quarta-feira, 19 de maio de 2010

ENTREVISTA DO PREFEITO FANTASMA PAIVA MAROCA

A jornalista Silvana Emerick fez uma entrevista bastante completa com o prefeito FANTASMA Paiva Maroca para o jornal Canal Livre. Vale a pena ler. Nela o Jornal aborda muitas questões interessantes como as sérias críticas que o FANTASMA tem recebido: ele é perguntato sobre a renovação sem licitação com a empresa Via Solo e põe a culpa estranhamente no Tribunal de Contas. Mais: ele disse que Hopital Regional sai agora e sobre o SAAE reconhece sua defasagem."Infelizmente o SAAE está extremamente defasado. Os recursos que nos precisamos buscar para colocar nossa rede de esgoto em ordem ainda infelizmente são muitos recursos ainda." Segue a entrevista:

Por Silvana Emerick, Jornal Canal Livre no Blog do Fernando Cabrera

CL: Prefeito. Já liberada a verba do Hospital Regional. Quando sai do papel?
Maroca:O Hospital Regional sai agora. Nós já vamos soltar na Praça o edital de licitação pública do Hospital. Em Belo Horizonte, Minas Gerais existem mais de três mil convênios a serem assinados e o governador agora no final da sua gestão ele buscou a cidade e promoveu esses convênios. A partir dessa semana o Secretário Nadab vai fazer plantão junto ao governo de Estado buscando a concretização desses convenio.

CL: Reinaugurado o Restaurante do Trabalhador nesta ultima segunda feria, 10, no qual o senhor não esteve presente. Por quê?
Maroca: Eu não estive. Nós não marcamos solenidade porque achei que não era necessária solenidade. O restaurante do trabalhador foi fechado por problemas com a vigilância sanitária então e não é do meu feitio soltar foguetes numa coisa, em algo que eu noa via, eu via muito pelo contrario que era o prejuízo da população que teve com fechado. Então o que eu fiz, eu estive lá sim, eu almocei lá. Cheguei de forma discreta, sem nenhum alarde e colocamos para abrilhantar o evento o Ronni Raggi que é um excelente cantor e instrumentista abrilhantando evento que é a reabertura do Restaurante do Trabalhador.

CL: Prefeito são quase um ano e meio de administração e nesse período o senhor vem recebendo sérias críticas por parte da população e Sete Lagoas. Qual sua opinião sobre essas críticas e o que o senhor pretende fazer para mudar a opinião da população?
Maroca: Olha, eu tenho recebido criticas. Eu acho que criticas faz parte do modelo democrático. As criticas eu preciso ficar atentos a elas para saber se realmente aquelas criticas tem fundamento, que merece sim que a gente corra atrás. Existem criticas que são simplesmente políticas, coisas de adversários políticos então isso eu também procuro saber, olhar pra vê o que a gente pode fazer para acertar a administração do governo. Nós estamos caminhando, começamos a mostrar uma melhora. 2009 foi um ano extremamente difícil e pra 2010ainda entramos com muitos restos a pagar. 2009 foi um ano e é um ano para esquecer, mesmo assim nós tivemos coisas positivas. 2010 agora começa de uma forma mais promissora, mais esperançosa para podermos em um pequeno espaço de tempo dar ao povo de Sete Lagoas aquilo que ele espera, a satisfação que ele espera da Administração Pública.

