sábado, 30 de janeiro de 2010

Magela Martins do Jornal Notícia é o Maltratado do Governo

(publicado originalmente em 03/09/09, às 23:50)
Magela Martins foi uma das figuras mais importantes para o Maroca ser o prefeito de Sete Lagoas hoje. Isso é um fato de notório conhecimento público. Magela pos literalmente o seu jornal, o Notícia, o mais lido de Sete Lagoas então a serviço do pré-candidato e depois candidato Maroca. Eu acompanhei tudo era secretário do PSDB municipal e amigo de Magela. Tinha um ângulo privilegiado dos acontecimentos.

Me lembro quando fomos fazer a convenção do partido em que indiquei Magela para Mestre de Cerimônia e o hoje prefeito Maroca não queria de jeito nenhum que fosse ele. Só depois que 3 pessoas rejeitaram o convite foi que Maroca por muita insistência minha chamou Magela. Ele fez um excelente trabalho durante a convenção e depois dedicou uma página inteira de seu jornal para publicar o evento. Os outros veículos apenas colocaram pequenas notinhas.

Ali tinha ficado claro a rejeição do Maroca ao jornalista. No entanto Magela continuou a servir voluntariamente ao Maroca com generosas publicações. Magela falava como se fosse do grupo assumia uma postura de íntimo amigo do Maroca. Via aquela cena e percebia que se estava construindo uma falsa e voluntária expectativa. Sabia que o hoje prefeito não corresponderia nunca àquela afeição. Alertei Magela diversas vezes para o risco de se decepcionar. E é o que está acontecendo. Aliás, não é uma decepção isolada, pelo contrario é um arrependimento coletivo como já disse que constatei em minha caminhada por toda cidade a poucos dias.

Quanto a Magela Martins ele está desapontado, mesmo. Sinto por ele. Admiro-o considero um sujeito bacana e pessoa ao qual tenho grande respeito. Mas o que está acontecendo? Estão desprestigiando ele. O seu jornal o Notícia está sendo alijado da licitação para o qual tem todas as credenciais para participar. Mas o governo ao qual ainda faz parte quer excluí-lo. Veja o caso concreto.

O Jornal Notícia tem razão social como jornal e gráfica, porém, como só edita o jornal não o imprime em gráfica própria ele não precisa ter inscrição estadual. Se um dia resolver ser gráfica também aí precisará pedir a inscrição estadual na receita. Não é o caso agora. Dessa forma está legalmente pronto a participar de qualquer concorrência pública jornalística. É o caso das publicações da Secretaria de Saúde de Sete Lagoas. Mas mesmo estando legalmente tudo ok para ser um competidor no certame, o governo Maroca está usando de subterfúgios para tentar excluí-lo. Uma tremenda sacanagem com o leal apoiador de ontem. E vejam que ele não está querendo privilegio, apenas o direito que já tem de participar de uma concorrência pública.

Mas qual é a jogada do governo para excluí-o: exigir-lhe a inscrição estadual da empresa. Vamos aos detalhes. Seu jornal o Notícia está concorrendo com o jornal do Boca do Povo para ser o veículo ao qual a Secretaria de Saúde faz as publicações. Mas na disputa o Boca do Povo do jornalista Paredão alegou a Secretaria que ele não poderia participar porque não tem a... inscrição estadual. Acontece que como já esclarecido acima ele não precisa dela para participar da concorrência. Mas muito estranhamente a Secretaria tomou a argumentação de seu concorrente como o fundamento impeditivo de sua participação. Em miúdos: o Governo Maroca está aceitando como impeditivo uma desculpa. Tanto é fato que depois que tentaram alijá-lo da concorrência ele conseguiu através de um mandato de segurança uma liminar que o manteve na competição.

Bem, a minha conclusão desse episódio é se você não pertence ao grupinho íntimo nunca confie. Mais: tenho uma sugestão adicional: não saia comprando gato por lebre. Chega de se enganar. A decepção de Magela é em boa parte culpa do mesmo não querer enxergar quem era Maroca. Então, que essa experiência de Magela com o Chefe do Executivo sirva de alerta para o próximo candidato a Maroca que aparecer, mesmo que seja numa versão supostamente oposta, tipo um articulador. Quem é próximo "Maroca"?

3 comentários:

Anônimo disse...

Se por acaso Magela vencesse alguma licitação dentro da prefeitura, Leonardo Barros, o fato poderia se tornar um escândalo. Afinal, o Magela tem um cargo dentro da própria prefeitura, o que seria algo um pouco anti-ético. Ele teria que escolher entre o cargo na prefeitura ou ser a via de publicações oficiais. Não estou dizendo que é contra a lei, mas sim anti-ético.

Ariadne disse...

Caro Leonardo, reconheço na sua argumentação os "direitos" do Magela. Evidentemente que o Magela ao dar todo apoio ao Maroca não o fez desinteressadamente. Evidente que a política é a Arena dos Interesses, portanto, o termo amigo na política é sempre relativizado. Eu diria que na vida tenhamos muito poucos amigos. O que une as pessoas na política é o danado do interesse. Esse interesse normalmente é aquele bem mesquinho. Me causa estranheza o Magela ser detentor de Cargo Público, que é parte integrante da "Res Pública", querer ser contratado para oferecer serviços com ela. Quando vejo essas coisas fico pensando, o velho e "bom" (para alguns) Patrimonialismo continua pulsando forte nas veias abertas de uma cidade onde seus políticos insistem em querer levar vantagem em tudo. Lamentável Leonardo Barros, muito lamentável que essas coisas acontecem.

Anônimo disse...

tem isso não caro companheiro, se o Maroca quisesse mesmo ajudar o Magela, daria a ele a divulgação do orgão oficial assim como prometeu e deu para Paredão, ao inves de um misero cargo....Se vc não sabe ele extinguiu o cargo de secretario de comunicação so para não privelegiar o Magela e se queimar com o Patrick...