segunda-feira, 16 de agosto de 2010

ESSA DERROTA DE SETE LAGOAS DEVERIA FAZER A CIDADE PENSAR E AGIR. OU FALO DO FRACASSO DE SETE LAGOAS COMO "CAPITAL DO FUTEBOL"

Qual é o cidadão que vive e quer bem a cidade não está chateado com a informação do abandono da Arena do Jacaré por Atlético e Cruzeiro? Eu suponho que a frustração é generalizada. Mas agora também vejo nesse fracasso da cidade uma oportunidade para se fazer uma inflexão geral. O que quero dizer?

Sete Lagoas é uma cidade ufanista, que olha muito para si mesmo e suas supostas superioridades, ignorando suas reais inferioridades. É duro ouvir isso? Pode ser, mas é melhor que nos mesmos reconheçamos as fraquezas e as ameaças antes que comecemos colecionar uma série de outras derrotas e nos tornamos motivo de chacota.

Eu nem digo mais, como já disse tantas vezes "que já é hora de agirmos". Não, isso é bobagem, irrelevante, quem diz isso agora, com todas as letras, são os fatos. Sete Lagoas, apenas estou fazendo um reconhecimento, afoga-se vergonhosamente na sua lagoa ufanista, enquanto vê outras cidades avançarem a passos largos.

Se não vejam desde o início dessa aventura de fazer de Sete Lagoas a "capital mineira do futebol", e fui quase que uma voz solitária a gritar, que apesar de não ser contra a reforma da Arena do Jacaré, essa era uma prioridade errada da cidade.

E é muito simples saber que essa era apesar de atrativa e sedutora, uma causa absolutamente equivocada. Ou como pode uma sociedade que não cuidou de fazer o dever de casa ignorar esses deveres e ir brincar. Não isso tá errado e o equivoco logo apareceria, como chegou.

Não meus amigos uma cidade que está no estado crítico estruturalmente não pode querer se candidatar a "capital do futebol". Aqui não temos calçadas para pedestres, ruas para caros, hotéis em quantidade e qualidade suficiente, não temos saneamento, não temos leitos hospitalares, não temos renda outras dezenas de requisitos para sermos a "capital do futebol".

Infelizmente, entretanto, esse era o sonho sobretudo de nosso retardatário prefeito, que já contava os louros do turismo, quando na realidade colhe vexaminosa derrota. Ele que enche a boca para dizer que "temos atrativos naturais como em poucas cidades". Vê a cidade ser rejeitada com seus "atrativos naturais". Ora, é óbvio que existe algo muito errado neste recioncíonio ufanista do prefeito ou os times ficariam mais do que um mês jogando na Arena do Jacaré, não?

O certo é que frustrante ver Sete Lagoas com todas as suas belezas naturais ser rejeitada. Por isso é hora de uma inflexão geral. Sim, Sete Lagoas errou feio de novo em priorizar o estádio de futebol ao Saneamento Básico, ao Hospital Regional e a construção de escolas, como segue nas três matérias em azul abaixo, a primeira escrita há um ano, as outras em dezembro de 2009. vejam e vejam se já não é hora de repensar as nossas próprias escolhas:

segunda-feira, 18 de maio de 2009
Maroca se esforça mais para reforma do Estádio do Jacaré do que para cumprir a meta 2010
Sete Lagoas como assumiu o presidente do SAAE não tem os recursos necessários para cumprir a Meta 2010 determinada Deliberação Normativa nº 96. Mas a cidade está mobilizada para reverter essa situação? Não está. A cidade que joga seu esgoto In Natura cursos d'agua não demonstra que está muito preocupada em enfrentar o problema. Se compararmos veremos que Sete Lagoas se preocupa mais reformar o Estádio de Futebol que o tratamento do seu esgoto.

Na manchete do jornal Tribuna se vê qual é prioridade do prefeito: "Maroca empenhado na reforma da Arena do Jacaré." "O prefeito de Sete Lagoas Mário Márcio Maroca, não mede esforços para que a obra de reforma e ampliação do Estádio Joaquim Henrique Nogueira, a Arena do Jacaré, inicie-se o mais rapidamente possível." Esta claro que a prioridade é o Estádio ao Tratamento do Esgoto, não é mesmo?

Reparem que estamos as vésperas em da chegada de uma Expedição do projeto Manuelzão. "Expedição 2009 terá um forte componente cultural. Queremos que todos se sintam responsáveis e comprometidos com a revitalização da bacia e com novos conceitos de responsabilidade socioambiental planetária."

Mais: o presidente do SAAE quando perguntado sobre os problemas de esgoto da cidade limita-se a dizer que "O SAAE assumiu também estes problemas antigos e não tem cadastro das redes existentes para a identificação da origem dos problemas. Sem este tipo de informação fica difícil inclusive para estimar custo das obras." Mas como sempre ele tem um culpado: "Sabemos entretanto que o fato de parte da população lançar esgoto nas redes pluviais é um dos motivos para a ocorrência dos mesmos." Ou seja, a população segundo o presidente do SAAE quando a população não está lançado água fluvial na rede de esgoto ela está fazendo o contrário, ela é sempre a culpada pelo problema. Aí a cidade segue convivendo com o esgoto a céu aberto e mau cheiro generalizado pela cidade. Será que isso explica o fato da mortalidade infantil ser mais alta em Sete Lagoas que outras cidades do mesmo nível?

