terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Pimentel já vê vice de Aécio no segundo turno em MG


Por BRENO COSTA, Folha:
Apesar de ainda não chegar a 15% das intenções de voto, o crescimento do vice-governador mineiro, Antonio Anastasia (PSDB), na pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira já levou o pré-candidato do PT mais bem colocado nas pesquisas, Fernando Pimentel, a afirmar que o tucano estará no segundo turno das eleições ao governo.

"[O Anastasia] vai para o segundo turno. Não tenha dúvida que essa é uma previsão muito possível", disse Pimentel.

Na pesquisa de março, Anastasia, que nunca disputou uma eleição, atingia no máximo 5% das intenções de voto, a depender do cenário. Agora, varia entre 10% e 14%.

Fernando Pimentel, ex-prefeito de Belo Horizonte, credita o "esperado" crescimento do tucano às aparições de Anastasia nos programas de TV do PSDB, no fim de novembro.

O crescimento de Anastasia contrastou com uma leve queda do líder nas pesquisas, em todos os cenários. O ministro Hélio Costa (Comunicações), pré-candidato do PMDB, oscilante entre 31% e 37%. Há nove meses, ele também era líder, mas sustentado por percentuais mais expressivos.

Anastasia não quis dar entrevista. Por meio de sua assessoria, disse que, "apesar de não haver uma candidatura definida, fica feliz com o reconhecimento expresso na pesquisa".

Em Brasília, Hélio Costa disse que continuará "trabalhando por uma grande aliança, independente de quem está à frente nas pesquisas".

No último sábado (19) , o governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), levou o vice e apadrinhado político para inaugurações de obras de pavimentação no interior do Estado.

A estratégia de Aécio, que desistiu, semana passada, de sua pré-candidatura à Presidência, é intensificar essas viagens pelo Estado, de forma a atrelar sua imagem à de Anastasia.

O índice de indecisos em Minas (varia entre 23% e 34%) é bem maior do que em outros Estados. Em SP e RJ, os indecisos não passam de 8%.

PT x PMDB
Ao prever uma disputa entre ele e Anastasia no segundo turno, Pimentel descartou o potencial de Hélio Costa, apesar de estar 12 pontos percentuais atrás do ministro na pesquisa. Para Pimentel, os números de Costa são efeito de "recall", pois se candidatou duas vezes ao governo, em 1990 e 1994.

A leitura de Pimentel evidencia o nível dos entendimentos para uma aliança entre PT e PMDB no Estado, como deseja o Planalto. As duas legendas já começam a cogitar um compromisso de apoio mútuo para o segundo turno das eleições.

No PT, Pimentel disputa a indicação com o ministro Patrus Ananias (Desenvolvimento Social). A diferença entre os dois nos cenários pesquisados pelo Datafolha permaneceu estável em relação a abril.

No início do mês, o grupo de Pimentel venceu as eleições internas do PT em Minas, reforçando a sua pré-candidatura. Patrus ainda quer prévias. Pimentel diz que os números do Datafolha serão usados como argumento para convencer Patrus a desistir.

"Candidatura não se define por pesquisas externas. Faz supor que ele tem realmente medo de disputar dentro do PT", disse Patrus, ao comentar a declaração de Pimentel.
Postar um comentário