quarta-feira, 12 de maio de 2010

HÉLIO COSTA MAIS UMA VÍTIMA DO PT OU CORRUPTO DE MÃO CHEIA? OU É OS DOIS: CORRUPTO E VÍTIMA DO PETISMO?

Por Lauro Jardim, o título é meu, comento abaixo:
Uma novidade numa investigação feita pela Procuradoria da República do Distrito Federal respingará em cheio na campanha de Hélio Costa ao governo de Minas Gerais.

O imbróglio diz respeito ao acordo feito pelo ministério das Comunicações para pagar 253 milhões de reais ao empresário Uajdi Moreira, amigão de Costa, que reclamava de uma quebra de um contrato que tinha com a Telebrás. Costa deu o o.k. a um acordo que não tinha, como de praxe, passado pelo crivo da Advocacia Geral da União.

Quatro anos depois de ser celebrado o acordo, uma auditoria encomendada pela Procuradoria da República à Price refez as contas da confusão e chegou ao valor que seria devido pela quebra de contrato: 84 milhões de reais — cerca de 30% do que Hélio Costa topou pagar

Comento
Duas coisas aí, a primeira é que isso que foi feito cheira e muito a grande corrupção, a segunda é que isso vem a público só agora por quê? Quem é o principal beneficiado disso? O PT, que diante do "fato novo" pode, como aposto que vai fazer, dizer que não vai entregar mais a cabeça de chapa a um candidato enrolado. Isso veio a calhar, não é mesmo Pimentel?

Isso tem o dedo, a mão do petismo, o corpo inteiro do petismo? Quem pode dizer que sim, mas que a coisa foi povidencial para o PT, ora isso é limpido como água da Copasa tratada.

Já sabemos que na relação com o petismo os aliados viram santos enquanto não atravessam no meio do caminho (ex. Sarney), mesmo que sejam fichas sujas. Agora, no momento que os interesses ficam minimamente atravessados no caminho dos petitas as coisas acontecem. E esse é o perigo.

O perigo está na natureza hegemonica do PT, que pior do que os corruptos oportunistas que são passageiros, eles são safados autoritários que pretendem o monopólio político. Hélio Costa é só mais uma vítima, esteja ele certo ou errado nessa questão que ora veio a tona.
Postar um comentário