E ainda como diz o presidente do SAAE "administração está priorizando as obras que já tem recurso garantido", ONDE ESTÁ RESPONSABILIDADE DO PREFEITO PARA COM A QUESTÃO DA SAÚDE E O MEIO AMBIENTE? ESTÁ NO ESTÁDIO DO JACARÉ! AH, ANTES QUE VEM ME DIZER QUE SOU CONTRA A REFORMA DO JACARÉ DEIXO CLARO QUE NÃO SOU, AO CONTRÁRIO, MAS SOU CONTRA O CONFORMISMO DE MAROCA SÓ COM OS RECURSOS QUE NEM FOI ELE QUEM CONSEGUIU PARA TRATAR DO SANEAMENTO!

PROPAGANDA ENGANOSA, ALIÁS, COMO DE COSTUME
O engenheiro e proprietário da CBR Construtora, Lauro Augusto Borges, afirmou que água só chega até os reservatórios da Arena do Jacaré com a utilização de um caminhão pipa. Se não for deste jeito, o Jacaré literalmente fica sem água, já que o sistema de bombeamento do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) não consegue abastecer o local. O contraponto é que peças publicitárias do próprio SAAE espalhadas pela cidade em homenagem à reabertur a do estádio trazem o slogan: "Não existe Jacaré sem água". Do Sete Dias título meu.


14/12/09
ACABOU A ILUSÃO DE SEDIAR OS CAMPEONATOS DE FUTEBOL SOBROU CLARO QUE O PREFEITO PÕEM SEUS DEVANEIOS ESPORTIVOS À FRENTE DAS NECESSIDADES DA POPULAÇÃO

Todos somos testemunhas que o prefeito priorizou o esporte a qualquer outra coisa em Sete Lagoas. O registrou do jornal Tribuna deixa isso muito claro: "O prefeito de Sete Lagoas Mário Márcio Maroca, não mede esforços para que a obra de reforma e ampliação do Estádio Joaquim Henrique Nogueira, a Arena do Jacaré, inicie-se o mais rapidamente possível."

Esse esforço foi feito em detrimento das reais necessidades da população. Uma aposta furada que eu já havia apontado
aqui há 7 meses e que agora a cidade tem certeza de mais esse grave equivoco do prefeito Maroca. Porque diferente do que está na reportagem oficial da prefeitura, que diz "Os jogos do Campeonato Mineiro do ano que vem marcados para o Mineirão serão todos realizados em Sete Lagoas". A verdade é a que segue, matéria do Hoje Em Dia:

"
Governo cede e clubes e FMF ganham mais 6 meses de Mineirão. Anastasia revelou que o projeto executivo para a reforma do estádio só será concluído em março do ano que vem. Com o preço da obra em mãos, a licitação deve sair apenas em abril. Todo este processo dificilmente termina antes de junho e julho de 2010. Além disso, o HOJE EM DIA apurou que a renovação dos contratos dos espaços publicitários no estádio estão sendo oferecidos até junho do ano que vem."

Então, como se vê o prefeito que coloca seus devaneios esportivos a frente da dura realidade. Repare que ignorando a urgência de um novo hospital, o prefeito pós fim a construção do Hospital Regional e mandou fazer outro projeto, transformando hospital em um pronto socorro como antecipei primeiro para os leitores. Essa pequena unidade de saúde, que tem um terço do tamanho do projeto original ainda está longe de sair do papel. Mas apostava-se mais uma vez na fantasia deixando a população morrer nos corredores do falso Hospital Municipal
, vejam:

“É uma obra que trará ganhos incomparáveis não só para Sete Lagoas, mas para toda a região. Teremos mais empregos, geração de renda e com certeza um ganho imenso em diversos segmentos da sociedade, principalmente os setores de bares, restaurantes e hotéis. Com certeza o nosso Turismo terá um grande aquecimento e isso nos deixa muito feliz”, analisou o prefeito.

Uma verdadeira arma de distração da massa. Nada disso vai acontecer como se pode notar, quando e se precisar Sete Lagoas é apenas mais uma cidade como deixa claro o presidente Federação Mineira de Futebol (FMF). "Paulo Schettino revela que a FMF está mantendo contatos para que outras cidades do interior possam ser usadas: “Temos como outras alternativas, além de Sete Lagoas, as cidades de Ipatinga, Uberlândia e Juiz de Fora”.“Os três estádios estão com suas capacidades reduzidas, pois não estão atendendo às novas exigências de segurança. Mas o prefeito de Uberlândia, por exemplo, garante que até dezembro o Parque do Sabaí estará liberado para receber 60 mil pessoas. Em Juiz de Fora, com pequenas ações, se chega a 30 mil. O Ipatingão é o mais fácil de resolver(...)"


Ou seja, Sete Lagoas priorizou a coisa errada. Agora, pior do que o fim de uma ilusão é a cidade acabar de descobrir que o prefeito coloca os seus sonhos supérfluos e egoístas a frente do que é importante de verdade para as pessoas.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009
QUANDO A JUSTIÇA CHAMA A CIDADE A RESPONSABILIDADE É PORQUE ESTÁ FALTANDO... RESPOSABILIDADE! E MAIS: MINHA SUGESTÃO A MARIA LISBOA, É HORA DAR O FORA
Errado Professora. Faltou o seu chefe dirigir a prioridade dele focada na reforma do Estádio Joaquim Henrique Noqueira, a Arena do Jacaré, para o que é importante de verdade e desesperadamente urgente como são as escolas de nossa cidade. Se estou errado mande-me uma foto que seja onde o seu chefe tenha feito o mesmo esforço que se vê na foto a direita, em que esse suposto prefeito, trata com o diretor do Departamento Estadual de Obras de Minas Gerais (DEOP-MG), João Antônio Fleury, sobre a ampliação e melhoramentos da Arena do Jacaré. Aliás, a senhora e a cidade sabem do respeito que tenho pela sua capacidade, mas estou certo que ao lado dessa tartarga retardada e regressiva corres um sério risco de ter a sua imagem de grande educadora maculada.
Postar um comentário