sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

AÉCIO NEVES DESPRENDIMENTO PARTIDÁRIO OU ESPERTEZA PESSOAL

Pois é, me atrasei um pouco com a produção é o reflexo de um dia bastante atarefado ontem em BH, onde fui encaminhar algumas coisas. Mas aqui estou eu, neste texto que deu uma volta de 180º, trataria inicialmente da candidatura certa(?) de José Serra, com a voluntária saída do processo do nosso governador Aécio Neves. Mas o melhor pensar que faz a produção de um texto me fez dar meia volta no que escrevia e ver que esta iniciativa do governador Aécio Neves pode não ser uma desistência da pré-candidatura, mas o contrário, ela tem evidências de um grande lance para tentar reverter um quadro desfavorável a ele, Aécio. Em frente.

Quanto ao governador Aécio Neves sua saída do processo tem mais que "generosa compreensão do momento político" como diz o ex-presidente Fernando Henrique, ainda que tenha essa compreensão, claro também tem bom senso e calculo. Acho que Aécio vê que a hora é de Serra e até a possibilidade de ser seu vice, mas o que ele enxerga com este gesto de grande desprendimento é a possibilidade de voltar com força ao processo, uma vez que neste instante o seu correligionário José Serra ganha terreno. Insistir em manter-se no páreo agora é sofrer um desgaste. Assim ele fez um gesto político de grande visibilidade, com a esperança de a própria iniciativa o recoloque de novo no páreo.

Ou seja, no gesto tem generosidade, sim, mas principalmente consigo mesmo. Ele se socorreu porque como diz já não tinha mais argumento e agora pode, quem sabe, reencontrar o ambiente e voltar a carga. As vezes a melhor forma de continuar avançando é fazer um recuo estratégico. É aquele desinteresse que costuma despertar o desejo. Bem, Aécio sabe que o recuo pode mesmo ser definitivo e aí resta-lhe escolher o que melhor para si: Minas ou Brasil, ou de outra forma, Senado ou Vice-presidência.

Mas para ele aceitar ser o companheiro de Serra só em caso de uma eleição virtualmente ganha pelo colega e manutenção do PMDB na canoa de Dilma. Caso o cenário não esteja assim um céu de brigadeiro deixaria o colega arriscar sozinho. E caso a coisa esteja muito boa para Serra com a canoa de Dilma naufragando é Serra quem poderia articular a vaga para o PMDB garantido o apoio e vasto tempo de TV que o partido tem.

Serra, porém, conhecendo bem o colega mineiro observou em seu comunicado que "o governador Aécio Neves tem todas as condições para ser o candidato do nosso partido a presidente". E trabalha dessa forma com a possibilidade de Aécio estar apenas fazendo uma jogada pessoal. Serra faz o certo é muito complicado confiar em quem há poucos dias reunia com um desafeto seu, o deputado Ciro Gomes, numa atitude totalmente descabida e desleal. E pelo que se vê em sua resposta abaixo a jornalista Cristiane Lôbo do G1, após acabar de "desistir" ontem de concorrer a presidência, Aécio está mesmo fazendo a última tentativa para se manter vivo no processo, vejam:

G1 – Se em março, o governador José Serra desistir de ser candidato, o senhor aceitaria entrar no páreo?
Aécio Neves- Eu vou estar à disposição do partido, vendo o cenário nacional. É claro que terei a opção…
Postar um comentário