domingo, 30 de maio de 2010

USINA DE LIXO E DEPUTADO FEDERAL MÁRCIO REINALDO TRABALHANDO: "TODO CUIDADO É POUCO" SETE LAGOAS

Leiam o Editorial do jornal Sete Dias sobre a "a tal usina de lixo que pode vir da Suíça". Comento no final do texto:

Todo cuidado é pouco
É bom alertar logo, e que toda a comunidade saiba. Por enquanto é só conversa de rodas políticas e empresariais, mas quando este tipo de assunto começa a circular é porque lá vem bomba: a tal usina de lixo que pode vir da Suíça, seria instalada na saída de Sete Lagoas para Prudente de Morais, perto da rodovia MG – 424, vizinha à fábrica da Elma Chips, quase dentro da cidade.

Em princípio a ideia de local pode parecer uma inaceitável loucura, porém, quando se fala em um negócio de mais de US$ 100 milhões, e envolve vários intermediários que podem receber gordas comissões, temos que ficar em estado de alerta.


Muito pouco se sabe a respeito do projeto dessa suposta usina, mas o próprio nome já recomenda cuidados: lixo! O que se comenta é que Sete Lagoas vai se tornar uma receptora gigante do lixo de várias grandes cidades de Minas e até do Espírito Santo, e que toda essa porcaria será “tratada” aqui, rendendo alguns milhões aos empreendedores.

Reiteramos que nenhuma autoridade municipal ou federal manifestou nada a respeito, mas sabemos como as coisas funcionam no Brasil. Quando os políticos teem algum interesse direto, aliados a empresários gananciosos, fazem qualquer negócio, e que se danem os interesses da coletividade.

Por outro lado, temos um ponto favorável, pois todos sabemos também que em Sete Lagoas a fiscalização aos rigores da lei é grande, em termos de licenciamento ambiental, mesmo quando os empreendimentos são altamente positivos, como um shopping center, um condomínio de luxo ou uma fábrica de cerveja.

Por isso, já fazemos um alerta prévio ao nosso Ministério Público, Fundação Estadual do Meio Ambiente – FEAM, Câmara de Vereadores, ONGs ambientais, empresariado local e a toda a comunidade: esses mais de US$ 100 milhões de dólares estão mexendo com a cabeça de muitos graúdos da nossa política, e eles jogam pesado.

É preciso saber a quem realmente interessa essa tal usina de lixo, porque dependendo do que será, é melhor matar logo essa idéia no nascedouro.

Já somos a única cidade de porte médio a despejar esgoto não tratado no Rio das Velhas, denunciada permanentemente pelo Projeto Manuelzão, e não podemos correr o risco de ganharmos mais um problema com sujeira.

Comento
O Editorial está prestando um grande serviço à comunidade ao alertar-nos sobre a ameaça que pode conter esse projeto, absolutamente OBSCURO como tudo que envolve A ADMINISTRAÇÃO MAROCA E ESSE DEPUTADO MÁRCIO REINALDO. A seguir aliás faço uma digressão sobre o deputado para revelar a sua operosidade, tanto a marketeira quanto a não marketeira, que a rigor, se formos olhar, ele faz menos mal Sete Lagoas quanto faz de conta, que quando faz de fato. Isso fica claro como no caso dessa usina de lixo que ele quer despejar em Sete Lagoas e o jornal Sete Dias da o alerta. Vamos lá.

Muito se fala sobre as supostas verbas que o deputado traz para a cidade; nada ou quase nada, no entanto, se vê como resultado dessas ditas GRANDES verbas tão propagandeadas. Um fato que revela isso é que as verbas "CONQUISTADAS PELO NOSSO DEPUTADO FEDERAL" para construção dos banheiros para o novo espaço da Feira do Boa Vista em 2008, ACREDITE, ficaram só no FATURAMENTO de marketing do deputado, porque até hoje não sairam do papel, apesar de terem saído, FARTAMENTE, nos papeis dos jornais locais.

Então, muito do que o deputado CONSEGUE para Sete Lagoas nunca se materializa de fato, mas o pior dele não está na ludibriação, no faz de conta de suas verbas que não saem do papel, mas exatamente nas ações que se materializam. Esta aí o alerta do Jornal Sete Dias para o mal que essa usina de lixo pode fazer a Sete Lagoas. Uma negociação obscura do deputado com empresários que mal sabemos quem é, e agora se juntou a administração oculta do Maroca. O resultado dessa AÇÃO do deputado federal Márcio Reinaldo é que pode ser despejado em Sete Lagoas toneladas lixo até de outros estados, tonando a cidade com potencial turístico conhecida como deposito de lixo.

É isso, quando o deputado "trabalha e resolve" com a conivência e participação dos governos locais quem paga o pato é a população de Sete Lagoas. Foi assim na questão do saneamento, onde por obra de intervenção sua Sete Lagoas deixou receber uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) da Copasa em 2007, e é por intervenção sua que a cidade pode se tornar um depósito de lixo, com seus efeitos poluidores no meio-ambiente e na imagem da cidade das 7 lagoas. Por isso, vale reiterar o alerta do Jornal Sete Dias: "Quando os políticos teem algum interesse direto, aliados a empresários gananciosos, fazem qualquer negócio, e que se danem os interesses da coletividade."
Postar um comentário