sábado, 29 de maio de 2010

CASO DO GOLEIRO BRUNO DO FLAMENTO, VEJAM AS MATÉRIAS ABAIXO:

(Data original da postagem: terça-feira, 29 de junho de 2010, às 03:34)

Abaixo:
1) Polícia investiga sítio do goleiro Bruno

2) VEJA VÍDEO DA Entrevista gravada pelo jornal Extra do Rio - namorada denunciou ameaças

3) Polícia encontra fraldas, roupas de bebê e femininas no sítio do goleiro Bruno

4) Policiais vasculham sítio e encontram indícios de crime

5) Muitas contradições em investigações do Caso Bruno

Polícia investiga por mais de seis horas sítio do goleiro Bruno em MG
Atleta é suspeito no sumiço da ex-namorada Eliza Samúdio.
Jovem tentava provar na Justiça que Bruno é pai do filho dela.
Do G1, com informações do Jornal da Globo


A polícia investigou por mais de seis horas o sítio do goleiro Bruno, em Esmeraldas, na Grande Belo Horizonte, Minas Gerais. Ele é suspeito do sumiço da ex-namorada Eliza Samúdio, que entrou na Justiça para tentar provar que teve um filho com o atleta do Flamengo.

Até o final da noite desta segunda-feira (28), a movimentação de policiais no condomínio onde fica o sítio do jogador era intensa. Os peritos esperaram escurecer para usar um composto químico, popularmente chamado de luminol, que em contato com sangue, reage e libera uma luz esverdeada. A reação química revela, por exemplo, gotículas de sangue, imperceptíveis a olho nu.

A polícia não informou se encontrou as marcas de sangue. Mais cedo, os policiais procuraram provas pela casa, também dentro de um poço e numa lona encontrada no porão.

Eliza Samúdio desapareceu há três semanas. Ela tentava provar na Justiça que o goleiro do Flamengo é o pai do filho dela, de quatro meses.

“A última conversa que eu tive com ela foi no dia 4 de junho. Ela me informou que estava tratando com o Bruno e acertando sobre a data em que eles iriam fazer o exame”, disse a advogada de Eliza, Anne Faraco.
De acordo com a polícia, nesse suposto encontro, Bruno e dois amigos teriam espancado Eliza no sítio do goleiro. Dayane de Souza, atual mulher do jogador teria tentado esconder o bebê. Ela foi autuada em flagrante por subtração de incapaz. Bruno foi afastado pela diretoria do Flamengo e depois da dispensa não foi visto no condomínio onde mora .

As buscas vão ser retomadas nesta terça-feira (29). A polícia informou que foram encontradas fraldas e roupas femininas e de bebê.




Polícia encontra fraldas, roupas de bebê e femininas no sítio do goleiro Bruno
Material foi encontrado dentro da casa do jogador do Flamengo.
Ele é suspeito de estar envolvido no desaparecimento de ex-namorada.
Da Globominas.com

Polícial faz buscas no sítio goleiro Bruno
A Polícia Civil de Minas Gerais encontrou objetos que indicam a presença de mulheres e de criança dentro da casa no sítio do goleiro Bruno. Policiais fazem buscas na propriedade durante esta segunda-feira (28), na cidade de Esmeraldas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Eles investigam se o goleiro tem envolvimento com o desaparecimento da ex-namorada, Eliza Samúdio, que desapareceu há três semanas.

As buscas começaram as 16h30, com cinco carros da polícia no local. Dois delegados acompanham o trabalho dos agentes. Pouco depois de entrarem na propriedade, os policiais concentraram a investigação em uma cisterna. Mas nada foi encontrado no local, segundo um policial que falou à imprensa ao sair do sítio.

Dentro da casa, segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, foram encontradas fraldas, roupas de bebê e femininas; além de uma passagem aérea com o nome ilegível.

Polícia examinou câmeras de segurança no sítio do goleiro Bruno Bombeiros enviam dois carros para sítio do goleiro Bruno em MG Polícia faz buscas no sítio do goleiro Bruno em Minas Um carro do Corpo de Bombeiros deixou a propriedade às 20h15. Mas policiais civis ainda estão na propriedade e não têm previsão de término dos trabalhos, segundo a assessoria de imprensa da corporação.

Entenda o caso
De acordo com a polícia, o sumiço da jovem começou a ser investigado depois de denúncias de que ela havia sido agredida no sítio que pertence ao jogador. Segundo a delegada Alessandra Wilke, Bruno é suspeito de envolvimento no desaparecimento de Eliza.