CL: O senhor pode nomear todas as obras que estão sendo feitas por suas secretarias?
Maroca: Vamos lá. Secretaria de obras agora nós temos assim já um trabalho imenso pela frente. Temos as obras do Arena do jacaré no entorno, onde estivemos reunidos com representantes do SETOP do governo de Minas, já olhando as obras do entorno e também as obras do Estádio em si. Temos também as obras da Perimetral, já estamos assinando este convenio. Quando o governador veio aqui, mostrou, falou com relação aos convênios onde assinamos um protocolo de intenção. O convenio está sendo feito e será assinado agora. Tem também o famoso Parque Água que já esta em andamento, essa obra é de uma importância muito grande, porque vai resolver de vez o problema de abasteci mento de água na cidade. Vamos inaugurar este mês as obras de esgoto da Cidade de Deus e adjacências. Essa obra de esgoto que também o Parque esgoto que é do Governo Federal em contrapartida do Município. Temos também o CAPS-AD, que é um centro de recuperação de álcool e drogas que também vamos começar. Nos temos ai recursos ai na área de turismo que vamos implementar. Na área de trânsito também para melhorar pó transito, sinalização da nossa cidade. Temos a Gruta Rei do mato que esta sendo construído restaurante, recepção, salão de atendimento aos turistas passando a ele todo um conhecimento sobre o que é a Gruta Rei do Mato. Eu acho que as melhores estão aí e estão chegando. Gradativamente estão chegando. Existem outras coisas para chegar, com relação a minha viagem a Suíça que foi um sucesso, não tenho falado muito nela, porque espero rapidamente concretizar a realização, a concretização daquilo que vimos lá, será muito importante não só para Sete Lagoas mas para o Estado também, porque essas obras irão para fora do Estado.

CL:Por falar em água, SAAE, o senhor acredita que o atual presidente tem feito um Bom trabalho?
Maroca: Não tenho duvida disso. O SAAE hoje já não é o mesmo. Se você for no setor operacional você vai ver que houve uma mudança grande de postura lá, mas infelizmente o SAAE está extremamente defasado. Os recursos que nos precisamos buscar para colocar nossa rede de esgoto em ordem ainda infelizmente são muitos recursos ainda.


CL: Quando eleito o senhor anunciou um possível Choque de Gestão na Administração Municipal. Porque ainda não foi feito?
Maroca: Olha, nós fizemos um pouco. Quando nós assumimos a prefeitura, nós estávamos já no limite prudencial. Nós enxugamos a nossa folha. Demos um aumento de 7% e terminamos o ano de 2009 ainda abaixo do valor quando assumimos em janeiro de 2009, exercício 2008. Então nós fizemos alguma coisa, mas não fizemos mãos porque o ano de 2009 foi extremamente difícil com o desemprego em Sete Lagoas muito grande do setor guseiro então eu não podia naquele momento assumir uma outra situação onde fosse trazer inúmeros transtornos para a sociedade e comunidade sete-lagoana de um modo geral, porque o numero de desemprego já era muito grande. Nós fizemos uma pequeno ajuste na administração pública, fruto também de não termos um conhecimento maior sobre administração porque não tivemos acesso anteriormente, quando tomamos posse me janeiro é que fomos conhecer a administração pública porque não tivemos oportunidade de conhecer antes como seria o normal. Então agora estamos colocando as coisas em ordem. 2009 tivemos uma queda muito grande na receita orçamentária e agora estamos recuperando isso de forma gradativa. 2010 com restos a pagar ainda vamos ter dificuldades pelos fatores exatamente econômicos que nos impossibilitaram saldar inúmeras dividas naquele momento que tivemos que jogar para 2010.

CL: Nos bastidores da política ate mesmo entre os funcionários efetivos da Administração Publica é com relação aos cargos comissionados da gestão passada e continuam na sua Administração causando detrimento até mesmo com aqueles que os apoiaram na campanha eleitoral. O que o senhor pode falar a respeito?
Maroca: Olha é muito difícil a gente que ta no poder, principalmente pra mim. Eu fiz minha campanha. Eu não procurei saber quem, as pessoas que estavam do meu lado. Eu simplesmente saí fazendo minha campanha. É difícil você cometer uma injustiça com alguém. Tirar alguém da administração, alguém que é útil em algum setor simplesmente porque não me apoiou algo difícil e que eu não faço e eu espero que as pessoas respeitem essa decisão. As pessoas que estão atrapalhando a administração porque não ficaram a satisfeitos com a minha vitória, infelizmente essas pessoas não podem ficar, estejam atrapalhando a comunidade simplesmente por um fator político. Mas eu não saí por ai fazendo, procurando quem esteve do meu lado, quem não esteve não, infelizmente algumas pessoas ficaram chateadas com isso.

