segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

SEM COMPROMISSO COM O ACERTO E COM AS COISAS CERTAS


Acabei de ficar sabendo da entrevista da professora Maria Lisboa, hoje, na rádio Cultura de Sete Lagoas. Sinto ter perdido a sua entrevista. Se tivesse ouvido eu teria ligado para a rádio para lhe dizer, ao vivo, Muito Obrigado Maria - pelo que a senhora fez por nós. E pode ter certeza Maria fez muito mais do qualquer pessoa pode imaginar apressadamente. E ela queria fazer muito mais, me disse. Mas como com está registrado a minha opinião: sua obra aqui, neste momento, deveria se encerrar no final do ano, a bem dela mesma e, acredite, da própria cidade.

Vejam no final ano com o advento da liminar que condenou as instalações físicas de quatro escolas municípiais, restou evidente que a falta de compromisso do prefeito com a infraestrutura educacional comprometeria a sua ação que vem mudando radicalmente educação em Sete Lagoas. Assim, a melhor forma de preservá-la e garantir que o resultado do seu trabalho até aqui não fosse comprometido era ela deixar o governo Maroca, que provocaria como agora começa a acontecer uma inflexão que leva ao reconhecimento do que foi feito e se evita que os avanços retrocedam. E como devem imaginar foi muito caro ter esse posicionamento: admiro muito essa grande Brasileira. Estou emocionado.

Mas aprendi que o certo a fazer tem que ser feito. Agora, vamos a uma questão natural que se coloca: "onde foi o erro?". E não é difícil de responder: faltou Compromisso Com o Acerto!!! Maria é a educadora que Sete Lagoas precisa para dar conta de superar o gigantesco atraso e chegar ao nível que essa maravilhosa cidade pode ter. Mas o que Maria precisava para realizar esse monstruoso trabalho? Apoio, apoio sem vacilo do seu superior com a pessoa certa. E em função de ser, ela, a pessoa certa no governo errado, aí se encontra também o seu erro, e o erro de muitos profissionais, porque não basta ser a pessoa certa, competente etc. se você não estiver trabalhando no lugar certo (aqui no caso governo certo), quer dizer, não basta ser escolhido tem escolher também, saber onde se está entrando, se existe o compromisso com a compentência e com a ação que se vai realizar.

Assim, Maria foi a pessoa certa no governo errado. Faltou um superior que tivesse o seu compromisso, não digo nem só com a educação, mas com as pessoas, como ela, Maria Lisboa de Oliveira tem para, dessa forma, acompanhá-la e ajudá-la a fazer a revolução que a cidade tanto carece, sobretudo na educação. Mas infelizmente o prefeito e a própria sociedade está ocupada demais com coisas tão básicas ainda como ter água em casa, para entender isso. Portanto, e já encerrando a verdadeira grande obra que está por ser feita em Sete Lagoas é a da transformação da mentalidade, para não faltar compromisso com o acerto e com as coisas certas.
LEIA MAIS SOBRE MARIA LISBOA CLICANDO AQUI
Postar um comentário