Dayane Fernandes, mulher do goleiro Bruno, teria dito, em depoimento à polícia, que Eliza teria abandonado o filho de quatro meses. O bebê foi encontrado pela polícia na madrugada de sábado (26), com uma senhora desconhecida. No domingo (27), o bebê foi entregue a Luis Carlos Samúdio, pai de Eliza.

Dayane chegou a ser levada à delegacia na sexta-feira (25). Ela foi detida, e liberada em seguida. Segundo a delegada, ela foi autuada por subtração de incapaz.

A polícia já ouviu funcionários do sítio de Bruno e amigas de Eliza.

Policiais vasculham sítio e encontram indícios de crimeFaca que pode ter sido usada em ação é periciada; houve buscas em cisternas
No O Tempo, por CAROLINA COUTINHO E RAPHAEL RAMOS:
Depois das primeiras três horas de buscas no sítio do goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, 25, ontem, no condomínio Residencial Turmalina, em Esmeraldas, na região metropolitana de Belo Horizonte, fontes da Polícia Civil já confirmavam existirem indícios de que a ex-namorada do jogador, Eliza Samudio, 25, esteve no local e também de que um crime poderia ter ocorrido na propriedade.
Agentes que participaram das buscas recolheram materiais suspeitos, entre eles uma faca, que pode ter sido usada contra uma possível vítima. Além disso, foram encontradas uma fralda e uma passagem aérea na casa, mas policiais não informaram o nome da pessoa indicada no bilhete, nem o destino da viagem. Todo o material recolhido começou a ser periciado ontem. Até as 23h, policiais estavam no sítio do jogador.


Peritos espalharam o líquido luminol por toda a casa de Bruno para checar a possível presença de manchas de sangue. Policiais usaram cordas e lanternas para ajudar na verificação de cisternas no condomínio e ainda reviraram móveis e cortinas da casa do goleiro.
A movimentação foi intensa durante toda a tarde e noite em Esmeraldas. As buscas na propriedade do atleta começaram por volta das 16h30, depois que a Justiça expediu mandado de busca e apreensão, dando acesso livre para os investigadores. Cerca de 20 policiais civis, entre eles os delegados Júlio Wilke, Alessandra Wilke e Ana Maria dos Santos Paes, foram os primeiros a chegar ao local.
Por volta das 20h, mais de 20 bombeiros estavam na casa, auxiliando as buscas. Além deles, 14 militares reforçaram a equipe. O delegado Edson Moreira, chefe do Departamento de Investigações, disse que as buscas progrediam.
No final da tarde, informações no Twitter, em rádios locais e nos sites de notícias davam conta de que o corpo de Eliza havia sido encontrado. A corporação negou, mas um agente da Polícia Civil chegou a dizer que um corpo foi localizado, mas não era da jovem.
Advogado diz que Dayanne está ‘chocada’ e é inocente
A mulher de Bruno, Dayanne Rodrigues Sousa, 23, está com a família em um apartamento em Belo Horizonte, aguardando os desdobramentos do caso. O advogado dela, Monclar Gama, disse ontem que ela está "chocada" com o caso e afirma ser inocente.
"Ela está chocada e atônita por ter sido presa sob a acusação de ter subtraído a criança. Ela encontrou o bebê no dia 23, quando chegou do sítio, mas ela não encontrou em momento nenhum com a moça que sumiu. Ela só mentiu sobre o bebê porque estava nervosa", disse. (Carolina Coutinho)

Muitas contradições em investigações do Caso Bruno

Da Veja.com:
O desaparecimento de Eliza Samudio, 25, é o capítulo mais recente - e o mais trágico - de uma história que nunca teve nada de romance. A polícia de Minas Gerais, que junto com policiais do Rio tenta descobrir o paradeiro da jovem desde a quinta-feira da semana passada, acredita que a explicação sobre o sumiço passa pelo goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza, com quem ela teve um caso em maio do ano passado. Contudo, a única certeza que se tem até agora é que o caso é cheio de contradições.

Amigos de Eliza disseram à polícia que a jovem estava em Minas Gerais porque foi convidada por Bruno a permanecer mais perto da família do jogador. Mas circula também a informação de que o jogador vinha adiando o teste de DNA. A família de Bruno acabou envolvida no caso: a mulher atual do goleiro, Dayanne Souza, foi presa na noite de sexta-feira quando prestava depoimento na Delegacia de Homicídios de Contagem. Bruninho, filho de Eliza, foi encontrado no apartamento de uma amiga de Dayanne, que acabou autuada por “subtração de incapaz” e liberada na manhã de sábado.

