quarta-feira, 5 de maio de 2010

2012 EM DEBATE

Em um artigo intitulado a "A grande obra do Maroca do PT" Fernando Cabrera defende a tese que Maroca está "fazendo um grande favor à cidade de Sete Lagoas, pois é fim do tradicionalismo de sobrenome na cidade". "Ele zerou a política lacustre, e isso é ótimo para a cidade", diz ainda. Sim, eu sempre considerei Maroca o cara errado, na hora errada e a cidade que está num momento excepcional desperdiça com o seu mambemabe tempo.

Torço, entretanto, para que amadureçamos como sociedade para dar um passo melhor. Precisamos de um novo caminho construído sem recorrer aos voluntárismos, com a ousadia dos empreendedores visionários e a sabedoria conquistada do aprendizado histórico nosso e alheio.

Graças a Deus a cidade não vai precisar apelar ao esquerdismo ilusório, porque está tendo e já teve a experiência com essas figuras, durante os três últimos prefeitos - incluindo Maroca - foram eles de fato quem deram as cartas em Sete Lagoas: Flávio de Castro, com Ronaldo Canabrava, Ênio do PT, com Leone Maciel e de novo Flávio de Castro, com Maroca. O resultado é o que assistimos e estamos a ver neste momento. Leiam o artigo de Fernando Cabrera:

A GRANDE OBRA DO MAROCA DO PT...
Não resta dúvida que o prefeito em exercício Maroca do PT com essa sua desastrosa administração, ele está fazendo um grande favor à cidade de Sete Lagoas, pois é o fim do tradicionalismo de sobrenome na cidade.

O prefeito em exercício Maroca do PT está conseguindo com sua péssima, omissa e inoperante administração sepultar de vez a política tradicionalista de sobrenome na cidade.

Não tenho dúvida que o povo Setelagoano vai tomar até trauma politicamente do sobrenome Paiva. Vai ser muito difícil outro membro da família se eleger prefeito de Sete Lagoas.

O que é uma pena, pois existem várias pessoas na família Paiva que são dinâmicas, ousadas, determinadas, inteligentes etc.

Penso também que não será apenas o sobrenome Paiva que vai sofrer com o efeito desastroso do vulcão “El Maroca”.

Porém todos os sobrenomes que remetam ao tradicionalismo político da cidade também serão sepultados. Como por exemplo: Reis, Campolina, Vasconcelos, Maciel, Paulino, Dutra, Lanza etc.

Existe um fato bem curioso nesta questão de sobrenome tradicional na política.

Depois da redemocratização do País em 1989 tivemos três presidentes eleitos pelo voto popular que foram: Fernando Collor, Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, os dois últimos para dois mandatos.

Dos três apenas o Collor vem de família tradicional na política, pois é neto de ex ministro e filho de ex senador, e justamente o Collor que vem de uma família tradicional foi o único que foi cassado pro improbidade administrativa.

Então sobrenome tradicional não que dizer nada...!!!

Não resta dúvida que o prefeito em exercício Maroca do PT com essa sua desastrosa administração, ele está fazendo um grande favor à cidade de Sete Lagoas, pois é o fim do tradicionalismo de sobrenome na cidade.

Essa para mim é a grande obra do prefeito “coveiro”...!!!

Ele zerou a política lacustre, e isso é ótimo para a cidade...!!!
Postar um comentário