sexta-feira, 7 de maio de 2010

COM TRÊS ANOS DE ATRASO VEREADORES DE SETE LAGOAS VISITARAM ETE DA COPASA; 2007 ELES SE NEGARAM A CONHECER A ESTAÇÃO

Por José Geraldo Soares Barbosa:

A Frente Parlamentar de Defesa do Meio Ambiente, da Câmara Municipal de Sete Lagoas, realizou dia 28 de abril, às 09h30min, visita à Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Arrudas de Belo Horizonte. A visita com monitoramento técnico contou com a participação dos vereadores Claudinei Dias (PT), Dalton Andrade (PT) e a assessoria dos vereadores Celsinho Paiva (PT) e Renato Gomes (PV). A visita teve como objetivo a tomada de informações a respeito do funcionamento de uma verdadeira ETE para o aprofundamento da questão e futura aplicabilidade em Sete Lagoas, que descarrega todo o seu esgoto no córrego do Diogo e Ribeirão Jequitibá, deixando assim de contribuir efetivamente com a meta 2010 instituída pelo “Projeto Manuelzão”, que pretende tornar o Rio das Velhas em condições de vida, pesca e navegação. Para os vereadores membros da Frente Parlamentar: Claudinei Dias, Celsinho Paiva, Dalton Andrade e Renato Gomes - , Sete Lagoas não pode abrir mão deste empreendimento fundamental e necessário para a comunidade e o meio ambiente.


De acordo com o diretor metropolitano da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), Juarez Amorim, a questão do saneamento é realidade profundamente fundamental dentro da realidade atual. Ele também afirmou a importância da consciência tecnológica e a busca de recursos para o tratamento do esgoto, que é necessário ao meio ambiente. Amorim lembrou que Belo Horizonte e Contagem são duas cidades bem integradas na questão do tratamento de esgoto, através das ETEs Arrudas e Onça. “A empresa está sempre buscando o aperfeiçoamento tecnológico, sendo que a ETE Arruda pode ser vista como um símbolo do cuidado com o esgoto, justamente por se tratar de uma unidade mais avançada tecnologicamente”, sinaliza o diretor metropolitano. Na ETE Arrudas, 95% da estação é automatizada, ou seja, controlada via computador.

Também a coordenadora de operação da Lumina Jeceaba / Odebrecht, Freeda Keifer, afirma que a visão de futuro da Copasa em termos de tratamento de esgoto é o reconhecimento enquanto referencial de excelência no setor. Ela explica que até o final de 2010, a previsão de investimento na questão gira na ordem de 6,3 bilhões de reais. “A missão da Companhia é ser provedora de soluções em termos de saneamento, mediante a prestação de serviços públicos de água e esgoto”, esclarece. De acordo com Freeda Keifer, o que a ETE faz é acelerar o processo que os cursos d`água fariam naturalmente, só que no caso de uma metrópole como Belo Horizonte, esse processo na natureza é totalmente dificultado pela quantidade de esgoto descarregado no ribeirão e por sua vez no rio – “e aí que entra o importantíssimo papel da ETE que recebe o esgoto jogado no ribeirão e devolve a água limpinha para chegar até o rio à frente”, enfatiza. A coordenadora Freeda explica que todo esse processo é feito pela ETE sem a utilização de recursos químicos, e sim, com recursos físicos, biológicos e tecnológicos.

Segundo Freeda, uma ETE tem como benefícios: a promoção da saúde pública; a recuperação dos recursos d`água, a preservação e revitalização dos elementos naturais como o solo, a vegetação e os animais; a promoção do lazer e do turismo. Ela também enfatiza a importância de reuniões com a comunidade situada no entorno da ETE para que esteja sempre informada dos empreendimentos atuais e futuros. Freeda citou como exemplo, o “projeto paisagístico” integrado entre a Copasa e a comunidade na ETE Arrudas. Em suma, para a coordenadora, é importante que a cidade sempre demonstre o seu compromisso com a saúde pública. Os membros da Frente Parlamentar: vereadores Claudinei Dias, Celsinho Paiva, Dalton Andrade e Renato Gomes, reafirmam esta opinião.
Postar um comentário