terça-feira, 18 de maio de 2010

GREVE DA EDUCAÇÃO EM MINAS GERAIS


Por Mateus Castanha - Estado de Minas:


Os alunos da rede estadual de ensino receberam uma péssima notícia na tarde desta terça-feira. Em assembleia, os professores decidiram, praticamente por unanimidade, pela manutenção da greve por tempo indeterminado. A paralisação já dura 40 dias e atinge cerca de 80% dos profissionais.

LEIA TAMBÉM:
GREVE DO SIND-UTE É POLÍTICO-ELEITOREIRA; INGÊNUO FOI O GOVERNO QUE ACABARA DE CONSEDER AUMENTO AOS EDUCADORES E NÃO DENUNCIOU A MANIPULAÇÃO TRAPACEIRA DO PETISMO E CIA TRAVESTIDO DE SINDICATO

Os professores se reuniram no início da tarde na Praça da Assembleia, Bairro Santo Agostinho, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Após a votação, eles iniciaram uma passeata que tem como destino final a Praça Sete. A BHTrans recomenda cautela aos motoristas que transitarem pelo Centro da capital, já que o trânsito deve ficar complicado.

De acordo com o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), a categoria reivindica a implantação do piso salarial de R$1.312,85 para jornada de 24 horas semanais e nível médio de escolaridade.

A opção pela manutenção da greve frustra o governo de Minas, que esperava um desfecho favorável das negociações já nesta terça.

A Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) havia anunciado o corte do ponto dos professores a partir dia 11 de maio, quando o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) considerou a greve ilegal pela segunda vez. Os professores também temem o risco de demissões.

Levantamento do governo aponta que 10% das escolas estaduais estão totalmente paralisadas. Cerca de 30% tiveram atividades prejudicadas pela falta de profissionais.

Matérias Relacionadas:
Postar um comentário