segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

OU ESTÃO FAZENDO PROPAGANDA ENGANOSA AGORA, OU ESTAVAM AGINDO DELIBERADAMENTE CONTRA O INTERESSE PÚBLICO ANTES


De volta aos assuntos locais, acordem com este barulho.

Está na página 3 do jornal publicado pela administração Maroca [imagem abaixo] onde intitularam "Pilares que movem a administração", diz que "Administrar a cidade exige jogo limpo com o cidadão".

Está na página 5 do mesmo jornal que "Hospital Regional vai abrir mais 220 leitos" com "um investimento de R$20 milhões".

E está registrado em voz bem alta como pode ser ouvido na entrevista em áudio, também transcrita neste post, que o secretário municipal de Saúde de Sete Lagoas, Dr. José Orleans, diz que os R$20 milhões dá para construir apenas "EM TORNO DE 100 LEITOS".


JÁ A PROPAGANDA DA PREFEITURA, ANUNCIA, COM OS MESMOS R$20 MILHÕES DUZENDOS E 220 LEITOS.


Note: ou o secretário não sabia o que estava falando ou "Jornal Boas Notícias" da administração Maroca não está fazendo "jogo limpo com o cidadão". Muito antes, ao contrário, está fazendo um JOGO SUJO.

Mas pode estar havendo mais que uma propaganda enganosa. A outra possibilidade devastadoramente mais ruidosa e muito plausível é: se a informação do "jornal" estiver correta, não for propaganda enganosa, que a Prefeitura vai mesmo construir com os R$20 milhões um hospital de 220 leitos e não um de 100 leitos. Fica demonstrado perempitóriamente que o governo Maroca resistiu em construir, contra o interesse público, o Hospital Regional, tentando transformar o projeto recebido do governo passado em um mero pronto socorro na periferia, como este blog denunciou antecipadamente, com exclusividade.


E só não levou sua intenção a cabo por conta que a sociedade foi se informando do que estava em curso, sobretudo, através deste blog que foi contundente crítico da diminuição do Hospital Regional.

Resumindo, ou o secretário não sabia o que estava dizendo, e tem que ser demitido, por isso -, o que não acho que seja, Orleans é técnicamente competente -, ou o secretário quando falou que o dinheiro só dava para 100 leitos estava agindo conscientemente e sob ordens superiores, portanto, esse governo tem que ser responsabilizado por agir deliberadamente contra o interesse coletivo. Ou quanto menos, está fazendo propaganda enganosa, jogo sujo, e pondo a baixo o pilar do resta de confiança nesse governo Maroca. O certo é que há uma contradição gritante que carece de uma explicação se houver uma.

A seguir a entrevista transcrita com Secretário de Saúde de Sete Lagaos, Dr. José Orleans, em 16 de abril de 2009 - o audio vai abaixo. Vejam as contradições com propaganda da Prefeitura:

Eu, Leonardo - Que está acontecendo hoje com relação ao Hospital Regional?
Sec. Orleans - Nós estamos avaliando o projeto, dentro do recurso que nós temos, que é de R$20 milhões. Foi feito um projeto que super dimensionou o número de leitos, então nós temos que adequar agora o projeto, amanhã eu tenho reunião definitiva com o pessoal da arquitetura do projeto para adequarmos os R$20 milhões ao números de leitos que nos precisamos, então esta é uma realidade, é preciso primeiro adequar o dinheiro ao que nós podemos fazer . Se não começaremos uma obra e fica um elefante branco. E nós podemos ter um elefante branco porque a cidade precisa de um hospital melhor.

Eu, Leonardo - Vai diminuir o tamanho?
Sec. Orleans - Vai reduzir, nesse momento nós vamos fazer um hospital dentro dinheiro que nós temos, de um modelo modular e, com o tempo, tendo recurso, pode se aumentar, mas os 240 leitos que estavam previstos, não serão cumpridos porque só há R$20 milhões.

Eu, Leonardo - Qual é a previsão hoje de leitos?
Sec. Orleans - Em torno de 100 leitos.

Eu, Leonardo - Quer dizer que diminui em 50% os leitos...
Sec. Orleans - Diminui.

Eu, Leonardo - E uma pergunta em relação a isso: nós poderemos não ter mais o Hospital Regional em Sete Lagoas?

Sec. Orleans - Não, isso não existe, essa ideia não existe, isso não passa de boato, porque eu estive com o secretário de estado da saúde e o prefeito na semana passada e fechamos isto, então não existe a possibilidade de não ter o hospital em Sete Lagoas. Ele não vai ser do tamanho do que se pensou, porque os recursos com a crise financeira do estado e do município não há recursos para o tamanho do hospital que se tinha pensado.

Eu, Leonardo - Quer dizer que vai se adequar um pouco a nossa realidade econômica do estado e do município, é isso?
Sec. Oleans - É adequar.

Eu, Leonardo - O que o Pestana [sec. Estado de Saúde] falou a respeito disso?

Sec. Orleans - Os R$20 milhões estão assegurados. E que o hospital tem o tamanho dos recursos que nós temos.

Eu, Leonardo - Essa, por acaso, não é uma coisa que fecharia Sete Lagoas para outros municípios maiores?

Sec. Orleans - Não, infelizmente é o dinheiro que nós temos. Nós gostaríamos de um hospital de 240, mas só temos 100. Então nós vamos fazer os 100 leitos.

Eu, Leonardo - No caso o Pestana não poderia nós ajudar com mais?
Sec. Orleans - Não, o dinheiro que o estado tem é esse, o estado está vivendo uma questão financeira igual os municípios estão vivendo. Nesse momento eu vou trabalhar com o dinheiro que eu tenho, vinte milhões.

Postar um comentário