A delegada que investiga o caso, Alessandra Wilke, disse que, em depoimento, Dayanne contou ter recebido de Bruno o pedido para cuidar de Bruninho porque Eliza teria abandonado a criança. Depois de tomar o depoimento de funcionários do sítio de Bruno, a polícia descobriu que o bebê, de apenas quatro meses, foi deixado no local por um amigo do jogador conhecido como Macarrão. “Macarrão avisou que a polícia iria ao sítio e para retirarem a criança de lá”, afirmou Alessandra.

Esta é a segunda vez que o amigo do jogador aparece nas histórias desencontradas que envolvem Bruno e Eliza. A primeira delas foi em outubro do ano passado, quando Eliza procurou a polícia para denunciar ameaças e seqüestro praticados pelo jogador. Em uma entrevista gravada em vídeo pelo jornal ‘Extra’, Eliza conta que foi procurada por Bruno durante a madrugada. Ele insistia para conversar e ela, depois de resistir, aceitou entrar no carro - um Porsche Cayenne, segundo ela. Logo que entrou no carro, três amigos do jogador chegaram ao veículo. Eliza dá nomes: “Macarrão, Russo e ‘um negão’”. Russo, segundo ela, tinha uma arma, usada pelo jogador para ameaçá-la.

Eliza afirmou que Bruno e seus três amigos queriam que ela abortasse tomando Citotec - um medicamento de efeito abortivo usado clandestinamente. Depois de afirmar que o medicamento não teria mais efeito depois do quarto mês de gravidez, o goleiro teria combinado com ela que, ainda naquela semana, os dois iriam a uma clínica de aborto. Ela aceitou e, no dia seguinte, procurou a polícia. Eliza reproduziu, no vídeo, frases que atribui a Bruno: “Ele disse: ‘se eu te matar e jogar em algum lugar, nunca vão encontrar’”.

Investigações - Nesta segunda-feira, policiais estiveram no sítio do jogador, em Contagem (MG), em busca de pistas da jovem, desaparecida há três semanas. Eliza tentava provar na Justiça que o atleta é o pai de seu filho Bruninho, de quatro meses. As buscas se estenderam até a noite, com recolhimento de materiais - entre eles fraldas usadas por recém-nascido -, revista nos cômodos e procura por pistas em áreas de mata. Uma denúncia anônima que chegou à polícia informava que Eliza teria sido espancada e assassinada no sítio.

De acordo com o chefe do departamento de Investigações da Polícia Civil de Minas Gerais, Edson Moreira, foram encontradas também passagens aéreas que podem ter sido usadas por Eliza. “Aguardamos o momento certo para chamar o Bruno para prestar depoimento. Por enquanto, o caso é um desaparecimento”, afirmou Moreira.

Depois de vasculhar endereços no Rio e na região metropolitana de Belo Horizonte, a polícia chegou, na segunda-feira, a uma pista: a última ligação feita do celular de Eliza foi feita no dia 9, das proximidades do município de Betim.

Pai de Eliza, o empresário Luís Carlos Samudio voltará hoje a Belo Horizonte, sem esperanças de encontrar a filha com vida. “Não há mais esta chance”, disse Samudio, em entrevista a VEJA.com. Na tarde de segunda-feira, depois de levar o neto para Foz do Iguaçu, no Paraná, ele afirmou que as investigações da polícia mineira avançaram de forma “satisfatória”, e que uma testemunha-chave do caso seria ouvida na mesma noite.

Eliza com o filho, Bruninho:
jovem tentar na Justiça que
Bruno reconheça a paternidade
O jogador está afastado dos treinos com o time do Flamengo até que o caso seja resolvido. Na manhã de segunda, enquanto policiais se preparavam para revistar seu sítio, Bruno disse estar coma consciência tranquila e que um dia ainda vai “rir de toda a história”. Tranquilidade é, certamente, algo em falta no Flamengo. Em uma entrevista coletiva na manhã de ontem, a presidente do clube, Patrícia Amorim, afirmou: “O Flamengo entende que não tem competência para julgar qualquer situação, e tão logo aconteça esse julgamento da Justiça, o Flamengo tomará, com tranquilidade, as medidas cabíveis. Só podemos dizer que ele fica afastado do grupo que vai para Itu, e permanece treinando no Ninho do Urubu”.

As suspeitas em que o goleiro está envolvido são a nova preocupação de Patrícia. O caso vem à tona menos de um mês depois de outro furacão: o inquérito - ainda em curso - para investigar as relações do atacante Adriano, transferido para a Itália, com traficantes da Vila Cruzeiro, na Penha. Na ocasião, Bruno saiu-se com uma defesa esdrúxula do então colega de time: "Quem não discutiu, e até saiu na mão com uma mulher? Em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher, xará."
Postar um comentário