CL: O senhor tem vontade de mudar alguma coisa na administração e não mudou como por exemplo a estrutura administrativa?
Maroca: Sem duvida nenhuma. Nós temos muito ainda o que fazer. A informatização da prefeitura, um programa de modernização administrativa tributária, temos que encarar isso ai de frente, buscarmos recursos e é isso que nos precisamos e agora como em 2009 foi um ano muito difícil eu n ao pude nem contratar auditorias competentes para fazer levantamento, para fazermos a nossa reforma administrativa e agora nós estamos iniciando isso sim, de uma forma muito profissional, contratando pessoas que já tem uma bagagem muito grande para fazer esse trabalho de auditoria fiscal,e outras coisas mais que nós estamos precisando.

CL: Maio é data base dos servidores municipais. Como o senhor avalia o trabalho dos sindicatos em Sete Lagoas como Sin-UTE, UNSP, Sind’agua, entre outros?
Maroca: Olha o sindicato representa o funcionalismo e luta pelo seu, normalmente pela sua condição de trabalho e aumento salarial. É o trabalho deles. Agora eu também estou do lado do funcionalismo. Não haveria necessidade da grave em momento algum, porque eu vou fazer realmente aquilo que eu acho que é o melhor. Que eu puder fazer de melhor para o funcionalismo eu vou fazer. Não haverá necessidade da grave mesmo porque eu não tinha colocado número nenhum, então não havia necessidade. Perde principalmente os alunos e as famílias também.

CL: E quanto ao Plano e Cargos e Salários. Sai nessa Administração?
Maroca: Sai sim. Sai na administração mas não é uma coisa fácil de ser feita não. Já estudamos, já temos as pessoas, as comissões já estão fazendo. Sairá sim. Mas ainda demanda muito trabalho pela frente.

CL: Apoio do PT custou caro para essa Administração?
Maroca: Não. O PT foi um parceiro de primeira hora, desde quando me candidatei pela primeira vez, foi uma coligação apenas entre PSDB e PT e eu criei uma finidade muito grande com o PT e acho que ele comigo. Então o PT tem muito a contribuir na nossa administração.

CL: O PT prega o orçamento participativo. Isso será implantado na sua administração?
Maroca: Pretendo implantar o orçamento participativo, porque é uma meta minha que é uma meta do PT, mas é uma meta minha pessoal. Eu tenho agido de forma extremamente democrática e participativa. E isso também é o orçamento participativo. Só que você fazer orçamento participativo quando não se tem dinheiro pra fazer então não tem como fazer um orçamento participativo. Eu precisaria destinar uma verba para tais locais e ai sim fazer discussões com relação a aplicação deste orçamento e o difícil é a gente ter condições, viabilizar isso aí, mas nos já queremos implementar sim o orçamento participativo.

CL: Redução de gastos. Como o senhor pretende fazer essa redução de gastos na administração. Haverá demissões?
Maroca: Existe muitas maneiras de você reduzir os gastos, Existe situações muitas vezes irregulares que você precisa colocar em ordem. Existem horas extras que muitas vezes você pode tirar. Diminuir carga horária de determinado setor, entre outros. Então existem muitas maneiras da gente fazer. Logicamente você pode também utilizar o recurso da, não digo demissão, mas de uma rescisão contratual de algumas situações também podem vir a ser praticados. Mas não é o momento agora não. Primeiro vamos entrar e ver o que a gente vai fazer.

CL: Hospital Municipal. Muda-se secretário, mas o Hospital Municipal não mostrou nenhuma mudança. Criticas e reclamações continuam?
Maroca: Olha, pra quantidade de atendimento, a demanda nossa naquele local, aquela rede física, aquele prédio ali não comporta a quantidade de pessoas que vão em busca de atendimento, isso é uma fato. Por isso é que os corredores normalmente ficam cheios. O excesso de atendimentos lá é muito grande. Tem muita coisa a melhorar lá e o Hospital Regional vai é mo que nos esperamos, é o Hospital Regional para colocar a saúde de Sete Lagoas e região em melhores condições. E aquele lá, o Hospital Municipal, o antigo colégio Cristo Rei não foi adaptado pra um atendimento de tão grande porte que vem acontecendo lá.

