagonista a diretora Janaina que fez e está fazendo importantes melhorias físicas nas instalações de sua escola, com recursos próprios que conseguiu levar. Ela me contou com muito entusiasmo o que vem fazendo. A propósito um dos grandes reflexos do trabalho da educadora Maria Lisboa é despertar o talento empreendedor dessas grandes mulheres que antes eram reprimidas por atitudes politiqueiras mesquinhas como a do vereador Reginaldo Tristeza, que inibiam a iniciativa e a criatividade.

Hoje as diretoras se sentem mais positivamente donas do espaço escolar para realizar o seu trabalho como gestora. A dificuldade antes era a interferência politica e a fofoca que faziam as vezes do comando e direcionamento com ingerencias. Esse foi o testemunho que ouvi de diversas diretoras com quem conversei no evento. Antes o funcionário acessava a secretária que passava por cima da direção da escola, Maria Lisboa acabou com isso e hoje a diretora é autoridade de direito e de fato, o que lhe assegura uma autonomia para fazer o trabalho.

Isso não significa e nem pode o autonomismo ao sistema mas uma ação feita sob direcionamento da Secretaria de Educação que também está oferecendo oportunidade de qualificação para essas valentes dirigentes. Não só a formação externa como acabou de acontecer com um grupo que recebeu 360 horas de treinamento em gestão pela UFMG mas, sobretudo, dicursão e reflexão sobre o dia-a-dia de trabalho que muitas vezes ensina muito mais.

A Secretária de Educação, professora Maria Lisboa



Janaina de vermelho, uma empreendedora na educação

Nos bastidores: Ana Luisa faz a cobertura jornalista do evento

Momento de confraternização

Os vereadores, estiveram presentes

As valentes dirigentes escolares

Postar um comentário