segunda-feira, 12 de abril de 2010

“O Brasil pode muito mais”


Por Stefânia Akel, Juventude do PSDB – BH:

No encontro nacional do PSDB, DEM e PPS no último sábado, 10, em Brasília, mais de seis mil pessoas se reuniram para o lançamento da pré-candidatura de José Serra à Presidência da República. Serra começou seu discurso pedindo um minuto de silêncio para as vítimas da tragédia que atingiu o Rio de Janeiro. Em seguida, afirmou que o foco das eleições é no futuro, na construção de um País mais justo e generoso. Ele repetiu sua convicção de que o Brasil pode mais, citada em seu discurso de despedida do governo de São Paulo.

Muito aplaudido, Serra enfatizou que defende um país sem exclusão, e por isso vai governar para todos. “De mim, ninguém deve esperar disputa entre pobres e ricos. Somos todos irmãos na pátria”, disse. O pré-candidato adiantou também o tom da campanha: “Quanto mais mentiras os adversários disserem sobre nós, mais verdades diremos sobre eles”.

O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra, foi o primeiro a discursar. Ele ressaltou a importância de todos os presentes e das alianças firmadas. O senador discursou sobre a trajetória de Serra sob constantes aplausos, e concluiu: “José Serra é hoje o político mais adequado para ser o Presidente da República”.

Também discursaram o presidente nacional do Democratas, deputado federal Rodrigo Maia, que enfatizou a aliança por Serra e criticou os abusos do atual governo, e o presidente nacional do PPS, Roberto Freire, que mostrou a importância de mobilizar as consciências para que o País avance mais com Serra.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também usou da palavra para elogiar o pré-candidato, criticar o atual governo e garantir que o governo Serra será de decência e respeito às leis.

Aécio Neves, ex-governador de Minas Gerais, fez seu discurso afirmando que o PSDB está preparado para o debate sobre o passado e o futuro. “O passado não nos envergonha. O Brasil não foi descoberto em 2003.” Aécio acrescentou que o PT negou o seu voto a Tancredo no Colégio Eleitoral. “Eles também negaram seu voto pela aprovação da Constituição de 1988. Quando o presidente Itamar Franco convocou as forças do bem para a constituição do seu governo, eles também disseram ‘não’ mais uma vez”. Ele lembrou ainda que o partido do governo ficou contra o Plano Real, que estabilizou a economia, e contra a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Como prova da unidade em favor da pré-candidatura de Serra, a juventude tucana de Minas Gerais, um dos destaques da cerimônia, compareceu em peso ao evento. Com camisetas azuis com os dizeres “Minas agora é Serra”, bandeiras e faixas, os jovens chegaram cantando: “A juventude de Minas não erra; Anastasia, Aécio e Serra!”.


Postar um comentário