CL: Prefeito foi comemorado a vinda do funcionário Beto Andrade para o primeiro escalão de sua administração. Como tem sido a atuação dele.
Maroca: Beto tem uma vasta experiência, já passou por vários prefeitos. Uma pessoa que já estava com um salário e uma tranqüilidade no município e deixou de lado. Era da Secretaria de cultura e hoje ele é meu Secretario particular. Tem uma função extremamente importante. Ele caminha junto comigo e é uma pessoa que me dá respaldo nas reivindicações, me apóia e busca concretizar a minha vontade política. É uma pessoa que esta exercendo um grande trabalho e do qual tenho uma consideração enorme pelo trabalho que faz e pela sua pessoa.

CL: Meio ambiente. Recebemos em nossa redação várias reclamações com relação ao meio ambiente. Atitudes que não condizem com a realidade, como a proibição de som em igrejas evangélicas, recolhimento de caçambas, multas em bares, etc. O que a administração pode fazer para amenizar essas situações junto á população com relação a essas atitudes do Meio Ambiente?
Maroca: Olha eu já mandei marcar uma reunião com os fiscais e com o secretario do meio ambiente porque são situações que não estão de acordo com a minha personalidade. Eu acho que o alvará que foi expedido foi um engano muito grande, não é dessa forma que é pra ser feito. Eu acho que as igrejas evangélicas, não só evangélicas, mas também as católicas, eu sou católico, mas tenho uma afinidade muito grande com inúmeros pastores e eles prestam um serviço bastante importante para toda a comunidade. Eles terão apoio nesse sentido. Essas situações que acontecem, estou sempre a disposição, sempre os ouvindo, recebo suas reivindicações e apoiando nos eventos que muitas vezes eles fazem e que muitas vezes interessa ao município de Sete Lagoas. Então eu vejo isso de uma forma até um pouco triste, porque eles são nossos parceiros, nossos amigos, prestam um bom serviço e podem contar comigo que a gente esta ai pronto para receber suas reivindicações e fazer aquilo que é certo dentro das nossas condições como gestor público.

CL:Coleta de lixo. Porque a empresa Via Solo vem sendo contratada através de decreto e não foi feita ainda licitação?
Maroca: Pelo seguinte. Foi feita uma licitação e essa licitação a Coleta de Lixo foi impugnada e remetida ao Tribunal de Contas. Essa licitação está parada no Tribunal de Contas. Estivemos lá no inicio do nosso mandato e pedimos orientação ao Tribunal de Contas o que fazer. Pedimos a ele que fizesse a abertura ou não daquela licitação para que pudéssemos então colocar um ponto final e iniciar um novo processo, mas não tivemos ainda a resposta o Tribunal de Contas do que deveríamos fazer, se cancelaríamos, se faríamos outra ou se esperávamos essa. Então como o lixo é algo emergencial, nos temos que fazer esses decretos ou contratar uma nova empresa ou continuar com a mesma empresa que a vem praticando o preço já antigo. Então a gente vem colocando á mesma empresa através de decreto emergencial. É isso que a gente está esperando essa definição através do nosso corpo jurídico.

CL: Eleições 2010. O vereador Duílio foi um grande apoiador de sua campanha. Como ficará Maroca, com relação a Duílio de Castro e ao Dr. Ronaldo João que fez parte de sua chapa nas eleições em 2008?
Maroca: O apoio dos dois foi fundamental pra nós, para nossa eleição. Eu tenho compromisso com os dois. Se um dos dois não se candidatar, chegasse à época cedesse para alguém seria esse que nós apoiaríamos, mas os dois vão sair. Mas os dois podem ser eleitos. Eles tem todas as chances de serem eleitos deputados e eu vou estar junto com eles.

CL: Maroca PSDB. Se o seu candidato Anastácia não for o novo governador de Minas. For eleito candidato de outro partido isso prejudicaria Sete Lagoas.
Maroca: Olha, eu acho que as pessoas hoje estão ocupando o poder com uma mente, com uma cultura melhor que era em algumas épocas aí. Eu acho que o governante é governante de todos independentes do partido político onde ele assume um cargo dessa envergadura como Governador de Estado, eu acho que assim como Aécio fez no governo de Estado, um governo exemplar, onde todos os municípios, independente de partido foram pleiteados com inúmeras verbas, com o trabalho muito importante com relação evolução de cada município assim vai ser com qualquer um que ganhar as eleições. Mas eu estou com logicamente, Anastácia, do meu partido e acredito numa vitória dele.
Postar um comentário